Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

31 de março de 2010

Reforma tributária é algo urgente

Continua a discussão, agora no Senado Federal, sobre a distribuição dos royalties do petróleo. Estamos ainda sob o impacto da emenda do deputado Ibsen Pinheiro, que causou as mais variadas formas de protesto por parte de políticos e da população do Estado do Rio de Janeiro, uma vez que, aprovada tal emenda, a perda de recursos nas finanças do Estado serão muito grandes. Daí a constante gritaria, em especial do governador Sergio Cabral, pois se aprovada a lei com a emenda de Ibsen, as perdas começam a partir da vigência da lei;

Sabe-se que a atual forma de distribuição dos roytalties foi estabelecida tendo como justificativa o fato de que cerca de 80% da produção total acontece na costa dos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Os deputados que aprovaram a emenda Ibsen alegam que o mar e brasileiro e que a distribuição deve ser para todos os estados. Há, no entanto, quem defenda o fato de que a atual forma de distribuição não pode ser modificada, por trata-se de direito adquirido pelo RJ e ES;

Quando da elaboração da atual Constituição, existia na Assembléia Constituinte um grupo chamado de Municipalista. O grupo reivindicava que no capítulo referente a impostos e demais tributos fosse adotada a "pirâmide invertida", com os municípios recebendo uma fatia dos impostos maior do que os estados, e este, maior que a União. Alegavam que era algo assim que acontecia nos Estados Unidos e utilizavam como lema que "o povo mora no município" e que estados e União eram entes administrativos, devendo caber à prefeituras a maior fatia de recursos para que pudessem prover os cidadãos dos equipamentos e serviços que hoje ainda lhe faltam;

Talvez se esta fórmula tivesse sido adotada em 1988 não estivesse havendo a discussão de hoje. As cidades estariam recebendo o que lhes fosse de direito, com a população de cada uma cobrando de seu prefeito e imediata realização de obras e implantação de serviços para a comunidade. Aos estados caberia, por exemplo, cuidar das obras que fossem comuns a mais de uma cidade, enquanto que a União cuidaria do que dissesse respeito a mais de um Estado;

Hoje, tudo isso não passa de utopia. A cada dia que passa, o Governo Federal quer mais dinheiro para, como agora acontece, ficar "inaugurando" obras que deveriam caber às prefeituras. Do mesmo modo, os governadores dos estados querem mais recursos para terem como mostrar serviço. E, pior ainda, vêm os gastos com publicidade institucional, algo a nosso ver indispensável, pois a maior propagando que pode haver de uma obra é ela própria e os benefícios dela advindos;

Diante de tudo isso, não dá mais para esperar que se faça o quanto antes uma reforma na legislação tributária, porém a partir do ano que vem, com o novo Congresso Nacional, tanto pela falta de tempo hábil, como pela "qualidade" de seus atuais integrantes.

30 de março de 2010

Está faltando só o azulejo!

Nada expressa melhor as casas entregues por Lula - em companhia de Dilma, é óbvio - do que esta charge do Sponholz:

"Me engana que eu gosto"

29 de março de 2010

O Congresso Nacional precisa ser depurado

Para quem conhece como funciona a coisa, o Projeto Ficha Limpa, de iniciativa do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), o PLP 518/09, entra na pauta no dia 7 de abril e o presidente da Câmara cumpre sua palavra de que tomaria tal atitude diante de um projeto com mais de um milhão e meio de assinaturas. Depois, entraves regimentais levam a discussão mais para frente e aí... Passam-se as eleições e o projeto, se aprovado, vigorará somente para o pleito de 2012 em diante, ou seja, atinge candidatos a prefeito e vereador, com a lei somente atingindo os atuais congressistas daqui a quatro anos;

Em sã consciência, ninguém admite que o Congresso Nacional, que andou na crista da onda das notícias de passagens aéreas,distribuídas à rodo, horas extras pagas em recesso, atos administrativos secretos, mordomias mil e outros escândalos vá se esforçar por aprovar uma lei que lhes cause embaraços para tentar a reeleição, ainda mais com a enorme lista de deputados e senadores comprovadamente de fichas sujas na Justiça, com ações que vão desde endereço falso para tirar título de um eleitor até crime de homicídio;

Assim, se alguma coisa vier a ser aprovada, mesmo que para valer em 2012, já é para agradecer aos céus pela boa nova, uma vez que a partir da escolha de novos vereadores e prefeito comece a depuração dos políticos, pois do modo como andam não dá mais para suportar. Ganham altíssimos salários, dispõem de variadas mordomias, trabalham muito pouco, quando legislam quase sempre é em proveito próprio, se vemdem por qualquer liberação de verba de suas emendas ao Orçamento ou por indicação de nomes para cargos comissionados, permitindo o Chefe do Executivo governar por medidas provisórias, apagando a importância que o Parlamento deveria ter;

Então, vamos continuar pressionando para que a iniciativa do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoralalcande seus objetivos, pois além dos que assinaram o projeto, milhões de brasileiros esperam uma depuração significativa do Congresso Nacional, que já pode começar este ano, com o povo não reelegendo aqueles que tenham suas fichas sujas.

26 de março de 2010

Bolsa Copa é assunto para a CBF

Me considero um desportista no sentido real da palavra. Tenho TV por assinatura e na maior parte dos dias o receptor está sintonizado num dos canais de esportes. Assistimos até curling nas Olimpíadas de Inverno e badmington nos Jogos Olímpicos. Mas o futebol certamente é o carro chefe. Na minha casa tem gente assistindo jogos desde os campeonatos regionais até Copa do Mundo, passando pelos campeonatos da Itália, Espanha, Portugal, França, Rússia e o que mais aparecer. No entanto, não há como concordarmos com mais esse pacote de bondades do Lula, que é a Bolsa Copa, destinada a premiar campeões mundiais de futebol das copas de 1958,1962 e 1970;

Já começa aí um discriminação. Qual a razão de ficarem de fora os campeões de 1994 e 2002? Todos são tão campeões como os outros. Acontece que em verdade não tem nenhum cabimento esse privilégio para os campeões de futebol. E os campeões mundiais de outras modalidades, como ficam? Se entre os campeões das três primeiras copas há jogadores em dificuldades financeiras ou doentes ou, no caso dos já falecidos, se há familiares também passando necessidades, não cabe a eles serem ajudados com dinheiro público, coincidentemente em ano de eleições;

Talvez muita gente não saiba, mas uma das entidades brasileiras de maior poderia financeira é exatamente a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que acumula fortuna arrecadando dinheiro, por exemplo, de todas as rendas de jogos de futebol promovidos por ela, pelas federações estaduais e pelas ligas municipais. Então, eis de onde deveria estar saindo a ajuda aos campeões ou não, em especial aqueles que jogaram na Seleção Brasileira, prestando serviços à CBF;

Vê-se, claramente, que o projeto de Lula nada mais é do que fazer média com a torcida brasileira, numa autêntica "jogada de arquibancada", utilizando o sentimento de pena a gratidão da "torcida" visando transformar isso em votos para sua candidata. Quando o Congresso tenta melhorar os salários dos aposentados, que crescem igual a rabo de cavalo, para baixo, Lula diz que falta dizer de onde virão os recursos. Todavia, para fazer graça eleitoreira, o dinheiro aparece;

Que alguém avise à CBF que tem campeões do mundo ou seus familiares precisando de auxílio. Dinheiro não falta por lá.

    25 de março de 2010

    Um retrato do nosso país

    Recebi e-mail de um amigo me repassando texto de autoria da jornalista Delis Ortiz, que a seguir transcrevo por entender que o mesmo retrata um quadro de a quantas anda o comportamento dos cidadãos brasileiros, que tomam para si como exemplo o comportamento da esmagadora maioria dos políticos de nosso país:
      Outro dia, ao chegar ao Rio de Janeiro, tomei um táxi. O motorista, jeito carioca, extrovertido, foi logo puxando papo, de olho no retrovisor.
      - A senhora é de Brasília, não é?
      - Sim - respondi.
      - É, eu a reconheci.
      E como é que a senhora aguenta conviver com aqueles ladrões lá do Planalto Central?
      Não deve ser moleza.
      O sujeito disparou a falar de políticos, do tanto que eles são asquerosos, corruptos... Desfiou um rosário de adjetivos comuns à politicagem nacional.
      Brasília é o palco mais visível dessas mazelas e nem poderia deixar de ser. Afinal, o país inteiro olha para lá.
      O taxista era só mais um crítico, aparentemente atento.
      E ele sabia dar nomes aos bois que pastavam tranquilamente no orçamento da união, que se espreguiçavam impunemente sob a sombra da imunidade parlamentar ou de leis feitas em benefício próprio. E que, de tempos em tempos, se refrescavam nas águas eleitoreiras.
      O carro seguia em alta velocidade; a distância parecia esticada.
      Vi uma bandeira três em disparada.Lá pelas tantas, quando já estávamos dentro de um segundo túnel escuro, o condutor falante sugeriu um “dia sem corrupção”.
      - Já pensou - disse ele - se uma vez por ano esses homens não roubassem? 
      - Interessante - a exclamação me escapou aos lábios. 
      - Sim - continuou entusiasmado -, seria uma economia e tanto.
      Nessa hora, me dei conta de que estávamos percorrendo o caminho mais longo para o meu destino. Chegava a ser irracional a quantia de voltas para acertar o rumo. Deixei.
      - Os economistas comentam - tagarelava ele - que somos um país rico. Não deveria existir déficit da previdência, os impostos nem precisariam ser tão altos, o serviço público poderia ser de primeira.
      O problema é que quanto mais se arrecada, mais escorre pelo ralo, tamanha a roubalheira. Tão observador, será que ainda se lembrava em quem tinha votado para deputado ou senador na última eleição?
      Fiz a pergunta e, depois de algum silêncio, a resposta foi não. Pena.
      Caímos num engarrafamento, cenário perfeito para aquele juiz de plantão tecer mais comentários sobre o malfeito. 
      - Veja como são as coisas, os riquinhos ociosos da Zona Sul, que deveriam pensar em quem tem pressa, acham que são os donos do pedaço e vão embicando seus carros, furando fila, costurando de uma faixa a outra, querendo levar vantagem.
      A gente, que é motorista de táxi, tem que ficar atento, porque os guardas estão de olho, qualquer coisinha eles multam. Mas eles fazem vista grossa para as vans que transportam pessoas ilegalmente.
      Elas param onde querem, estão tomando os nossos passageiros. Como não tem ônibus para todo mundo e táxi fica caro,muita gente prefere ir de van.
      Por falar em “caro”, a interminável corrida já estava me saindo um absurdo...
      Resolvi pontuar algumas coisas.
       - Por que o senhor escolheu o caminho mais longo?
       Ele tentou se justificar:
      - É que eu estava fugindo do congestionamento. 
      - Mas acabamos caindo no pior deles - retruquei.
      E por que o senhor está usando bandeira três se não tenho bagagem no porta-malas nem é feriado hoje? - continuei questionando.
      Ele disse que estava na três para compensar a provável falta de passageiro na volta.
      Claro que não, eu sabia. 
      Finalmente, consegui chegar ao endereço pretendido. Fiz mais um teste com o “probo” cidadão: paguei com uma nota mais alta e pedi nota fiscal. Ele me devolveu o troco a menos e disse que o seu talão de notas havia acabado.
      - Veja como são as coisas, seu moço - emendei. O senhor veio de lá aqui destilando a ira de um trabalhador honesto. No entanto, se aproveitou do fato de eu não saber andar na cidade, empurrou uma bandeirada, andou acima da velocidade permitida, furou sinal, deu voltas, fingiu que me deu o troco certo e diz que não tem nota fiscal!
      O brasileiro esperto quis interromper, mas era minha vez de falar. 
      - O senhor acha mesmo que ladrões são aqueles que estão em Brasília? Que diferença há entre o senhor e eles?
      Eu sabia que estava correndo risco de uma reação violenta, mas não me contive. Os “homens” do Planalto Central são o extrato fiel da nossa sociedade. Quantos taxistas desse porte vemos dirigindo instituições?Bons de discursos... Na prática...
      Desembarquei com a lição latejando em mim.
      Quantas vezes, como fez esse taxista, usamos espelho apenas como retrovisor para reter histórias alheias?
      Nossas caras, tão deformadas, tão retocadas, tão disfarçadas, onde estão?
      Onde as escondemos que não aparecem no espelho? 
      Sem a verdade que liberta, jamais estaremos livres de nós mesmos. 
      Ainda sonho com um Brasil de cara nova...
      • Delis Ortiz é jornalista, repórter especial da TV Globo, em Brasília. É mãe de Brenda e Bianca, e avó de Gabriel e Stella.

      23 de março de 2010

      Governo só tem notícias "interessantes"

      De uns dias para cá, 'O Globo' está muito menos "chapa branca" do que antes aparentava. Ao contrário, tanto o jornal com a TV Globo não têm sido muito generosos com o Governo, apontando falhas, incoerências e até sinais de falcatruas praticadas pelo Executivo, além de apontar tudo que tem sido feito com objetivos eleitoreiros buscando alavancar a candidatura de Dilma Rousseff, escolhida por Lula para ser sua sucessora e até chamada de atual principal meta de seu governo;


      Hoje, na página 9, o jornal noticia que Lula baixou decreto estendendo aos ocupantes de cargos em comissão o pagamento de vale-combustível, de R$ 17 reais diários em caso de uso de carro particular em serviço. Anteriormente, o benefício era somente para funcionários efetivos. Com o decreto, cerca de seis mil comissionados (é claro que a maioria é de militantes do PT) serão ressarcidos se o chefe imediato comprovar que o veículo do servidor foi utilizado em serviço. Em ano de eleição, a medida é bem sugestiva. Vai ser um tal de chefe atestar que seu subordinado necessitou usar seu carro "a serviço", mesmo que tenha sido para comparecer a alguma "inauguração";

      Mais uma! O ministro Paulo Vannuchi, aquele do Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3), chegou a fazer uma licitação para colocar uma cama especial em seu gabinete, no valor de R$ 479, por ter problema com hérnia de disco, para poder repousar à vontade. A cama, com espuma revestida de poliuretano e tecido 50% poliéster e 50% algodão, antiácaro, antifungo e antialérgico não chegou a ser paga, pois diante da grita depois que a licitação foi descoberta, acabou sendo cancelada por Vannuchi;

      Na edição de hoje aparece uma matéria que é uma clara crítica a mais uma "inauguração" de Lula, obviamente com a presença de sua candidata. O título da matéria é "Lula e Dilma inauguram obra sob suspeita", acrescentando no subtítulo: "Trechos da ferrovia Norte-Sul, que serão visitados hoje em Tocantins, têm indícios de sobrepreço, segundo o TCU". Como se sabe, Lula é contrário à paralisação de obras determinada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), quando este aponta irregularidades principalmente quanto aos preços das obras, constantemente superfaturados. Lula acha que deve pagar a obra e depois receber das empreiteiras o que foi pago em excesso. O negócio é "inaugurar" a obra ao lado de Dilma;

      Na mesma página (10), aparece uma notícia menor: "Amigos de Lulinha sob sigilo", informando que o governo federal se recusou a fornecer a lista dos nomes dos amigos de Fábio Luiz Lula da Silva, filho de Lula, que pegaram carona num voo da FAB, em 9 outubro do ano passado. A negativa foi do ministro da Defesa, Nelson Jobim, a um pedido de informações de um deputado do PSDB. Jobim não enviou a relação nem disse quantos viajaram no avião oficial. Jobim alegou que como o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles estava no voo, cabe a ele dar a informação;

      Ainda na página 10, 'O Globo' relata que o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, aquele do Bancoop, que teria desviado recursos da cooperativa que presidia para campanhas do PT, teve seu depoimento da CPI das ONGs adiado a seu pedido, demonstrando que os petistas querem adiar o quanto possível as informações que poderão afetar a candidatura de Dilma Rousseff, uma vez que Vaccari está designado para a ser o tesoureiro de sua campanha;

      Aguardemos, então, as boas "notícias" de amanhã.

        20 de março de 2010

        Serra confirma: entra na "pista" em abril

        Finalmente, José Serra declarou-se candidato a presidente da República, ou melhor, ele afirmou que em abril vai sair em campanha à sucessão de Lula. Isso quer dizer que ele vai para a "pista" para concorrer com Dilma Rousseff, que não mais teria seu chefe carregando-a no colo pelos palanques oficiais armados para ela com inaugurações, visitas a obras, lançamentos de pedras fundamentais, além de reinaugurações e outros eventos destinados a mostrar a candidata do presidente ao Brasil. Com esse tipo de expediente, Dilma atingiu 30% de intenções de votos de acordo com a última pesquisa do Ibope;

        Graças a sua vinculação à pessoa mais popular do Brasil, Dilma Rousseff é dos candidatos o que no momento disputa com José Serra a preferência do eleitorado. É de se notar que mesmo em estar abertamente em campanha e com a candidata de Lula subindo 13% entre uma pesquisa e outra, José Serra nunca saiu do primeiro lugar. Por isso, a partir da campanha eleitoral propriamente dita é que vai ser possível avaliar-se o potencial da candidata do Governo, pois ela vai enfrentar três candidatos acostumados a campanhas eleitorais, experiência nunca antes vivida por Dilma;

        Nos meses de abril e maio, todos serão pré-candidatos, mas a partir de junho, Serra, Dilma, Marina e Ciro, além de alguns outros candidatos "nanicos" estarão de modo efetivo em campanha, e no caso de Dilma, sem a presença a concorrência direta da presença de Lula com suas inaugurações. Quando chegar a fase dos debates, principalmente os realizados na televisão, acontecerá a maior teste para estreantes como Dilma. A experiência dos três principais adversários da candidata de Lula poderá fazer um novo panorama nas pesquisas feitas em seguida;

        Quanto ao "plebiscito" pretendido por Lula para através de sua candidata comparar seu governo com o de Fernando Henrique Cardoso, José Serra já começou a desmontá-lo num recado muito claro. Ele não vai concorrer contra Lula, não pensando no passado, mas tentando passar para o eleitorado quem deve ter mais condições de cuidar do futuro do Brasil, que é o que deve interessar aos brasileiros, ou seja, qual dos candidatos terá mais condições para cuidar do Brasil, dando continuidade ao que esteja sendo positivo e criando novas alternativas para se alcançar melhores condições de vida;

        Vamos, pois, aguardar a largada da corrida, quando cada piloto (candidato) estará segurando o volante de sua própria campanha, sem a existência de ventríloquos carregando bonecos e falando em nome deles. Vai ganhar a corrida quem convencer o eleitorado de que tem melhores qualidades para cuidar do Brasil e dos brasileiros nos próximos quatro anos.

        19 de março de 2010

        Royalties: A grande falha de Lula

        Está bastante interessante a coluna de Miriam Leitão na edição de hoje de ‘O Globo’, com o título “Falha de líder”. Em seu comentário, Miriam afirma que “o presidente Lula foi inadequado, mais uma vez. Ao contrário do que ele diz, o problema dos royalties do petróleo não é apenas do Congresso. Foi ele, Lula, que enviou os projetos de lei para mudar o regime de exploração, foi o seu gabinete que decidiu o novo modelo e quis a redução dos impostos dos estados produtores. No Congresso, as “gracinhas de ano eleitoral”, como ele diz, nasceram da sua omissão. O resto surgiu naturalmente do oportunismo de alguns, como o deputado Ibsen Pinheiro”;

        Mais adiante, a jornalista lembra que “se a Federação está dividida, é assunto do presidente, óbvio; se a divisão é em torno de um projeto que nasceu de uma gracinha eleitoral do governo, o presidente tem trabalho a fazer". Ela considera ser cômico que Lula queira ser mediador do conflito do Oriente Médio, “assunto entregue às grandes potências desde sempre, enquanto no Brasil os estados se acusam e se dividem, e as populações se mobilizam. E tudo que Lula tem a dizer é que a bola é do Congresso”;

        Ela chama a atenção para a pergunta feita pelo presidente Lula: “por que essa pressa agora, se o assunto é para 2016?” Miriam Leitão responde: “Ora, a bola pode ser devolvida a ele: por que a pressa? Por que o pedido de urgência? Porque foi o governo que decidiu apressar uma discussão que tinha que ser amadurecida, quando colocou de afogadilho, e de olho em dividendos eleitorais, a mudança do regime de exploração de petróleo no Congresso. Inicialmente, a proposta era só para futuros blocos a serem licitados no pré-sal. Só então é que os estados produtores perderiam uma de suas fontes de receita, a participação especial. Depois, passou-se a incluir as áreas já licitadas nesta decisão de não dar mais participação especial aos estados produtores”;

        Miriam Leitão esclarece que a emenda Ibsen é mais abrangente e estabelece que para toda a produção de petróleo, a partir da sua promulgação, os royalties passam a ser divididos com todos os estados. Portanto, engana-se quem pensa que o assunto é para 2016. A diz mais: "Ele foi trazido ao tempo presente. Sua aplicação será imediata se a emenda for aprovada. O regime de concessão, que vigora há mais de dez anos, conseguiu feitos extraordinários, como o de aumentar os lucros da Petrobras muito mais do que a alta do petróleo no período. De 1997 para cá, os preços do petróleo subiram 200% e os lucros da Petrobras até 2008 subiram 943%, segundo a comparação feita pelo Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). Os dados do balanço de 2009 só vão sair hoje. Neste período, aumentou a arrecadação de impostos do petróleo, a entrada de capital estrangeiro, e quase dobraram as reservas do Brasil. Não há explicação para que o governo decida mexer no modelo que deu certo até agora, fortaleceu a empresa brasileira, fez com que 70 empresas nacionais e estrangeiras viessem investir na área";

        E Miriam conclui: "É papel do presidente da República do Brasil mediar um conflito dessas proporções na Federação. Se os estados se desentendem, a fratura se aprofunda, é a União que pacifica, e por isso tem o nome que tem". Sugiro, então, que leiam o artigo na integra, pois ali fica demonstrado o quanto Lula tem a ver com possíveis futuros prejuízos para o Estado do Rio de Janeiro e seus municípios.

        Serra e Dilma vão para a "pista" em abril


        O Ibope divulgou nesta quarta-feira pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) sobre as intenções de voto para presidente da República. Nela, José Serra (PSDB), tem 35%, contra 30% de Dilma Rousseff (PT). Aparecem ainda Ciro Gomes (PSB-CE), com 11% e Marina Silva (PV-AC), com 6%. Comparando com pesquisa anterior, divulgada em dezembro, a diferença Serra e Dilma diminuiu de 21% para 5%. Em dezembro, Serra tinha 38% das intenções de voto, contra 17% de Dilma Rousseff, ficando Ciro Gomes com 13%, e Marina Silva, com 6%;

        É lógico que essa subida de Dilma trouxe euforia entre os governistas, pois a ministra apresentou um crescimento de 13% num espaço de pouco mais de dois meses. No entanto, segundo analistas, tal crescimento tem uma explicação, pois a candidata de Lula é a única que está escancaradamente em campanha, enquanto os demais – José Serra em especial – ainda não se lançaram oficialmente como já ocorreu com Dilma por parte do PT. José Serra tem até aborrecido alguns membros do PSDB por ainda não ter saído às ruas pedindo votos, optando por manter-se à frente do Governo de São Paulo até o final deste mês;

        Dilma e Serra podem ser comparados a dois carros de corrida. O de Serra ainda está nos boxes, apenas com os motores ligados. Já o carro de Dilma vem dando voltas na pista, sendo visto pela platéia e ainda trazendo de carona o homem mais popular do país, dizendo para o público que aquele é o carro de sua preferência para vencer a corrida. O grande problema é que a corrida está para começar. Serra dentro de pouco tempo vai entrar no cockpit e pisar no acelerador, bem Dilma terá que dirigir seu carro sozinha;

        Ainda de acordo com analistas, Dilma teria atingido o patamar de transferência de votos por parte de Lula. Todavia, Serra mesmo assim, sem entrar em campanha aberta como Dilma, sempre esteve à frente nas pesquisas de intenção de votos. Observam que mesmo com o crescimento dos percentuais de Dilma e do número daqueles que sabem ser ela candidata, além dos que se declaramos capazes de votar num candidato de Lula, na simulação do Ibope para um segundo turno José Serra aparece com 44% contra 39% de Dilma;

        Vê-se, portanto, mais uma vez que por mais que Lula utilize a máquina do Governo para apoiar Dilma e que ela cresça, tanto Ciro Gomes como Marina Silva e mais os candidatos “nanicos” vão dividir o eleitorado provocando o segundo turno e que tais eleitores também serão decisivos ao se redistribuírem entre os dois na “segunda chamada”. Por tudo isso, observa-se que o “plebiscito” que tanto Lula quer também poderá ser favorável a Serra em face da inexperiência de Dilma em campanha eleitoral;

        Certamente muita coisa interessante vai acontecer a partir de abril, quando todos pilotos estiverem com seus os carros na pista em busca da subida no degrau mais alto do pódio.

          17 de março de 2010

          Lula, você é o cara!


          Você é o cara que esteve por dois mandatos à frente desta nação e não teve coragem nem competência para implantar reforma alguma neste país, pois as reformas tributárias e trabalhistas nunca saíram do papel, e a educação, a saúde e a segurança estão piores do que nunca.

          Você é o cara que mais teve amigos e aliados envolvidos, da cueca ao pescoço, em corrupção e roubalheira, gastando com cartões corporativos e dentro de todos os tipos de esquemas.

          Você é o cara que conseguiu inchar o Estado brasileiro com tantos e tantos funcionários e, ainda assim, fazê-lo funcionar pior do que antes.

          Você é o cara que mais viajou como presidente deste país, tão futilmente e à nossa custa.

          Você é o cara que aceitou todas as ações e humilhações contra o Brasil e os brasileiros diante da Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai e outros.

          Você é o cara que, por tudo isso e mais um monte de coisas, transformou este país em um lugar libertino e sem futuro para quem não está no grande esquema.

          Você é o cara que transformou o Brasil em abrigo de marginais internacionais, negando-se, por exemplo, a extraditar um criminoso para um país democrático que o julgou e condenou democraticamente.

          Você é o cara que transformou corruptos e bandidos do passado em aliados de primeira linha.

          Você é o cara que está fazendo do Brasil um país de parasitas e vagabundos, com o Bolsa-Família, com as indenizações imorais da Bolsa-Terrorismo, com o repasse sem limite de recursos ao MST, o maior latifúndio improdutivo do mundo, abrigo de bandidos e vândalos, que manipulam alguns verdadeiros colonos.

          É, Lula! Você é o cara...

          É o cara-de-pau mais descarado que o Brasil já conheceu.

          Você é o cara que deveria apanhar na cara, de todo brasileiro honesto e trabalhador.

          Caio Lucas

          Não sei quem é Caio Lucas, nem por quais vias este seu escrito admirável veio parar no meu e-mail. O que não posso é deixar de repassar sua mensagem, na qual os devotos do nosso presidente encontrarão a avaliação objetiva de seus arrebatamentos retóricos de bravatas compulsivas.

          Lula e Dilma detestam a imprensa


          Muita gente tem falado e escrito sobre o que pode vir a acontecer com uma possíveleleição de Dilma Rousseff, principalmente no que se refere aos possíveismétodos esquerdizantes que possam vir a ser adotados em razão do passado deguerrilheira da candidata de Lula, bem como também por suas posições atuais, em especial pelo seu apoio, direto ou por omissão, ao famigerado Programa Nacionalde Direitos Humanos, o PNDH3, que tanta celeuma causou (e ainda causa) principalmente àqueles de são realmente democratas;

          No entanto, muitas coisas que têm sido ditas e feitas por Lula nos últimos dias podem ser um prenúncio de que algo venha a ser adotado, em forma de lei, em face da grande maioria de que o presidente dispõe no Congresso Nacional, especialmente na Câmara dos Deputados, cuja arrasadora maioria vota no que o Governo bem quiser, bastando para isso acenar com liberação de verbas das famosas emendas ao Orçamento, ainda mais em ano de eleições. Com isso, muita coisa absurda do tal PNDH3 se transformaria em lei;

          Agora mesmo, quando vem ao conhecimento do público as possíveis falcatruas do Tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, quando presidente do Bancoop, com uma enorme quantidade de cooperados "levando beiço" sem receber imóveis no prazo e sem saber quando - até Lula não recebeu seu triplex de frente para o mar de Guarujá -, com evidentes indícios de que houve dinheiro da cooperativa sendo desviado para reforçar a campanha do PT e o bolso de alguns, a imprensa é acusada de estar informando as maracutaias a serviço de partidos oposicionistas;

          Isto pode ser um sinal de que aquilo que o PNDH3 chama de "controle social da mídia", que nada mais é do que uma forma de censura pode estar a caminho. O presidente do PT, José Eduardo Dutra, por exemplo, afirmou claramente que a divulgação das falcatruas do Bancoop é uma espécie de “guerra de Extermínio da mídia burguesa contra o partido”. Isso é sintomático quando vemos o guru de Lula, Hugo Chávez, tirando do ar TVs que fazem críticas ao seu governo, bem como tirando de circulação quase 40 jornais pelo mesmo motivo. O coronel venezuelano acaba de dizer que é necessário controlar até a Internet; Transcrevo trecho de um artigo do jornalista Guilherme Fiuza na revista 'Época' desta semana: "Lula e Dilma estão fazendo sua parte. Em recente comício na Favela da Rocinha - ou seria melhor não dizer comício, porque eles ficam zangados -, o presidente disse aos pobres que a mídia só dá notícia ruim. Ou notícia que não existe. Nunca antes da história deste país se viu um presidente da República democraticamente eleito dizer ao povo que ele não deve confirmar na imprensa";

          Guilherme Fiuza diz ainda: "De fato, a imprensa brasileira anda muito estranha. Passou os últimos anos tentando descobrir quem é Dilma Rousseff, e não conseguiu. Alguma coisa está errada aí. Quem sabe a razão não está com o coronel Chávez, parceiro de Lula, que deixou de conversa mole e saiu censurando os veículos insensíveis a seu governo maravilhoso? É bem verdade que a Venezuela, com aquele petróleo todo, está indo para a ruína econômica, com a maior inflação do planeta. Mas isso é muito azar";

          Aí está o que pode vir a acontecer antes mesmo de Lula por acaso fazer sua sucessora. Preparem-se todos.

          12 de março de 2010

          Comparando Lula com Médici

          No final de seu mandato, o general-presidente Emilio Garrastazu Médici, mudou-se para um apartamento simples que comprou na Rua Júlio de Castilho, em Copacabana, Rio de Janeiro. Coincidentemente, a nova residência de Médici foi vendida por um ex-ocupante de cargo em comissão do quarto escalão do Governo, que tomou um baita susto quando ele apareceu com sua esposa para conhecer o imóvel, depois de marcar por telefone horário para conhecer o apartamento. Médici governou o Brasil por seis anos e mudou-se para um apartamento simples e usado;

          Agora, quase no final do mandato do torneiro mecânico-presidente Lula, a imprensa divulga que ele e sua esposa estão entre os cooperados do Banccoop vítimas de não cumprimento de contratos, por não ter recebido conforme contratado, o apartamento triplex numa cobertura em prédio de frente para o mar na praia de Guarujá, em São Paulo, no valor de mais de R$ 1 milhão. Nota-se aí uma grande diferença entre um e outro apartamento e presidente. Médici saiu do Poder e recolheu-se com sua mulher em uma residência simples. Já Lula, parte para o luxo onde pretende viver com sua "galega", como trata dona Marisa;

          O que se vê nessas comparações é que desde o episódio da aquisição do "Aerolula" nosso presidente tem dado demonstrações bem claras de que com ele vigora o velho ditado que diz: "Quem nunca comeu melado, quando come se lambuza". Com ele tudo é na base do luxo. Talvez muitos não se recordem dos lençois de linho egípcio para a residência oficial e nos carros importados utilizados por Lula e seus ministros, além de outras mordomias. E daí? A única coisa que podemos fazer e repetir o bordão daquela atriz no programa "Zorra Total" da TV Globo: "Tõ pagando"! Sim, nós é que pagamos esse luxo oficial;

          Mas essa história do futuro triplex de Lula parece que veio como castigo, pois o apartamento não tem prazo para ser construído, apesar de já estar esgotado o prazo de entrega. E a razão do atraso está na falta de recursos financeiros para o Bancoop dar andamento às obras, justamente por ter a cooperativa desviado dinheiro para financiar campanha eleitoral de Lula e do PT, quando era presidente da cooperativa o atual tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, João Vaccari Neto, coincidentemente (será?) designado para cuidar das finanças da campanha da candidata de Lula, a ministra Dilma Rousseff;

          Não se pretende a volta dos militares ao Poder, mas temos que tirar o chapéu para o comportamento de Médici, comparando-o com nosso deslumbrado "operário".

            7 de março de 2010

            Eleições 2010: Hora de trocar os políticos


            Estamos em mais um ano eleitoral - as eleições são de dois em dois anos -, mas em 2010 a eleição é ara Presidente da República, Governador, Senador, Deputado Federal e Deputado Estadual. Serão milhares de candidatos em 26 Estados e no Distrito Federal. No entanto, há algo que vem preocupando os eleitores: a qualidade dos políticos, com grande número deles frequentando mais o noticiário policial do que as notícias políticas. Parece que será a hora do eleitorado aproveitar a para fazer uma depuração geral;

            Há quem pregue a adoção do voto nulo, buscando uma mobilização nacional que alcance mais da metade do eleitorado, o que, segundo alguns juristas, provocaria uma nova eleição e sem que os candidatos pudessem concorrer novamente em face da rejeição dos eleitores. Isso, todavia, é discutível. A solução é votar, porém não reelegendo ninguém, promovendo a maior renovação de todos os tempos. Seria um recado muito bem dado aos políticos, uma verdadeira advertência de que o povo está cansado de tanta falcatrua e maracutaia;

            Esta semana ficamos sabendo que o casal Anthony e Rosinha Garotinho, ex-governadores do Rio de Janeiro, além de outros 86 réus acusados de participar de um suposto esquema de desvio de R$ 410 milhões terão até 15 dias para apresentar defesa por escrito à Justiça. O prazo começa a valer assim que os acusados forem notificados. Segundo investigações do Ministério Público, entre os anos de 2003 e 2006, período em que Rosinha era governadora do Rio, a Fundação Escola de Serviço Público (Fesp) movimentou mais de R$ 426 milhões. Os promotores responsáveis pelo caso afirmaram que já conseguiram rastrear R$ 58 milhões do total movimentado pela Fesp;

            De acordo com o inquérito, o dinheiro era proveniente de secretarias e órgãos estaduais para a suposta contratação de serviços de ONGs. A Secretaria de Saúde, que tinha na época como gestor o médico Gilson Cantarino, foi responsável por 46,36% desse repasse. O Instituto Vital Brasil, presidido por Oscar Berro, por 20%, o Detran, por 15%, e a maior parte do dinheiro teria ficado a cargo de quatro ONGs. Rosinha hoje é prefeita da cidade de Campos dos Goitacazes e Garotinho é pré-candidato a governador;

            Já com relação à candidata de Lula à sua sucessão, Dilma Rousseff, a revista "Veja" denuncia algo que  pode atingir em cheio a sua candidatura, se o promotor de Justiça de São Paulo José Carlos Blat  for atendido  pela Justiça, visto que pediu nesta sexta-feira (5) a quebra do sigilo bancário do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e o bloqueio das contas da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop). De acordo com o promotor, quando era presidente da cooperativa,Vaccari teria participado de um esquema de desvio de verbas para um suposto caixa dois do PT. Sabe-se que Vaccari será o tesoureiro da campanha da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência da República;

            Outro grande aliado de Lula, o senador José Sarney, presidente do Senado Federal, tem gente da família também entrando no noticiário. A notícia é que o governo chinês confirmou a movimentação de R$ 1 milhão em contas no exterior de Fernando Sarney, conforme informa reportagem publicada na edição deste domingo na “Folha de São Paulo”.Segundo o jornal, autoridades chinesas informaram que o valor teria sido enviado a uma conta do HSBC em Qingdao, na China, por meio de um paraíso fiscal. Ainda de acordo com a “Folha”, o valor não teria sido declarado à Receita Federal, o que poderia indicar que o dinheiro provém de atividades supostamente ilícitas da família Sarney;

            Como se recorda, em julho de 2009, o jornal "O Estado de São Paulo" informava que investigadores da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal, que integram a operação Faktor, haviam pedido auxílio às autoridades chinesas para levantar todas as informações sobre uma suposta remessa de R$ 1 milhão para a Ásia que teria ocorrido em 2008. O documento que autoriza a transação, reproduzido pela “Folha”, leva a assinatura de Fernando Sarney e, segundo o jornal, teve sua veracidade atestada pelo governo chinês;

            Ainda no Rio de Janeiro, sabe-se hoje que mais da metade dos integrantes da Assembléia Legislativo está às voltas com a Justiça, respondendo a processos que vão de improbidade administrativa a homicídio. Dos 70 deputados estaduais fluminenses, 37 têm um ou mais processos, dois deles liderando com 16 cada um. Vê-se, então, que está mais que na hora dos eleitores começarem a pensar em quem vão votar em 3 de outubro. Em boa hora o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estabeleceu que vai colocar na Internet a relação dos candidatos de todo o Brasil com "fichas sujas", um excelente "cardápio" para o eleitor escolher em quem não votar este ano.

              5 de março de 2010

              Sarney de volta?! Não faça isso, Lula!


              • A notícia mais comentada ontem foi a que se referia à possibilidade de Lula tirar licença para participar da campanha de sua candidata à sucessão, Dilma Rousseff. Seria algo que nunca antes havia acontecido no país, embora não seja inédito o presidente da República se esforçar para eleger seu sucessor. No entanto, caso Lula venha a se licenciar, seria um fato realmente inédito, pois o primeiro mandatário estaria, como se noticiou, afastado de suas funções por dois meses, transformando-se em cabo eleitoral de uma candidata;
              • É um direito que Lula tem querer que alguém de sua equipe dê continuidade aos seus projetos, bem como manter nos principais postos de comando aliados seus. Mas, se Lula tirar licença, ele também entraria para história como alguém conseguiu trazer Sarney de volta ao mais alto cargo do país. Como se recorda, o senador do Amapá/Maranhão chegou ao cargo de presidente sem ter sido eleito, pois era vice de Tancredo Neves, que morreu antes da posse. Há juristas que entendem ter sido ilegal a posse de Sarney sem que Tancredo tivesse sido antes empossado. Enfim, o cargo caiu no colo dele, e poderá acontecer de novo;
              • Como foi noticiado, tudo isso decorre do fato de que caso Lula tire licença, seu vice José Alencar não assumiria por ser provável candidato a governador ou senador por Minas Gerais. Também Michel Temer, presidente da Câmara, poderá ser o vice de Dilma ou candidato à reeleição. Sobraria, então Sarney, presidente do Senado e que está no meio de seu mandato de oito anos. Essa possibilidade - o mini-mandato de Sarney - é que provocou uma grita maior do que a licença de Lula. É certo que ele em apenas dois meses e interinamente, não conseguiria elevar a inflação aos 84% ao mês que passou para Collor;
              • Com tanta reação, o Planalto tratou logo de desmentir que Lula houvesse sequer cogitado tal licença. Essa é uma tática já conhecida. O balão foi ao ar mas foi logo recolhido. Não agradou. Parece-nos que quem mais se beneficiará dessa frustrada licença é a própria Dilma, por dois aspectos. Indiretamente ela estaria promovendo o retorno de Sarney. De modo mais direto, Lula estaria demonstrando ao eleitorado a fraqueza de sua candidata, ao ponto de depender dele para fazê-la conhecida pelo Brasil a fora;
              • Mas a licença seria um grande mico. Ela é totalmente desnecessária. Lula já está em campanha com Dilma há muito tempo sem que a Justiça Eleitoral o incomode. Pelo contrário, o TSE tem rejeitado sistematicamente qualquer tentativa de travar a pré-campanha que já existe há bastante tempo. Resta esperar a campanha para valer, quando todas as candidaturas estarão em campo, buscando voto a voto a vitória em 3 de outubro.

              2 de março de 2010

              Pesquisa Datafolha não define tudo


              Já há algum tempo que o ex-prefeito do Rio, César Maia, tem sido um analista positivo sobre pesquisas eleitorais, sempre emitindo opiniões acertadas sobre as mesmas. Na maioria das vezes, seus comentários demonstram ser conhecedor do assunto, comentando as mais recentes, comparando-as com anteriores, daí entendermos que não se trata de crítica, mas sim de estudos técnicos sobre o tema;

              Em relação à última pesquisa Datafolha, que mostra uma queda de José Serra (PSDB) e crescimento de Dilma Rousseff (PT), César Maia afirma em recente artigo que a mesma não traz nenhuma novidade. Segundo ele, Todos os cruzamentos e projeções em 2009 mostravam que Dilma cresceria na base da superexposição e companhia de Lula, e que chegaria, no início de 2010, aos 30%, de onde partiria a polarização com Serra. A pesquisa DataFolha sugere que o PSB não vai dar sustentação a Ciro Gomes, e que esse não será candidato. E que Marina (com programa de TV recente) será paisagem nessa campanha, que tende a ser decidida no primeiro turno”;

              César Maia explica mais: “O DataFolha (24-25/02) dá a Serra 38% das intenções de voto, a Dilma 31%, e a Marina 10%. O Ibope (6-7/02) deu a Serra 41%, Dilma 28% e Marina 10%. O Sensus (25-29/01) deu a Serra 41%, Dilma 29% e Marina 10%.  O Vox-Populi (14-17/01) deu a Serra 38%, Dilma 29% e Marina 8%. Portanto, tudo dentro rigorosamente da dita margem de erro. O óbvio e esperado crescimento de Dilma em pesquisas se deu no correr de 2009, pela superexposição e transferência possível de Lula”. Segundo ainda a análise dele, “Em 2010, o quadro está estabilizado. Elas por elas com Serra 40%, Dilma 30% e Marina 10%. O fato de Ciro e Dilma – quando se inclui Ciro – ficarem estacionados, é mais uma prova disso”;

              De acordo com o ex-prefeito carioca, “Curiosamente, o DataFolha diz que cresceu o percentual de eleitores indecisos na pergunta não estimulada: eles são hoje 58%, contra 47% no Datafolha anterior. E informa que a vantagem de Serra no Sudeste teria caído de 22 para 14 pontos. Isso ainda há que se comprovar na série, pois a margem de erro por região é pelo menos o dobro da nacional. Mas esse deve ser um alerta para Serra em Minas+Rio, que respondem por 20% do eleitorado”;

              César Maia conclui: “A aproximação no segundo turno da pesquisa DF só corrobora que a eleição será mesmo plebiscitária e tende a ser decidida no primeiro turno, sem Ciro, claro. Quando o eleitor se aperceber disso, fará o voto útil ainda no primeiro turno, minimizando a intenção de voto em Marina”;

              Pode-se concluir da leitura da análise do dirigente do DEM que muita coisa está ainda por acontecer, mas fica um alerta para o PSDB de que é necessária uma definição da candidatura de José Serra o quanto antes, pois não deve ser minimizado o grande palanque oficial de que dispõe a candidata de Lula.