Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

29 de maio de 2009

Lula faz campanha eleitoral no Rio

Durante entrega de obras no conjunto de favelas do Alemão, no Rio, o presidente Lula voltou a afirmar, nesta sexta-feira, que está impedido de falar em campanha. No entanto, disse: “Todo mundo sabe que nós vamos ganhar a eleição de 2010”. Se isso não é propaganda eleitoral, somente o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) poderá definir do que se trata;

Acontece que no último dia 14, o (TSE) isentou o presidente Lula e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, da acusação da oposição de fazerem campanha antecipada durante o Encontro Nacional de Novos Prefeitos e Prefeitas, realizado em Brasília nos dias 10 e 11 de fevereiro deste ano. Se algum partido da oposicionista entrar agora com alguma representação, não se sabe qual será a posição do TSE;

Ignorando a legislação eleitoral, Lula ainda disse: “Eu não preciso falar, mas todo mundo sabe que nós vamos ganhar as eleições de 2010. Quando chegar a hora certa, nós vamos para a disputa. E nós temos que ter clareza. Temos que aprender a ver quem é aquele que vai chegar na hora e vai prometer o céu e quem aquele que vocês sabem que está junto de vocês”;

Para configurar que se tratava de comício, o público respondeu em coro de “Dilma, Dilma, Dilma”. O presidente pegou uma rosa, de um arranjo que ornamentava o palco, se dirigiu a Dilma, sua candidata à sucessão, e segurando sua mão, entregou a rosa e fez com que ela se levantasse para receber os aplausos. Mais cedo, durante visita a obras no complexo de Manguinhos, também no Rio, Lula já havia brincado com o público ao afirmar que não é ele quem fala em campanha nos eventos, mas o povo;


Entusiasmado com o clima de comício, Lula fez mais uma declaração típica de campanha eleitoral: “Espero que a profecia que diz que a voz do povo é a voz de Deus esteja correta nesse momento”, dizendo também que é preciso "não eleger mais vigaristas", deixando dúvidas sobre de quem se tratava. Certamente ele fazia referência aos seus antecessores, pois recentemente não livrou nem a cara de um imperador.

O que o povo fala por aí

Lendo as cartas de leitores, de vez em quando é interessante saber o que andam pensando por aí sobre os últimos fatos. Com relação ao auxílio-moradia de Sarney, um leitor assim se expressou:

"Se alguém, por acaso, depositar R$ 3.800 na minha conta bancária vou procurar saber a origem desse dinheiro. Na conta do senador José Sarney há um depósito mensal nesse valor, pelo menos desde 2008, e ele não sabia que dinheiro era aquele". (Emerson Rios, Niterói, RJ)

É que a conta bancária de Sarney é tão grande, que uma migalhinha de quase R$ 4 mil não dá para ser percebida. Quanto ao respectivo contracheque, é bem provável que pelo tempo de carreira de Sarney tenha tantas folhas que o "pequeno acréscimo" não deu para ser percebido;

Já sobre a composição dos integrantes da CPI da Petrobras e sobre os nomes da chamada "tropa de choque" do Governo na comissão, outro leitor escreveu:

"Ao escolher, a dedo, os parlamentares que vão compor a CPI da Petrobras, o governo federal e a base governista que o apoia devem pensar que o povo brasileiro é idiota. E, se não bastasse, oito dos 11 escolhidos respondem a processos no STF ou receberam doações para suas campanhas de empresas ligadas à Petrobras". (Holofernes Mamede Soeiro Fuentes)

É claro que uma CPI é um bom prato para a Oposição fazer barulho contra o Governo às vésperas de uma eleição, mas é evidente que os governistas não
querem por nada nesse mundo que a verdade apareça, pois mesmo sendo a estatal uma empresa de grande porte, também é fonte de renda para muita gente que apoia o Governo Lula. Daí esse timaço escalado para "apurar" as denúncias;

Outro leitor também se refere à composição da CPI da Petrobras da seguinte forma:

"Quem faz CPI da Petrobras ganha doações dos fornecedores dela. O que acham que vai dar? Vai dar em nada, como sempre acontece. Esses políticos deveriam ser expulsos do Congresso. ao verdadeiros ladrões oficializados".
(Carlos Augusto P. Lopes Filho, Rio de Janeiro, RJ)

Para manter tudo isso (as doações, patrocínios etc.), a própria Petrobras anuncia que o valor cobrado pelo litro da gasolina não vai baixar em 2009, mesmo com o preço do barril tendo caído de 150 para menos de 50 dólares. É preciso fazer caixa para sustentar a farra, além de reforçar os apoios à candidata oficial do Palácio do Planalto.

28 de maio de 2009

Sarney anda muito distraído

Peço desculpas pela informação errada que dei. Eu nunca pedi auxílio-moradia e, por um equívoco, a partir de 2008, segundo me informaram, realmente estavam depositando na minha conta auxílio-moradia. Mas eu já mandei dizer que retirassem, porque eu nunca requeri isso e tinha a impressão de que não estava recebendo esse auxilio. Portanto, dei uma informação errada e peço desculpas";


A frase é do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), admitindo que recebia auxílio-moradia, apesar de ter residência própria em Brasília. Ele pediu desculpas por ter informado equivocadamente que não recebia o auxílio-moradia e que nunca havia solicitado;


O interessante é que Sarney não notou que desde o ano passado apareceu um "pequeno acréscimo" de R$ 3.800,00 em seu contracheque do Senado. Só agora é que ele notou que estava recebendo uma importância a que não tinha direito, juntamente com os senadores João Pedro (PT-AM), Cícero Lucena (PSDB-PB) e Gilberto Gollner (DEM-MT), que moram em apartamentos funcionais, e também recebem o auxílio, no valor de R$ 3.800,00;


Talvez por conta de sua idade já um tanto avançada, Sarney não tenha notado que havia alguns meses que havia em seus vencimentos uma bonificação correspondente a 8,17 salários-mínimos para pagar algo que não comprara nem utilizara. Mas acima de tudo está a tremenda cara-de-pau de Sarney de querer que nós acreditemos nessa deslavada mentira.

Outra maioria de oito


Do grupo de onze senadores escalados para investigar supostos desvios de verba e de conduta na
Petrobras, os que respondem a processos criminais no Supremo Tribunal Federal (STF) ou receberam doações de campanhas de empresas ligadas à estatal por contratos ou parcerias também estão em maioria, com oito "representantes".

O senador Romero Jucá
(PMDB-RR), provável relator da CPI da Petrobras, por exemplo, teve quase metade de sua campanha para o Senado, em 2002, bancada pela OPP, empresa petroquímica que foi incorporada à Braskem, da qual a Petrobras é sócia. A "colaboração" da empresa foi de R$ 200 mil. Jucá com certeza não vai querer que uma possível contribuição "não contabilizada", como diria Lula, venha a representar algum riscos para sua campanha no ano que vem;

Além disso, Jucá
é acusado pelo Ministério Público Federal, com base em investigações da Polícia Federal, de compra de voto e desvio de recursos federais para obras. O inquérito tramita em segredo de Justiça. Vê-se, portanto, que inúmeras razões existem para que Lula & Cia. não queiram que se apure fatos que possam vir a atrapalhar os negócios daqueles que bancam suas campanhas.

27 de maio de 2009

"Guerra" da CPI da Petrobras começa 3ª feira


O líder do DEM, José Agripino Maia, recebeu nesta terça a visita dos líderes governistas Renan Calheiros (PMDB) e Gim Argello (PTB). Agripino havia negociado com eles, na semana passada, um entendimento que acomodaria o senador democrata ACM Junior na presidência da CPI da Petrobras;


O acerto foi desfeito depois que Lula interveio após reunião com Renan. Para O líder do DEM, Lula agiu porque tem medo da investigação e acha que a CPI é “um elemento perturbador para 2010”. A oposição, como consequência, ameaça um bloqueio do plenário;


Na maior desfaçatez, Lula negou ter feito sugestão a Renan para não ceder a presidência da CPI ao senador ACM Junior tem a coragem de afirmar: "Não pedi para tirar o Democratas nem para os tucanos não serem nem para o PT não ser. É um problema do Senado";


Porém, depois de garantir aos líderes do DEM que o PMDB apoiaria a indicação de ACM Junior para a presidência, "coincidentemente" depois do encontro com Lula, o líder do PMDB informou que os governistas ficariam com os dois principais cargos da CPI;


O troco dos oposicionistas já está sendo dado. Na sessão de ontem no Senado houve obstrução à aprovação da Medida Provisória do fundo soberano, que tem prazo até segunda-feira para ser aprovada, sob pena de perder sua validade. Na CPI das ONGs, o novo relator é Artur Virgílio (PSDB-AM), que certamente vai apurar as doações suspeitas feitas pela Petrobras;


Resta-nos aguardar a próxima semana, quando a CPI da Petrobras será oficialmente instalada.

26 de maio de 2009

Governo quer criar a "Bolsa PAC"


O Governo se mobiliza contra a Oposição tentando por todos os meios dominar a CPI da Petrobras, já que não conseguiu impedir a sua criação. Chega até a afirmar que a comissão tem fins eleitoreiros, além de objetivar fragilizar a empresa para depois promover a sua privatização. No entanto, a exemplo da fábula do macaco e da cotia, como que não olhando para o próprio rabo, também faz algo com objetivo exclusivamente eleitoreiro, mas a seu favor;

Ou não é eleitoreira a promessa de acréscimos nos slários de funcionários do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) que exerçam atividades na execução do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC, que tem como "mãe", segundo Lula, a ministra Dilma Rousseff? E ele é a candidata do Governo à sucessão do atual presidente;

Nuca antes neste País um funcionario público recebia seus vencimentos para nada fazer. Sempre houve, é claro, o funcionário-fantasma, que não trabaha e recebe assim mesmo, mas para todos os efeitos ele trabahou, pois o seu ponto é integral, como se tivesse comparecido religiosamente à sua repartição. Mas isso é outra história;

É mais um tipo de "Bolsa" criado pelo Governo Lula. Se o cidadão e funcionário, é para ele funcionar e receber o salário previamente estabelecido. Se o salário é pequeno ou está defasado, também é outra história. Essa gratificação da "Bolsa PAC" é uma espécie de suborno, para que, como Lula já afirmou, "as obras do programa sejam mostradas ao povo em 2010", coincidentemente ano de eleições;

Estabelecer gratificações que podem chegar a quase R$ 50 mil não parece ser coisa séria, mas é caso muito sério. O Legislativo, por mais "agachado" que seja ao Executivo, não pode aprovar esse verdadeiro monstro jurídico. Parece que Lula & Cia. não pensam em outra coisa que não seja a eleição de seu/sua sucessor(a), mesmo que às custas de mais um gasto desnecessário, quando tanta coisa precisa ser feita em benefício da população.

Pode vir aí o “Distritão”.


Está ficando difícil aprovar uma reforma política implantando a lista fechada nem
de financiamento público. Começa a aparecer uma tendência de se postar em favor do "Distritão", que consiste no seguinte: o Estado é considerado como um distrito único e seriam eleitos para a Câmara dos Deputados os candidatos que obtivessem mais votos. A legenda partidária deixaria de influir no resultado da eleição, ficando em segundo plano;

Com a aprovação do "Distritão", deixaria de existir o quociente partidário, quando o eleitor vota em quem bem entende, mas, depois da apuração das urnas, é feito e cálculo de um coeficiente eleitoral, que fixa o número de votos necessários para que partido conquiste cada cadeira na Câmara. Esse coeficiente apresenta muitas distorções;

Alguns exemplos de fatos já ocorridos: Quando Enéas Carneiro, do Prona, foi eleito, com mais de 1,5 milhão de votos, acabou elegendo, através do voto na legenda, outros cinco deputados. O quinto colocado no Prona de São Paulo acabou sendo eleito com apenas 245 votos. Enquanto isso, o candidato Jorge Tadeu, do PMDB, teve 128 mil votos mas não foi eleito. É certo que o "Distritão" evitaria que casos como esse se repetissem;

A ideia do "Distritão" apareceu nos últimos dias por causa de partidos pequenos que não concordam com a lista partidária e muito menos com o financiamento público das eleições, algo também fortemente rejeitado por grande parte da opinião pública, pois, nos caso deles, perderiam acesso às contribuições individuais por parte de financiadores interessados na eleição de determinados candidatos;

Pelo menos para uma coisa o "Distritão" serviria: o eleitor saberia que estava sendo representando na Câmara por deputados que realmente espelhassem o desejo da maioria do eleitorado.

25 de maio de 2009

A Petrobras é nossa ou é do PT?


Já é fácil sabermos por qual razão o Governo não quer que a CPI da Petrobras, no Senado, apure o que possa haver de errado nos negócios da empresa. Milhões de reais andam circulando pelas contas de organizações não governamentais (ONGs) ligadas a membros do PT. A coisa vai do MST a "centros sociais" de vereadores filados ao partido do presidente Lula ou da chamada base aliada;


Uma análise feita em cerca de 230 contratos entre a Petrobras e diversas organizações firmados durante os últimos 12 meses - isso disponível no site da empresa - totalizam gastos de R$ 83 milhões, e tudo sem nenhuma licitação. Existem ainda mais de 1.100 outros contratos destinados a patrocínios, congressos e festas, somando R$ 609 milhões. Certamente, tudo isso destinado a entidades ligados ao partido detentor do Poder;

A imprensa informa que muitas dessas entidades beneficiadas com dinheiro da Petrobras sequer funcionam, apesar de terem recebido gordos recursos da empresa. Até uma ONG ligada ao famoso Delúbio também foi beneficiada. E olhe bem que ele foi expulso do PT e teve seu reingresso no partido negado;

Causa espanto a cara-de-pau da direção da empresa ao afirmar em nota oficial: "Não há critérios políticos no repasse de recursos do Funda da Infância e Adolescencia (FIA), e que a legislação não prevê a atuação da empresa na prestação de contas nem na fiscalização das verbas". Ou seja, a Petrobras dá o dinheiro a as entidades depois conversam com o Tribunal de Constas da União (TCU) ou a Controladoria Geral da União (CGU), mas pode pegar o dinheiro e fazer o que bem quiser;

A nota oficial da Petrobras foi expedida porque uma reportagem comprova que um terço das verbas da empresa destinadas a programas direcionados para a infância foram destinados a governo ligados ao PT. Além de destinar R$ R$ 30 milhões para estados e municípios, a empresa também repassou R$ 10 milhões para o próprio Governo Federal;

Somente esse quadro dá para se entender a razão do Governo não querer que a CPI do Senado funcione e nem apure nada, "para não fragilizar a Petrobras", pois certamente essa farra teria que ser suspensa. Explica-se aí a manifestação recentemente realizada em frente à sede da empresa, além de outras já marcadas para os próximos dias, e ainda o "terrorismo eleitoral" com Lula e seus adeptos óbvios espalhando que a Oposição que fragilizar a empresa para depois privatizá-la;

A Petrobras é super aparelhada tecnicamente, mas também está por demais aparelhada, mas no sentido de que foi transformada num verdadeiro cabide de emprego para os "companheiros" do presidente Lula e fonte de dinheiro fácil para ser fazer política em busca de um possível continuísmo no Poder.

23 de maio de 2009

Fantasma de FHC ainda assusta Lula?


Parece ser difícil para os petistas se livrarem do fantasma de Fernando Henrique Cardoso. No entanto, parece também que FHC seja o inimigo a ser derrotado. Além disso, Lula tem a mania de exaltar tudo o que tenha feito, mesmo que seja continuidade de algo iniciado pelo seu antecessor. Desde 2003 - há quase seis anos e meio - que Lula quando não consegue mudar alguma coisa põe a culpa na "herança maldita" deixada por FHC;


Lula quando fala de improviso sempre deixa algum rastilho de pólvora. Na Turquia, além de chamar de trambiqueiros empresários aos quais seu Governo, através do BNDES, prestou ajuda, acusou de medíocres os ex-governantes do Brasil, colocando no mesmo saco Fernando Henrique e Dom Pedro II, uma forma de atacar seu antecessor imediato;


Agora mesmo a candidata de Lula a "herdeira do trono", Dilma Rousseff, respondendo à oposição que deseja abrir a "caixa preta" da empresa na CPI da Petrobras, acaba de declarar que também havia "caixa preta" no tempo de FHC. Por que, então, nesses seis anos e meio Lula não abriu a “caixa” deixada por Fernando Henrique? Por que, também, não quer que ela seja aberta na CPI? Parece haver um medo crônico de alguma coisa seja revelada;


Essa síndrome em relação a Fernando Henrique tem vários outros contagiados. Até o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Eliezer Pacheco, também atribuiu a FHC a baixa participação de escolas públicas na oferta de ensino profissionalizante;


O velho ditado "quem não deve, não teme" parece não ter validade para o Governo. Até a acusação de que a Oposição quer enfraquecer a Petrobras para depois privatizá-la foi jogada no ar. Isso demonstra, além de ser uma forma de jogar seus opositores contra a opinião pública, que Lula e seus aliados admitem que o poder pode mudar de mãos em 2011;


No caso da CPI, basta que ela esclareça por qual razão o preço da gasolina no Brasil é um dos mais caros do mundo, mesmo que o barril de petróleo tenha caído de US$ 150 para US$ 50. Ou será que querem manter suspeitas de falcatruas em licitações e de outras mazelas?

22 de maio de 2009

Deputado quer prorrogar mandatos


Os parlamentares brasileiros a cada dia se superam. O deputado Sandro Mabel (PR-GO) apareceu com proposta que permite ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficar no cargo até 2012. O deputado justifica sua proposta com o argumento de que, ao invés da realização de eleições majoritárias em 2010 para governadores, presidente da República, deputados e senadores, a eleição seja realizada em 2012, junto com a escolha de prefeitos e vereadores;


Se a mudança proposta vier a ser aprovada, o presidente Lula fica no cargo até 2012, da mesma forma que os senadores e deputados federais e estaduais. Para atenuar o impacto, Mabel propõe que a mudança seja submetida à população por meio de um referendo, o que poderia viabilizar a alteração constitucional até setembro deste ano, prazo máximo para mudanças na legislação eleitoral antes da disputa de 2010;


Acontece que líderes partidários do governo e da oposição descartaram hoje colocar em votação proposta do deputado, que integra a base aliada do Governo na Câmara dos Deputados. Vários deles se pronunciaram totalmente contrários à proposta;


Era só o que faltava. O deputado Mabel é mais que parece estar “se lixando” para o eleitorado ao propor ficar mais dois anos no mandato que não lhe foi dado por seus eleitores. Na maior cara-de-pau, ele justifica que havendo unificação das eleições haveria uma economia considerável de cerca de R$ 10 bilhões;


Mais logico seria prorrogar o mandato dos atuais prefeitos e vereadores, que estão em início de mandato e não andam tão encobertos pelo mar de lama que anda afogando deputados e senadores. Mas ainda tem muita coisa a ser discutida numa possível reforma política, e a pior delas é a tentativa da tal lista partidária, excluindo totalmente o eleitor do processo de escolha de seus representantes.

Vai trabalhar, criatura...


O orkut do policial



Semana passada, um internauta fez a foto acima no posto de emissão de passaportes do Shopping Leblon. Havia umas 20 pessas na fila, e o policial de amarelo informou que “realizava os procedimentos no sistema”.

O autor da foto fez a volta e... a imagem fala por si. Ah, mas você não reconheceu? Não seja por isso. É o orkut do trabalhador da Polícia Federal...

(Extraído do Blog de Ancelmo Góis)

20 de maio de 2009

Presidente da Câmara renuncia ao cargo e ao mandato


Calma, gente! Não estamos falando de Michel Temer, presidente da Câmara dos Deputados. O renunciante em questão é o presidente da Câmara dos Comuns, no Parlamento britânico, por causa dos gastos irregulares de verbas públicas. Lá, a Câmara dos Comuns corresponde à nossa Câmara dos Deputados, existindo ainda a Câmara dos Lordes, uma espécie de Senado;


Além de renunciar à presidência da Casa, cargo que exercia desde 2000, o deputado Michael Martin anunciou que no dia 21 de junho renunciará também ao seu mandato. O fato, que não ocorria na Gran Bretanha desde 1695, é considerado tão grave, que pode sobrar até para o primeiro-ministro Gordon Brown, que recebe pressões de membros do seu próprio partido para que renuncie também;


Seria querer muito que tal fato ocorresse aqui em território tupiniquim, onde, ao contrário, nossos ilustres representantes, estão "se lixando" para os eleitores, pois já falam em ganhar mais um pouco, elevando seus salários para cerca de R$ 34 mil, utilizando artifícios de unificação de vários benefício financeiros a que têm direito, somando-se a isso a verba de R$ 60 mil mensais para manutenção de seus gabinetes;


Também seria querer demais que o presidente da Câmara, depois de tantos escândalos e denúncias também abandonasse seu cargo e mandato. Também não se poderia esperar que o Chefe de Governo acompanhasse o gesto do Chefe de um poder legislativo, uma vez que, como se recorda, Lula andou declarando que o uso de passagens aéreas por parentes e amigos dos deputados não era nada demais, coisa até ele mesmo fez quando era deputado;


Segundo o Blog do Josias, deputado federal sai mais caro no Brasil do que no 1º mundo, conforme pesquisa da própria Câmara:


  • Parlamentar brasileiro custa à Viúva R$ 1,3 milhão por ano
  • Valor é maior do que o de um colega alemão: R$ 1 milhão
  • Sai quase o dobro de um parlamentar francês: R$ 699 mil
  • Custa quase o triplo de um deputado italiano: R$ 469 mil
  • Em salário e benefício, só perde para EUA: R$ 3,8 milhões

Considerando-se o custo individual do deputado, a coisa ficou assim:

  • EUA: até R$ 3.814 milhões por ano;
  • Brasil: até R$ R$ 1.274 milhão anuais;
  • Alemanha: R$ 1.004 milhão;
  • França: R$ 736 mil;
  • Grã-Bretanha: R$ 699 mil;
  • Chile: R$ 545 mil;
  • Itália: R$ 469 mil.


Fez-se também uma comparação do custo de um deputado considerando-se a população de cada país. Estimou-se quanto sai do bolso de cada contribuinte.


  • Grã-Bretanha: o deputado custa R$ 7,37 para cada mil habitantes;
  • Alemanha: R$ 7,37 por grupo de mil habitantes;
  • França: R$ 6,63 por mil;
  • EUA: R$ 4,88 por mil;
  • Chile: R$ 3,94 por mil;
  • Brasil: R$ 3,29 para cada mil habitantes.

Como sonhar não custa nada, vamos continuar lutando para que haja no ano que vem uma verdadeira limpeza no Congresso Nacional através de uma retumbante renovação em todos os Estados brasileiros, banindo da Câmara e do Senado todos aqueles que não dignificam seus mandatos.

18 de maio de 2009

Lula desrespeita senadores da CPI


Lula declarou lá fora que os senadores que requereram a formação da CPI não tinham o que fazer ou, então, estariam criando um fato novo para tirar do noticiário os escândalos que nos últimos dias andaram sendo manchetes na mídia. Além de desrespeito aos 30 membros do Senado, mesmo que muitos deles não estejam se dando ao respeito, não é correto que o chefe de um dos poderes da República se refira a membros de um outro de forma desrespeitosa;

Mesmo que a CPI tenha maioria de senadores da base aliada, os 11 integrantes da comissão terão, sim, o que fazer, como apurar os indícios de fraudes em licitações para reforma de plataformas de exploração de petróleo, além de supostas irregularidades em contratos de construção de plataformas;

A CPI terá chance de apurar se realmente houve superfaturamento na construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, bem como o uso de artifício fiscal que a Receita Federal considera ilegal, e, ainda, o acordo entre a ANP e usineiros, que resultou em pagamento de R$ 178,4 milhões aos usineiros, em tempo muito rápido, diferente do usual;

Por fim, os senadores terão o que fazer apurando as acusações de que o diretor Victor Martins, que é irmão do ministro das Comunicações, Franklin Martins, de que em troca de propina à consultoria do qual é sócio, andou favorecendo municípios do Rio de Janeiro no repasse de royalties do petróleo;

As notícias hoje são de que após perder as batalhas para formação da CPI, com a retirada de assinaturas, a tropa de choque do Governo, atendendo a ordens de Lula, vai trabalhar para se prevalecer da maioria que regimentalmente terá na comissão para protelar o quanto seja possível a conclusão dos seus trabalhos;

Fica a dúvida na opinião pública, que deve preocupar àqueles de "se lixam" para ela, que tem considerável parcela perguntando: o que teme o Governo que sejam apuradas todas as acusações que são feitas à direção da Petrobras, que não foram inventadas pela Oposição, e que são fruto de relatórios do Ministério Público Federal, do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Polícia Federal?

Índio vai ser empresário?


Quando o Supremo Tribunal Federal (STF) votava a ação que resolveria a questão da demarcação da Reserva Raposa Serra do Sol, em cenas mostradas em reportagens viam-se índios reunidos numa aldeia em torno de uma TV de 29 polegadas assistindo a sessão plenária do STF, acompanhando o andamento da votação de cada ministro. É bom lembrar que a TV Justiça não é transmitida através de canais abertos e sim pelos de assinatura;

O fato serve para demonstrar que os índios não são mais tão índios assim. Eles estão quase que totalmente inseridos na modernidade e na globalização. Essa luta de alguns defensores da preservação da cultura e das terras indígenas deve ter alguma coisa por trás de tanta campanha. Há muito tempo que índio deixou de "querer apito". Hoje, eles estão mais para fabricar e vender apitos e outras coisas mais;

Para muitos não causa espanto que o Conselho Indígena de Roraima (CIR) esteja negociando formar uma parceria com o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), sob a justificativa de promover o aumento da produção agrícola na região, com ênfase para a cultura do arroz;

Quando o STF definiu a questão da Raposa Terra do Sol, ficou bem claro que passava a haver restrições quanto ao "ingresso, trânsito e permanência de não-índios na área, bem como a caça, a pesca e a o extrativismo vegetal" da área demarcada. Também é vedada a qualquer pessoa estranha aos grupos tribais a prática da caça, pesca ou coleta de frutas, assim como de atividade agropecuária exploratória;

Mais estranho ainda é que a quebra dessas regras seja exatamente com o MST, cujos líderes parecem mais preocupados em ações políticas com suas invasões de áreas produtivas, usado reais agricultores como massa de manobra. Em nossa opinião, justo seria deixar com os índios as áreas que servem para sua moradia e sustento e não para transformá-los em empresários do agronegócio.

17 de maio de 2009

QUEM DEFENDE ESSA “REFORMA” É GOLPISTA E MAL INTENCIONADO


A seguir, uma transcrição integral de postagem no Blog "Movimento da Ordem Vigília Contra Corrupção", de autoria do jornalista Paulo Saab, a propósito da reforma política que está sendo articulada em Brasília:

Impor ao País essa mudança de regras, sem antes observar requisitos mínimos de prática democrática, inclusive sua discussão constitucional, é golpe. Paulo Saab

É golpe! Que fique claro: é minha posição pessoal e por ela, como sempre, respondo. O interesse revelado numa propalada "reforma política infraconstitucional", da forma como está colocada, é golpe contra a liberdade do eleitor, é crime de lesa-pátria e não vou me calar.

Pretender que o eleitor vote numa lista fechada, com nomes escalados pelos partidos políticos, num país onde o voto é obrigatório, em que os partidos políticos ou são oligárquicos, dominados por facções, ou são de aluguel, sem a mínima consolidação e atuação de partido político como nas grandes democracias, é impor a ditadura das cúpulas, é alijar o eleitor do processo de escolha, é buscar eleger somente candidatos afinados com a vontade de quem define a lista.

Impor ao País essa mudança, sem antes observar requisitos mínimos de prática democrática, inclusive sua discussão constitucional, é golpe.

Agrava o acinte que se prepara contra o eleitor brasileiro consciente o fato de uma "reforma", com esse grau de virulência, vir à luz quando o Brasil está estupefato com o comportamento ímprobo de parcela significante dos parlamentares e governantes eleitos.

Trata-se de uma tentativa de desviar o foco do problema para uma possível solução que só atende aos interesses de quem, justamente, está conspurcando a democracia brasileira com o título/mandato de representante popular, com vergonhoso desempenho. É uma forma de garantir a reeleição em uma lista de conchavo.

Não se pode falar em reforma política sem antes tratar da questão da fidelidade partidária, do voto distrital puro (nem o misto penso que sirva mais, em meio ao lodaçal da representação parlamentar), bem como de tornar o voto espontâneo e não mais obrigatório - cativo para as massas ingênuas e desinformadas, manipuladas pela propaganda e pela sedução de facilidades oferecidas pelos próprios governantes e políticos que criam as dificuldades.

A reforma política de que o Brasil necessita é outra. É a da profilaxia política. Da adoção de mecanismos compatíveis com a nossa situação, mas, acima de tudo, é a reforma para a eliminação da sem-vergonhice barata que se institucionalizou no País e que conspira abertamente contra a democracia representativa, dela se valendo.

Por que as grandes organizações da sociedade, – como, por exemplo, a OAB, de tanta sensibilidade política –, não se manifestam e nem se mobilizam contra a desfaçatez dessa proposta?

Estou só neste entendimento? Se assim for, assim ficarei, mas não serei omisso. Ao menos minha palavra de repúdio, mais do que repúdio, de nojo, estará registrada como cidadão brasileiro que paga seus impostos e não tem ficha policial. Ao menos até agora.

Paulo Saab é jornalista e escritor –
Jornal do Comércio

16 de maio de 2009

Voto distrital, distritral misto ou "distritão"?


Quando começam as conversações para a discussão e aprovação de uma reforma política no Brasil, em primeiro lugar deveria o povo ser chamado a opinar sobre qual o melhor sistema eleitoral a ser implantado ao lado de novas regras que venham a ser estabelecidas;

Entre os vários sistemas de votação para escolha de deputados federais, estaduais e vereadores estão o voto distrital puro, o distrital misto e o que chamam de "distritão". No primeiro, para deputado federal o estado é dividido em tantos distritos quanto sejam as vagas em disputa. No distrital misto, metade das vagas são escolhidas pelos distritos e a outra metade, pelo sistema proporcional;

Parece-nos que o mais interessante seria o chamado "distritão", onde a eleição seria totalmente majoritária. No caso do Rio de Janeiro, seriam eleitos os 46 candidatos a deputado federal mais votados. Os suplentes seriam aqueles que ficassem do 47º lugar em diante, independentemente de que partido fossem;

Com a enorme quantidade de partidos hoje existente, seguramente o eleitor se liga no candidato e não na sigla à qual ele está filiado. Com isso, prevaleceria a real preferência do eleitorado. Hoje, com o sistema proporcional, fica difícil o eleitor entender como é que um candidato bem votado não se elege nem como o mal votado consegue uma vaga no legislativo;

De qualquer forma, não é aconselhável fazer-se uma reforma às pressas somente para tentar apagar a péssima imagem de que hoje desfrutam os integrantes dos poderes legislativos federal, estaduais e municipais.

Por que Lula não quer a CPI? [2]


Lula quase xingou o PSDB e o DEM por terem requerido, e conseguido, a formação da CPI da Petrobras. Chegou a dizer que o comportamento dos senadores que assinaram o requerimento era cosia de adolescentes. Viajou para o exterior e deixou sua tropa de choque trabalhando para conseguir que pelo menos seis senadores retirassem suas assinaturas até à meia-noite, o que tornaria nula a CPI;

Apenas dois senadores retiraram suas assinaturas. Foram eles Adelmir Santana (DEM-DF) e Cristovam Buarque (PDT-DF). Os demais 30 signatários mantiveram seus nomes e a CPI está garantida, pois eram necessárias pelo menos 27 assinaturas;

As razões pelas quais Lula não quer a instalação da CPI, que abrange a Petrobras e a Agência Nacional de Petróleo (ANP), talvez sejam as seguintes:

1 - Indícios de fraudes nas licitações para reforma de plataformas de exploração de petróleo, apontados pela "Operação Águas Profundas", da Polícia Federal (PF), e suposta irregularidades em contratos de construção de plataformas, detectados pelo Tribunal de Contas da União (TCU);

2 - Indícios de superfaturamento na construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, que constam do relatório do TCU;

3 - Uso de artifício fiscal que a Receita Federal considera sem amparo legal para levantar R$ 4,3 bilhões em compensações tributárias;

4 - Acordo entre a ANP e usineiros, a partir de decisão judicial, que resultou em pagamento, EM TEMPO RECORDE, de R$ 178,4 milhões aos empresários da cana-de-açúcar referentes a subsídios da conta petróleo;

5 - Dossiê investigado pela PF onde apareceram acusações de que o diretor Victor Martins (irmão do ministro das Comunicações, Franklin Martins) , em troca de propina à consultoria do qual é sócio, favoreceu municípios do Rio de Janeiro no repasse de royalties do petróleo.

Pode-se ver claramente que os fatos acima, que não são acusações da Oposição, se confirmados trarão sérios problemas políticos para o Governo, prejudicando certamente a candidata oficial de Lula;

Sendo assim, em nada interessa que os fatos sejam apurados e é lógico que haverá uma batalha regimental para se bloquear os trabalhos da CPI. O grande risco é que os trabalhos da CPI acabem entrando em 2010, passando a fazer parte dos palanques do principal candidato da Oposição.

15 de maio de 2009

Por que Lula não quer a CPI?


Qual a razão para o Governo não quer a criação da CPI da Petrobras no Senado? Certamente é porque não quer que alguma coisa seja descoberta durante a apuração do que os signatários pretendem investigar. Se nada existe, por que o procurador do Ministério Público no Tribunal de Contas da União (TCU), Marinus Marsico, protocolou nesta sexta-feira uma representação em que pede que o órgão anule a mudança contábil feita pela Petrobras no fim do ano passado? Como se sabe, a empresa teria deixado de pagar cerca de R$ 4 bilhões em impostos federais;

É bom lembrar que no fim de 2008 a Petrobras mudou seu regime de tributação, de modo retroativo. O procurador alerta que a alteração não poderia ter sido feita ao longo do ano, uma vez que legalmente só poderia passar a valer no início de um novo ano fiscal. Na representação, o procurador destaca que a Petrobras possui a prerrogativa de decidir a qual regime tributário adotar, seguindo os critérios de conveniência e oportunidade, mas ele pondera que “uma mudança dessa natureza no decorrer do exercício abre perigoso precedente que pode gerar acentuados prejuízos ao erário";


Na manhã desta sexta-feira o PSDB conseguiu a leitura do requerimento de criação da CPI da Petrobras. Com a leitura, os 32 senadores que assinaram o pedido têm até meia-noite para retirar seu apoio. Se forem mantidas ao menos 27 assinaturas, será aberto o prazo para que os líderes indiquem representantes e a CPI será instalada. O Governo está trabalhando para conseguir que seis senadores retirem suas assinaturas. Hoje à tarde havia a possibilidade de cinco senadores pularem do barco, mas alguns deles diziam que só retirariam sue nomes se houvesse um grupo certo de seis pelo menos;


Os senadores tucanos Sérgio Guerra (PE), Arthur Virgilio (AM) e Tasso Jereissati (CE) adiaram os voos para seus Estados, ficando em Brasília para testemunhar a criação da CPI;


Lula fez duras críticas ao PSDB, pouco antes de embarcar para a Arábia Saudita, por manobrar pela criação de uma CPI no Senado. Contrariado, disse que os senadores tucanos agiram como se estivessem “numa briga de adolescentes”. Lula não poupou críticas ao maior partido de oposição ao seu governo. Segundo ele, a criação de uma CPI contra a Petrobras prejudica a empresa e o país. Como que a empresa está buscando investimento externo para financiar a exploração de petróleo da camada pré-sal, e uma investigação no Congresso atrapalharia esses objetivos;

Lula ainda ironizou dizendo que o PSDB ficou nervoso e que assim ninguém ganha eleição. “Eu perdi três eleições muito nervoso. Quando eu fiquei calmo eu ganhei a eleição. Meu conselho é que se alguém quiser ganhar a eleição não fique nervoso, porque a cara das pessoas nervosas na televisão assusta. Então, é melhor ficar calmo e tranquilo e fazer uma campanha muito alegre, prazerosa, porque é assim que a gente ganha eleição”, disse rindo;


Na realidade, não pode ser esquecido que tem outras coisas girando em torno da Petrobras, como uma queda de 20% nos seus lucros e, mais ainda, os negócios escusos feitos com prefeituras do Rio de Janeiro para receberem mais royalties do petróleo em operação com efetiva participação de um irmão do ministro Franklin Martins. Pode estar aí a razão para Lula ficar tão interessado em conseguir que mais de cinco senadores retirem suas assinaturas para a formação da CPI.

14 de maio de 2009

César Maia, mais um que decepciona


O ex-prefeito do Rio, César Maia, anda às voltas com um problema, que é a Cidade da Música, obra que foi paralisada pelo atual prefeito, Eduardo Paes, e que agora, depois de uma auditoria está sob suspeita de superfaturamento, além de terem sido detectados vários erros de construção e acabamento;


O promotor Gustavo Nogueira, da 4ª Promotoria de Tutela Coletiva, depois que visitou a Cidade da Música e ver as falhas da construção, anunciou que vai abrir uma ação pública contra César Maia e o ex-presidente da Riotur, tendo por base as irregularidades encontradas nos contratos da obra. Gustavo Nogueira declarou: "Vamos tentar descobrir quanto se gastou só para a inauguração, porque foi dinheiro jogado fora";


Além desse grave problema, é sabido que a outrora Cidade Maravilhosa foi totalmente abandonada pelo ex-prefeito e está cheia de problemas em todos os setores. Mas parece que César Maia é insensível ou então pensa que o povo é. No seu site, que ele intitula de "Ex-Blog", o ex-prefeito parece querer desviar a atenção, pois tem o desplante de postar o item a seguir, como se as críticas não devessem ser dirigidas e ele próprio:



NOTÍCIAS DO RIO! RJTV-1 (13/05)!


1. O oficial da Marinha Luís Neto foi no banco com a mulher e sacou R$ 1,3 mil em notas de R$ 10. Ele foi abordado por um criminoso que roubou o dinheiro e deu um tiro em sua barriga.


2. Ônibus queimado no Méier deixa moradores do bairro assustados. Manifestantes colocaram fogo em um ônibus da linha 274.


3. Faltam médicos e remédios em posto de saúde de Bangu.Os moradores dizem que procuram por atendimento, mas não encontram. Segundo eles faltam médicos e medicamentos no Posto de Saúde Athayde José da Fonseca.


4. Falta de transportes é um dos maiores problemas da Cidade de Deus.


5. Buracos em Sepetiba faz empresas de ônibus pararem circulação. As duas empresas de ônibus que atendem ao bairro pararam de funcionar, alegando que os veículos não têm condições de passar pelas ruas.


6. Má conservação de poste põe a vida dos moradores de Inhaúma em risco.


7. Ato contra violência estende uniformes manchados de PMs em praia.


8. Conjunto Habitacional João Saldanha: Os moradores reclamam dos buracos nas ruas, da iluminação precária e da má qualidade da água que sai na torneira das casas do conjunto.


Esses fatos e essa atitude de César Maia estão se transformando em mais uma decepção entre os eleitores, pois o ex-prefeito, em se primeiro mandato, tinha fama de bom administrador e politico sério, cotado até para participar do processo da sucessão de Lula. Mas tudo indica que ele é mais um que está "se lixando" para o que pensa o eleitor.