Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

29 de outubro de 2015

O caos na saúde pública fica a cada dia maior

  • Diariamente a mídia nos apresenta cenas dramáticas que demonstram a péssima qualidade da saúde pública no Brasil. O inacreditável é que não aparece nenhuma autoridade se solidarizando com as vítimas desse descaso e muito menos providenciando de imediato investimentos nos hospitais públicos. Como é comum nos últimos doze anos de governos petistas, não são nomeadas pessoas competentes para gerenciar a Saúde, mas sim 'companheiros' para terem um bom emprego;
  • Os hospitais estão bastante sucateados. Pacientes são atendidos, quando são, em macas nos corredores e salas de espera, e muitas vezes no chão. Há também os casos de falta de médicos, remédios com data de validade vencida. Outro descalabro são os aparelhos sem manutenção por falta de pagamento. Acrescente-se a tudo isso as filas de pacientes à espera de uma cirurgia, muitas vezes de urgência, que por causa dessa situação não são efetivadas;
  • Enquanto isso, a presidente Dilma fica fazendo cara de paisagem, cuidando de administrar as crises que ela mesma provocou. Quanto ao povo, aqueles que não têm problemas de saúde ficam assistindo as notícias sobre corrupção e enriquecimento de políticos, com direito a ver o ministro da Saúde soltando no ar a infeliz ideia de duplicação da alíquota da CPMF que o Governo quer de volta, mas que o povo com certeza não vai aceitar.

Lula, Dilma e o PT conseguiram estragar o Brasil

  • Muitos brasileiros acharam que estava na hora de se fazer uma mudança no quadro político do país. Em vista disso, o eleitorado resolveu mudar e fazer uma experiência mandando para o Palácio do Planalto alguém que significasse algo novo no cenário da política nacional. Então, depois de três tentativas, foi eleito Lula, um cidadão de origem humilde, semialfabetizado, fugindo do modelo de pessoa até ali utilizado para o exercício do cargo mais elevado do poder;
  • Acontece que Lula, depois de reeleito, se virou para eleger uma figura sem experiência política para que ele continuasse a indiretamente dirigir o país. Sendo assim, ele, Dilma e o PT conseguiram acabar com a esperança de milhões de brasileiros destruindo a economia. Utilizaram a política assistencialista, sempre pensando na eleição seguinte, na manutenção do poder;
  • Empresas estatais, como a Petrobras e os Correios, foram utilizadas para a obtenção de recursos para compra de apoio para o projeto de poder. Para piorar, insistiram em dividir o país no famoso 'nós contra eles'. Hoje, o brasileiro tem vergonha de sua pátria. Infelizmente, cerca de 55 milhões acreditaram nessa gente e o Brasil vive um de seus piores momentos;
  • Para culminar, hoje temos uma presidente e um vice sob investigação e um presidente da Câmara indiciado na Operação Lava-Jato com poderes regimentais para colocar em pauta projetos de interesse do país e também de dar andamento a pedidos de impeachment de Dilma, o que é uma vergonha. Enfim, estamos muito mal.

26 de outubro de 2015

A fase atual de Lula faz com que ele desabe no Ibope

  • Aumentou em um ano o número de pessoas que não votariam em no ex-presidente Lula de jeito nenhum. Segundo pesquisa do Ibope realizada entre os dias 17 e 21 deste mês e divulgada hoje, 55% dos entrevistados rejeitam o nome dele, quando no ano passado o índice era de 33%. Outros prováveis candidatos também sofrem grande rejeição por parte dos eleitores:José Serra (54%); Geraldo Alckmin (52%); Ciro Gomes (52%); Marina Silva (50%); e Aécio Neves (43%);
  • Perguntados sobre em quem votariam para presidente da República, os entrevistados apontaram um empate técnico entre Aécio Neves (42%) e Lula (41%). O pleito seria bastante apertado, porque em seguida aparecem Marina Silva (39%); José Serra (32%); Geraldo Alckmin (32%); e Ciro Gomes (20%). Dessa forma, já no ano que vem as eleições municipais mostrarão de modo bastante claro as forças que se comporão para 2018, sabendo-seque elas servirão para uma demonstrar as tendências e os acordos que serão feitos. Talvez seja a chance de um novo nome surgir para que se fuja da mesmice das últimas eleições.

Mandar matar os pais ou roubar milhões pode valer a pena

  • Na verdade, é bastante difícil as pessoas entenderem como funciona a Justiça no Brasil. Em meio às 'pedaladas' de todos os tipos praticadas por políticos, surge uma notícia que causa espanto. Com base no Código Penal Brasileiro, Suzane Richthofen, que mandou o namorado matar os pais dela, crime pelo qual foi condenada a 39 anos, passará ao chamado regime semiaberto. Esse filme já foi visto no caso do 'Mensalão do PT';
  • Esse crime, na opinião pública, é dos mais hediondos que possa ser praticado. Para ele, o certo seria a prisão perpétua. Mas a lei é assim, e aos juízes só cabe cumpri-la. Ao Congresso Nacional compete corrigir essa anomalia, mas a maioria dos parlamentares pensa neles mesmos, porque um dia - quem sabe? - poderá ser um deles atingido. Então, é melhor deixar como está;
  • As manchetes divulgam que finalmente voltou ao Brasil o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 12 anos e 7 meses de cadeia por sua efetiva participação no 'Mensalão do PT'. Mas a notícia informa também que Pizzolato pode ir para o regime semiaberto em 8 meses. Isso é porque o tempo em que ele esteve preso na Itália é descontado do total da pena, por atingir um sexto dela e ter bom comportado na cadeia;
  • Sobre o fato de ele ter fugido com documentos falsos, renomados juristas afirmam que isso não agrava a pena porque Pizzolato ainda não tinha sido preso. Traduzindo: ele fugiu da prisão e não da cadeia. Talvez caiba um outro processo. Para quem colaborou na compra de votos no Congresso com recursos do Banco do Brasil, envolvendo milhões de reais, pelo menos há uma punição: ele terá que indenizar o país com o valor gasto para sua extradição: R$ 170 mil. Não é para rir. Ele poderá ter dificuldade para isso, e será necessária uma 'vaquinha' dos petistas.

23 de outubro de 2015

Políticos tonteiam o povo, mas ele está reagindo

  • Está a cada dia sendo mais difícil o cidadão entender o que acontece no Brasil. O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, afirma, repetidamente, que não tem contas na Suíça, mesmo com a ampla divulgação de documentos mostrando que ele mente. Por quê, então, Cunha pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) o sigilo dos extratos enviados pelo Ministério Público daquele país? É impossível que eles sejam falsos;
  • Para deixar os cidadãos mais tontos ainda, o ministro do STF Teori Zavascki, considerado como 'petista', negou o pedido de Eduardo Cunha, que por sua vez tem se comportado como aliado da presidente Dilma travando e em alguns casos negando pedidos de impeachment em troca de maioria de votos que impeçam a cassação do seu mandato de presidente da Câmara;
  • De uma coisa o cidadão está começando a ter consciência: ele está atentos às manobras do tipo da praticada pelo relator da CPI da Petrobras e do esforço do Governo para aprovar a volta da CPMF, que servirá para pagar os prejuízos provocados pelas 'pedaladas fiscais', saindo do seu bolso. Pelo que se ouve nas ruas, a reação vai ser muito forte.

Surto de falta de memória se espalha no Brasil

  • As autoridades ligadas à saúde pública precisam pesquisar com urgência para descobrirem o tipo de vírus que está se espalhando no país, com maior incidência em Brasília, que afeta a memória das pessoas. O que tem de gente não se lembrando de nada está chamando a atenção. O fato é mais observado no Congresso Nacional, no Palácio do Planalto e entre os dirigentes do PT;
  • Diante das informações da Operação Lava-Jato sobre recebimento de propinas por políticos, o que chama a atenção é que todos negam. De nada adiantam fotos, vídeos e depoimentos de delações premiadas. Todo mundo nega, por mais que as evidências sejam bastante claras. Outra coisa que tem que ser investigada é se há um surto de loucura que só atinge os delatores, quando sabemos que mentindo na delação suas penas aumentam em vez de diminuir;
  • Um grande exemplo está no fato de que dois filhos de Lula, Fábio Luiz e Luiz Cláudio, dividiram o mesmo escritório com o empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente, que segundo depoimento do delator Fernando Baiano lhe pediu R$ 2 milhões para pagar uma dívida de uma nora de Lula. Tudo isso é veementemente desmentido. Alegam que não sabem de quem se trata, apesar de fotos e gravação de câmera de segurança;
  • Outra 'doença' que precisa ser curada é a miopia de grande parte da população, que não enxerga nada disso e ainda aplaude esses cínicos e pretende votar neles. Pelo menos, a cada dia aumenta o número daqueles que estão começando a ver com nitidez o quanto são utilizados para manter essa gente no poder. Está na hora de mandar todos para 'repousar' em casa, saindo da vida pública, recolhendo-se à privada (em todos os sentidos).

21 de outubro de 2015

O Brasil está em guerra? Para quê tantos caças supersônicos?

  • O Brasil acaba de comprar para a Força Aérea Brasileira (FAB) 36 caças supersônicos suecos do modelo Gripen ao custo de US$ 4 bilhões e 500 mil (cerca de R$ 18 bilhões). Seria isso tão necessário num momento de crise econômica e com o Governo tendo necessidade de cortar verbas para programas sociais e educacionais, entre outros? Por acaso o país está em guerra e sendo ameaçado de invasão? Isso acontece no momento em que há a possibilidade de um corte de R$ 10 bilhões no programa Minha Casa Minha Vida. no Orçamento da União para 2016, valor menor que o gasto com os 36 aviões;
  • A presidente Dilma foi à Suécia e fez seu marketing deixando-se ser filmada e fotografada na cabine de um jato. Só faltou dar uma voltinha pedindo ao piloto que fizesse um looping para testar o Gripen. Para ela, o Brasil não está às voltas com tanta corrupção, o que ela negou diante dos suecos. Mais uma vez assistimos o Governo jogando dinheiro num negócio que foi armado no tempo do ex-presidente Lula, que sequer aceitou oferta menor na época, e pelos últimos fatos revelados pela Operação Lava-Jato, temos o direito de achar que de pensar que ele pode estar levando, ou já tenha levado, 'algum' por conta do lobby que fez em favor da empresa sueca;
  • Esses jatos será que poderão servir para transportar pessoas carentes para serem atendidas pelo SUS? Para patrulhar nossas fronteiras é certo que não serão utilizados. Afinal, é pelos países vizinhos dirigidos por 'companheiros' bolivarianos que entram no Brasil armas e drogas, comércio que faz parte do PIB daquelas nações. Só nos restas fazer um apelo aos delatores da Lava-Jato; se todos os dias a lista de políticos aumenta, não seria melhor que eles passem a apontar o que são honestos. Ninguém está levando nada a sério. Serão tão poucos, que os delatores poderão ter suas penas reduzidas em até 90%.

'CPI...ADA'

  • O título acima está na carta que Nelsimar Vandelli, do Rio de Janeiro, mandou para um diário fluminense, publicada na edição de hoje. É um texto daqueles que a gente gostaria de ter escrito:
  • "O relator da CPI da Petrobras merece prêmio especial: o Nobel de superação, imaginação criativa e fidelidade fanática ao ParTido, aos políticos e aos chefões. Cadeia para o juiz, delegados e agentes da PF, e empreiteiros que achacaram a estatal sem conhecimento das autoridades governamentais. Trancafie-se em Minas o jornalista que divulgou os 'malfeitos' da operação em que o governador estaria envolvido. Acredite-se que a corrupção não existe no governo Dilma. Se não no dela, em qual terá sido? No de seu predecessor? Ainda no século XX? Ou vem do descobrimento? Terá sido após a proclamação da República? Ou 'isso é coisa de militares e oposicionistas golpistas'? Os lúcidos idiotas, entre os quais me incluo, aguardam um pronunciamento mais sério, que não seja um desrespeito à nossa inteligência";
  • Amigo Nelsimar, onde é que eu assino? Sei de muita gente que também gostaria de fazer o mesmo. Somos daqueles que não querem ser chamados de idiotas como eles pensam que somos.

20 de outubro de 2015

'CPIzza' da Petrobras é do tamanho família (do PT)

  • Depois de oito meses de funcionamento para investigar as falcatruas reveladas pela Operação Lava-Jato, o relator da CPI da Petrobras, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) apresentou um parecer final no qual isenta políticos de qualquer responsabilidade nos desvios de dinheiro da estatal para distribuição de propinas, até mesmo o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, apesar da documentação provando que ele tem contas não declaradas na Suíça;
  • O relator da CPI foi mais longe. Juntamente com os 62 políticos envolvidos na Lava-Jato, ele também fez questão de isentar o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff. O deputado Luiz Sérgio também se superou ao afirmar que não indiciava nenhum deputado porque a CPI não é o Conselho de Ética para julgar parlamentares;
  • Diz o relator que a Petrobras foi vítima de empreiteiras, que se associaram a funcionários da empresa, e ainda fez ataques à Lava-Jato pelo 'excesso de delações', não deixando de fazer críticas à imprensa pelo que chama de divulgação seletiva;
  • Por fim, para dar um molho especial à pizza, ele não fez nenhuma referência aos dois ex-presidentes da estatal mais ativos na época dos desvios, José Sérgio Gabrielli e Graça Foster, e à então presidente do Conselho de Administração da empresa, Dilma Rousseff;
  • O relatório final da CPI propõe a abertura de inquérito contra delegados do Ministério Público Federal (MPF), acusando-os de vazamento de informações, ou seja, a Câmara ignora a mensagem e tenta matar o mensageiro. Mais uma vez debocham do povo. Até quando?

19 de outubro de 2015

'Rainha' brasileira custa o dobro da rainha inglesa

  • No ano passado, a despesa com assessoria e serviços prestados à presidente Dilma nos Palácios do Planalto e da Alvorada e Granja do Torto e também durante suas viagens foi de R$ 390 milhões e 300 mil, praticamente o dobro dos gastos dos britânicos com a rainha Elizabeth II e a família real. Foram gastos R$ 196 milhões e 300 mil. Lá, a moeda é a valiosa Libra Esterlina, e aqui, o desvalorizado Real;
  • Não estão nestas despesas os gastos 'secretos' com os famigerados cartões corporativos e os exageros feitos nas viagens, como, por exemplo, ocorreu em junho passado, quando contrataram 19 limusines, 15 motoristas, dois ônibus e um caminhão para transportar bagagens, um custo de R$ 300 mil, pagos com atraso de dois meses;
  • O triste é ver gente aplaudindo esse deboche e ainda ouvir Dilma falar que a CPMF tem que ser aprovada para não ser obrigada a cortar mais benefícios destinados à população carente. Esperamos que o povo consiga enxergar que pouco estão os governantes pensando nele, mas sim em permanecer no poder para continuar 'reinando' às custas dos seus 'súditos'.

18 de outubro de 2015

Quando Lula vai ter uma 'conversa' com Sérgio Moro?

  • Uma pergunta é feita por muitos brasileiros. Por quê o ex-presidente Lula ainda faz reuniões de governo, indica ministros, estabelece estratégias para a presidente Dilma executar e faz os mais variados tipos de manobras para evitar processos contra ele? Ele fica desviando a atenção da opinião pública com frases como aquela em que justifica as 'pedaladas fiscais' como necessárias para atender programas sociais;
  • O Brasil deve ser o único país que possui o cargo de ex-presidente em atividade. Daí a indagação sobre o motivo pelo qual Lula, cheio de acusações e indícios de falcatruas dele utilizando dinheiro de propinas da Petrobras, ele até hoje não foi 'conversar' com o juiz Sérgio Moro e nem está fazendo companhia a José Dirceu, João Vaccari Neto, Delúbio Soares e Marcos Valério numa 'colônia de férias';
  • Difícil é entender como um povo pode ser tão desinformado, ingênuo e alienado, achando que Lula nada fez, apesar de ser o responsável por vender para o eleitorado uma 'gerentona' que levou o Brasil à situação de crises em que se encontra. Concluindo, ele fica indo a Brasília e por lá circulando em carros oficiais e até no helicóptero presidencial como se nada tivesse a ver com o caos em vivemos.

17 de outubro de 2015

Eduardo Cunha continua sendo o mais 'popular' na mídia

  • A manchete da primeira página de 'O Globo' hoje já vem assim:
  • "Até aliados já esperam que Cunha deixe o cargo - Patrimônio seria 37 vezes maior que o declarado - Deputado mantinha conta oculta nos EUA há 20 anos - Propina foi paga até com voos em jatos, diz relator"
  • Por ser a manchete da primeira página, a matéria tem destaque no corpo do jornal. Por isso, lá está:
  • "Um presidente de bens - Cunha tem patrimônio 37 vezes maior do que informou à Justiça; havia conta secreta até nos EUA"
  • Eduardo Cunha, que se declara evangélico, andou envolvendo Cristo nas suas falcatruas. É o que se vê numa outra manchete:
  • "Carros de luxo em nome de Jesus.com - Cunha e a mulher têm 9 veículos, entre eles um Porsche de R$ 429 mil registrado pela empresa do casal; propina foi paga com 'horas de voo' em jatinho"
  • E tem mais outras:
  • "Operador liga propina da Petrobras à conta de Cunha - Endereço em Montevidéu é a conexão entre Lava-Jato e Suíça"
  • "Aliados do presidente da Câmara já passam a defender renúncia - Solução 'Renan Calheiros' é apontada como opção para escapar de cassação"
  • "Nota de assessoria acusa Junot de 'estratégia ardilosa' contra Cunha - Em 70 linhas, porém, não há explicação sobre contas não declaradas na Suíça"

Eduardo Cunha toma conta das manchetes

  • Hoje é um daqueles dias em que só de ler as manchetes de um jornal você fica revoltado e até meio deprimido. Na edição de hoje de 'O Globo' destacamos as seguintes, onde o destaque é o presidente da Câmara:
  • "Cerco a Cunha se fecha - STF autoriza inquérito sobre contas na Suíça; delator diz que deu R$ 1,5 milhão em espécie a deputado"
  • "Aécio agora diz que Cunha deveria se afastar do cargo - Tucano afirma que denúncias 'são gravíssimas', mas que PSDB tem relação às claras com deputados"
  • "STF tende a se manter contra rito de Cunha para impeachment - Clima entre ministros da Corte é desfavorável a peemedebista"
  • "Cresce no PT rejeição a ideia de um acordo - Tendências internas desaprovam negociação com presidente da Câmara"
  • "Cunha: não há a 'menor chance' de deflagrar impeachment agora - Oposição adia apresentação de novo pedido de Hélio Bicudo e Miguel Reale"

Hospital federal cardiológico maltrata idosos

  • O sistema de saúde pública no Brasil não tem nada a ver com aquele que um dia Lula disse que era tão bom que iria sugerir ao presidente Barack Obama como um modelo a ser adotado nos Estados Unidos. Para saber-se da situação atual, basta procurar o Instituto Nacional de Cardiologia (INC), no bairro Laranjeiras, no Rio de Janeiro, e tentar agendar uma consulta ou fazer um procedimento de emergência;
  • Se você for um cardíaco idoso, o resultado será um retrato do que acontece hoje no sistema federal de saúde. Chegue no final da noite anterior, passe a noite na fila e, tendo sorte, receba uma senha para, quando o expediente começar, você agendar sua consulta. Antes, por causa da idade, pode ser que você passe mal. Se conseguir para o primeiro semestre de 2016, considere-se uma pessoa de sorte;
  • O que tem a dizer uma mãe que vai ao INC que viajou do Amapá com o filho de 8 anos, sofrendo de arritmia e usando marcapasso, que deu defeito e precisa ser trocado. Conseguiu internar o garoto, mas ele corre risco de morrer porque o equipamento está em falta no instituto, por não ter o Governo Federal liberado verba para sua aquisição. Se houvesse menos desvios de verbas para pagar propinas talvez as vidas do menino e de milhares de pessoas não corressem risco de morte.

O Brasil tem 'uma família a serviço do povo'

  • A Operação Lava-Jato que tem apontado seus jatos para Lula passou se direcionar para familiares do ex-presidente. Primeiro, foi a vez de Lulinha e sua fórmula mágica de enriquecimento rápido, agora, é uma familiar de Lula. O delator Fernando Baiano disse o ex-presidente participou de negociações para favorecer a empresa OSX em contratos com a Petrobras;
  • O negócio não foi levado adiante, mas Fernando Baiano declarou que deu R$ 2 milhões para pagar dívidas de Lulinha e que o dinheiro foi entregue a uma nora de Lula. Segundo o colunista Lauro Jardim, de 'O Globo', os R$ 2 milhões foram entregues à esposa do bilionário 'Ronaldinho das finanças'. Como era de se esperar, todos negam a informação, mas o delator certamente não mentiria para agravar sua pena;
  • Os militantes fanáticos e os que têm emprego no Governo acreditam que tudo não passa de mais uma mentira espalhada na mídia golpista. Eles continuam acreditando na existência da 'Mula sem cabeça", no 'Saci Pererê' e em especial em 'Papai Noel', visto que está chegando a época de sua chegada navegando num trenó.

Portugal dá ao Brasil lição de política decente

  • Muitas vezes, falando sério ou não, alguém diz que o Brasil é um país sem sorte, desde seu descobrimento pelos portugueses. Para piorar, expulsamos os europeus que vieram nos colonizar e que hoje integram o chamado primeiro mundo. No entanto, os políticos de Portugal estão nos dando uma lição de comprometimento com os interesses de seu país;
  • Na recente eleição para renovação do Parlamento, o partido que obteve o direito de formar o gabinete não tem maioria absoluta para sua aprovação. Portugal está vivendo um impasse e praticamente está sem governo. O partido do primeiro-ministro procura se aliar a um que tenha afinidade de programa. Não há possibilidade de se juntar água com óleo ou joio com trigo;
  • Já por aqui, é tudo diferente. Um ex-presidente está em Brasília se reunindo com a presidente, ministros e líderes partidários para coordenar a distribuição de cargos de escalões inferiores visando a garantir que o presidente da Câmara não tenha seu cargo cassado, ao mesmo tempo em que garante que o Supremo Tribunal Federal (STF) não vai tirá-lo daquela Casa Legislativa. É tudo na base da barganha, do 'toma lá, dá cá'.

15 de outubro de 2015

Dilma, eu tenho força moral, reputação e biografia!

  • "Quem tem força moral, reputação ilibada e biografia limpa o suficiente para atacar minha honra?", foi o que declarou a presidente Dilma Rousseff num evento como sempre com a plateia de militantes aplaudindo freneticamente. E eu respondo aqui que tenho tudo isso que ela exige. Não fui eu quem transformou a Casa Civil da Presidência da República num ambiente de corrupção e balcão de negociatas;
  • Também não fui eu quem assinou autorização para a compra da refinaria de Pasadena dando um vultoso prejuízo à Petrobras, alegando depois que fui induzido ao erro, jogando a culpa para um servidor subalterno, que teria feito um relatório errado. Outra coisa que não fiz foi contribuir para que o Brasil chegasse a uma inflação de dois dígitos e aumento da taxa de desemprego;
  • Como o país tem um 'presidente-adjunto', ou seja, tem dois chefes de Executivo, eu não tenho um filho citado em delação premiada por enriquecimento ilícito da noite para o dia através de propinas de desvios de dinheiro da nossa principal estatal, e nem tive apartamento triplex reformado por empreiteiras da Lava-Jato. Por fim, não participei de nenhuma 'pedalada' cometendo crime de responsabilidade;
  • Da mesma forma que eu, milhões de cidadãos brasileiros também podem fazer o mesmo tipo de contestação que faço aqui. Afinal, as pesquisas indicam que cerca de 70% da população querem vê-la longe de Brasília, ou seja, fora do cargo. Quanto a quem assumiria o seu cargo, convoco os cidadãos de bem e orar, rezar, bater tambor etc.

14 de outubro de 2015

Lula afirma que Dilma praticou crime benéfico (?)

  • Lula também anda dando umas declarações que causam espanto. A mais recente pode ser um tiro no pé da presidente Dilma Rousseff. Ele afirmou que as 'pedaladas fiscais' que ela fez nas contas do Governo se justificam porque foram destinadas a manter programas sociais como o 'Bolsa Família' e o 'Minha Casa Minha Vida';
  • De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), Dilma cometeu crime de responsabilidade. Seguindo a teoria do ex-presidente, se eu matar uma pessoa, roubar seu dinheiro e comprar comida e roupas para moradores de rua eu pratiquei uma boa ação e não tenho que ser condenado, mesmo sendo um criminoso;
  • Lula não fez essa declaração em praça pública. Foi num evento onde prevalecia a cor vermelha vestindo a plateia. É claro que recebeu aplausos. No entanto, pelo seu peso político junto ao Governo, ele acaba de dar respaldo ao relatório do TCU, ou seja, mais munição para a oposição continuar contestando a presença de Dilma à frente do Governo.

Ministro tem que explicar o que é "guerra fratricida"

  • O assunto do momento são as laminares de ontem concedidas por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que à primeira vista beneficiam a presidente Dilma Rousseff, travando a Câmara dos Deputados no prosseguimento de pedidos de impeachment da chefe do Executivo. Mas há uma declaração de um homem da confiança da presidente que necessita ser explicada à sociedade;
  • Tão logo foi expedida a primeira liminar, o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, convocou uma entrevista coletiva, na qual repetiu a história de golpe, e em dado momento falou que o debate sobre o assunto "não precisa se tornar uma guerra fratricida". Edinho Silva, indiciado na Operação Lava-Jato, foi mantido no ministério para ter direito a foro privilegiado e não ser inquirido e até preso pelo juiz Sérgio Moro;
  • Pelo visto, o porta-voz de Dilma adota a mesma ideia de Lula no tal 'nós contra eles'. O que ele precisa ser esclarecer é o que significa "guerra fratricida". Se o processo de impeachment ocorrer dentro do que a Constituição estabelecer, não se trata de nenhum golpe. Pesquisas apontam uma consistente maioria querendo que aconteça. A minoria contrária vai reagir e haverá muito bate-boca nas ruas;
  • Edinho Silva teria falado em "guerra fratricida" por qual razão? Será que o 'Exército Vermelho' de Stédile do qual Lula falou já foi mobilizado? Motivos para o impeachment existem de sobra. O porta-voz de Dilma tem que convocar outra entrevista coletiva e esclarecer sua declaração.

13 de outubro de 2015

'Deu ruim'. Lulinha vai ter que 'conversar' com Moro

  • Desta vez, parece que o filho do ex-presidente Lula, o famoso Lulinha, vai ter que se explicar à Justiça, ao contrário da ocasião em que era acusado de ser um dos donos da Friboi, a partir do seu rápido enriquecimento, mas o processo foi arquivado. Agora, a Operação Lava-Jato está apontando para o milionário Lulinha, e o juiz Sérgio Moro poderá convidá-lo para um papinho em Curitiba;
  • Como está sendo amplamente divulgado na mídia, o delator Fernando Baiano declarou ter pago contas de Lulinha no valor de R$ 2 milhões com dinheiro oriundo de propinas de desvios da Petrobras. Há juristas garantindo que o filho de Lula pode até ser preso, visto que ele não tem direito a foro privilegiado. Isso pode ocorrer se a partir de seu depoimento Moro entenda que em liberdade ele possa causar entraves à investigação;
  • O fato é realmente tão sério que Lula (também todo enrolado) anda até meio sumido, não fazendo nenhum pronunciamento para defender seu filho, aquele que um dia o ex-presidente ironizou, quando um repórter indagou sobre a rápida ascensão financeira do ex-funcionário do Zoológico de São Paulo, respondeu: "Nem eu sabia que ele era um craque nas finanças, um verdadeiro Ronaldinho". Acontece que o juiz Sérgio Moro também quer saber.

12 de outubro de 2015

O Brasil é mesmo o país dos feriadões

  • Diariamente aprendemos alguma coisa, especialmente através do desenvolvimento da Internet. Na minha infância, 12 de outubro era comemorado na escola como sendo o dia do Descobrimento da América, sem feriado. Mais adiante, surgiram o Dia da Padroeira do Brasil e o Dia da Criança, esse com objetivos comerciais. A data passou a ser mais um feriado. Está na mesma Constituição que diz ser o Brasil um país laico;
  • Nos Estados Unidos, hoje é feriado. É o 'Columbus Day', ou seja, o Dia de Colombo, o descobridor da América. Numa reportagem na TV fiquei sabendo hoje que a maioria do povo opta por trabalhar, por um motivo interessante. Lá, o salário é diário, e não mensal como no Brasil. Há um limite de horas de trabalho, não se fazendo hora extra. Não trabalhou, não tem salário. Então, é melhor trabalhar.

É difícil explicar aos jovens como está hoje o Brasil

  • Nos dias de hoje deve ser muito complicado para um pai explicar para seu filho adolescente a situação atual do país, por causa do noticiário que dá ênfase a escândalos, falcatruas, propinas e outros 'malfeitos'. Como ele vai entender que o presidente da Câmara tenha conta no exterior para receber propina, confirmada pela Justiça da Suíça, continue no cargo? O pai explica que há rituais a se cumprir e que é preciso esperar;
  • O jovem quer agora saber por quê uma presidente da República que foi chefe da Casa Civil e presidente do Conselho Administrativo da Petrobras usa dinheiro ilícito na campanha para sua reeleição ainda continue exercendo o cargo. Mais uma vez o pai informa que existem trâmites jurídicos que necessitam ser cumpridos para que a saída da presidente do cargo não seja chamada de golpe;
  • Por fim, o jovem indaga como pode um ex-presidente da República montar ministério, fazer articulação política e ainda exigir a troca do ministro da Fazenda, cargo da confiança restrita da titular do cargo de presidente. O coitado do pai encerra rapidamente o assunto porque não tem coragem de dizer a um jovem de 15 anos que no Brasil pode-se fazer o que quiser. Não é nada educativo.

11 de outubro de 2015

Pezão incentiva o descumprimento das leis

  • Um verdadeiro absurdo foi a declaração do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afirmando que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) deve ser alterada para ficar mais suave, acrescentando se a mesma não for mudada, "não sobrará um gestor neste país". É lógico que na condição de chefe de Executivo ele não goste da LRF pelas exigências que faz e deseje vê-la alterada. Mas ela existe para garantir a lisura no uso do dinheiro público;
  • O que não tem cabimento é um governador sugerir que os outros burlam a lei, sob a alegação de que governadores e prefeitos continuem fazendo 'pedaladas', isso na ocasião em que o Tribunal de Contas da União (TCU) acaba de rejeitar as contas da presidente Dilma, cuja defesa também defendeu a tese de que 'pedaladas' também foram feitas no tempo de Fernando Henrique Cardoso, o eterno fantasma dos petistas;
  • Pela importância política do Rio de Janeiro, Pezão deveria dar o exemplo, incentivando que as leis sejam cumpridas. A declaração do governador fluminense não deixa de ser um estímulo até para o aumento da criminalidade. Sendo ele um guardião das leis, que deveria ser o maior incentivador do respeito a elas, o quê se esperar do cidadão comum?

9 de outubro de 2015

Rejeição das contas de Dilma teve até queima de fogos

  • A rejeição das contas do exercício de 2014 da presidente Dilma pelo Tribunal de Contas da União (TCU), por unanimidade, por causa das 'pedaladas fiscais', algo que não ocorria desde 1937, é um fato histórico. Além de punir a má gestão petista, a decisão do TCU fez prevalecer a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), criada por Fernando Henrique Cardoso;
  • A verdade é que o governo petista achava que poderia passar por cima daLRF, apostando na sua impunidade. No entanto, parece que estamos podendo confiar no Poder Judiciário e também no Ministério Público Federal, (MPF), na Polícia Federal (PF), bem como no no TCU. Agora, a palavra final fica com o Poder Legislativo;
  • Será que os parlamentares terão coragem de rejeitar um parecer técnico elaborado por uma equipe de mais de 40 auditores concursados? E tem mais. A opinião pública em expressiva maioria está aplaudindo a decisão do TCU. Até queima de fogos aconteceu no momento em que as contas de Dilma foram rejeitadas. Eles vão desafiar o povo?

Joaquim Levy enaltece FHC para justificar a CPMF

  • Há uma coisa que é constante entre os governistas. Eles não se livram do fantasma de Fernando Henrique Cardoso. Justificam o que fazem de errado dizendo que no tempo de FHC se fazia a mesma coisa. E põem na conta dele a incapacidade de governar o país, com o que chamam de 'herança maldita';
  • Mas agora surgiu uma novidade dos governistas com relação ao ex-presidente. O ministro Joaquim Levy, da Fazenda, se superou ao justificar a recriação da CPMF. Ele disse que FHC teve o mérito de criar o famigerado 'imposto do cheque', o que fez com que ele fizesse um excelente governo. Menos, Levy! Menos, Levy!

"O Brasil espera que cada um cumpra o seu dever"

  • Dia após dia, o PT demonstra ser o partido das contradições. Gritou para o Brasil inteiro levantando a bandeira do impeachment de Fernando Collor e de Fernando Henrique, logo após Lula ter sido derrotado pelos dois. Agora, chama de golpista quem quer o impeachment de Dilma Rousseff. Quando FHC quis fazer reajuste fiscal, foram contra, mas agora defendem os ajustes;
  • O show de contradições continuou durante o julgamento do 'Mensalão do PT', afirmaram que o fato de o ex-advogado de Lula e do PT, Antônio Dias Toffoli, não era motivo de suspeição para julgar seu ex-chefe José Dirceu. Agora, queria que o ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU), fosse considerado suspeito para julgar as contas de Dilma. Não conseguiram;
  • Colecionando uma série de derrotas em vários setores, o Governo está nas mãos de deputados, senadores e juízes que poderão encurtar o mandato da presidente. Como o Legislativo e o Judiciário parecem estar muitas vezes fazendo o jogo do Executivo, cabe de modo bastante real aquela famosa frase: "O Brasil espera que cada um compra o seu dever".

6 de outubro de 2015

Gleisi propõe reduzir R$ 3 mil nos salários do Senado

  • Depois daquela jogada suja para blindar a senadora Gleisi Hoffman e seu marido de envolvimento em falcatruas, ela resolveu criar um factoide, fazendo média com o povo, e propõe uma redução de 10% nos subsídios do Senado, que hoje são R$ 33 mil. Isso significa uma ajuda de 3 mil reais, cortando na carne dos ilustres parlamentares. Uma vultosa 'colaboração' do Senado, de R$ 243 mil. E ela garante que tem mais gente assinando sua proposta;
  • Cabe, então, uma indagação à altruísta senadora. Nessa redução estariam incluídas as mordomias, como verba indenizatória, auxílio-moradia, passagens aéreas, franquia de telefone fixo e de celular, verbas de gabinete, quota de combustível e outras? Sabendo-se que um senador custa mais de R$ 100 mil por mês aos cofres públicos, a 'economia' proposta por Gleisi é motivo para boas gargalhadas.

5 de outubro de 2015

Dilma tem medo do julgamento das 'pedaladas fiscais'

  • Objetivando adiar o julgamento, o Governo está tentando afastar o relator das contas da presidente Dilma no Tribunal de Contas da União (TCU) relativas ao exercício de 2014, nas quais estão as famosas 'pedaladas fiscais'. Para isso, os ministros Eduardo Cardozo, da Justiça, e da Fazenda, Nelson Barbosa, e Luís Inácio Adams, da Advocacia Geral da União (AGU), anunciaram que hoje tentarão afastar o relator;
  • A tendência do TCU de é a rejeição das contas, o que enquadraria a presidente em crime de improbidade administrativa, sujeitando-a a ser objeto de abertura de processo de impeachment. O objetivo do pedido de afastamento do relator, ministro Augusto Nardes, é porque apesar de todas as manobras, o Governo não tem garantida uma maioria de parlamentares para impedir o afastamento de Dilma;
  • A oposição, como não poderia deixar de ser, protestou. O senador Aécio Neves, presidente do PSDB, foi enfático, comparando o Governo com um time que está perdendo a partida de goleada e pede para mudar o árbitro, declarando: "Essa ação truculenta e desrespeitosa demonstra de forma definitiva que faltam argumentos sérios para responder as questões levantadas pelo TCU";
  • Essa vergonhosa tentativa de evitar o julgamento na próxima quarta-feira traz à memória aquele antigo ditado: "Quem não deve, não teme". Mas isso significa muito mais. O Governo já sabe que quarta-feira deve tomar uma goleada de 7a 0 no TCU, deixando para o Congresso a responsabilidade de rejeitar um parecer técnico pela rejeição das 'pedaladas'.

2 de outubro de 2015

Lula é quem dá as ordens no Governo. Dilma caiu

  • O governo de Dilma Rousseff tem se destacado pelos pronunciamentos dela, dos seus ministros de integrantes de sua base de apoio. Ontem, o senador Romero Jucá, do PIB, líder do governo no Senado Federal nas gestões de Lula e Dilma disse o seguinte: "A reforma não muda o eixo. O comando será da presidente Dilma e dos ministros Jaques Wagner e Ricardo Berzoini";
  • Romero Jucá é mais um humorista ou então acha que o povo é cego. Somente 10% do povo talvez ache graça na sua declaração ou se encontre em estado de cegueira. Quem esteja no seu estado mental correto sabe que não é bem assim, bem como que Dilma acaba de sofrer uma espécie de Impeachment ou mesmo de renúncia. O comando do governo não lhe pertence mais. Quem assumiu o governo foi Lula;
  • Foi o ex-presidente que montou o novo ministério, fazendo convites, remanejamentos e afastando ministro dos quais não gostava por não lhe obedecer. É isso o que está ocorrendo. Dilma, se conseguir chegar ao fim do mandato será apenas um 'poste', confirmando o que ele afirmara em 2010 ao lançar seu nome em detrimento de outros nomes históricos do PT.

1 de outubro de 2015

Lula 'assume' o Governo e dá mais poderes ao PMDB

  • O Brasil está vivendo um momento muito triste na política. Um em cada dez cidadãos não enxerga que nossos governantes não estão sequer levemente preocupados com o povo. A meta deles é uma só: a permanência no poder. Para eles, a preocupação principal é a compra de apoio político;
  • Num primeiro momento, foi com o 'Mensalão do PT'. Depois, veio a distribuição de propinas e, agora, a doação de cargos com acesso a vultosos orçamentos nem sempre utilizados de modo republicano. Vão poder 'propinar' à vontade;
  • A presidente Dilma Rousseff, para se manter no cargo, entregou o comando da montagem de um novo ministério ao 'presidente-adjunto' Lula, que, por sua vez, deu mais um ao PMDB, que já era dono de seis. O partido maior aliado do Governo passou a ter mais poder, e Lula aproveitou para tirar poder de petistas que não lhes eram fiéis;
  • O PT está dividido e cheio de gente fazendo beicinho, ameaçando criar problemas em votações de interesse do Palácio do Planalto. Enquanto isso, o povo não vê o falado corte na própria carne, mas sim corte verbas na Saúde - o fim da Farmácia Popular, por exemplo -, na Educação e em outros setores de interesse da comunidade. E a presidente ainda insiste no retorno da CPMF. Aqueles 10% ainda darão seu apoio ao Governo?