Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

30 de abril de 2015

Para Dilma Rousseff, execução de traficante é um 'fato grave'

  • Era só o que faltava. A presidente da República, através do Itamaraty, afirmou que a morte de um traficante brasileiro na Indonésia era um 'fato grave'. E já era a segunda execução em pouco tempo. Tanto num caso como no outro, a presidente Dilma se envolveu, dirigindo-se ao presidente indonésio pedindo clemência para os dois bandidos, o que lhe foi negado, com a informação de que a execução é lei e que lá as leis são cumpridas. No aeroporto de lá tem um aviso alertando que entrar no país com drogas é passível de execução;
  • Segundo a nota expedida pelo Itamaraty, o fato abala as relações diplomáticas entre os dois países. De acordo com especialistas em relações internacionais, não há qualquer tipo de negócio que justifique a existência de uma embaixada brasileira na Indonésia. Aquele país não tem nada para nos vender nem pode comprar nada do que produzimos. O que há é um cabide de empregos montado para diplomatas 'companheiros', criado depois de uma jogada de Lula para conseguir voto daquele país para o Brasil integrar o Conselho de Segurança da ONU;
  • Vai aqui um esclarecimento para Dilma Rousseff. Fato grave são os hospitais públicos sem médicos, sem leitos. Fato grave é a falta de segurança para a população, assaltada nas ruas e até dentro de casa. Fato grave são as estradas esburacadas causando sérios prejuízos aos donos de veículos. E o fato mais grave, presidente Dilma, são os desvios de dinheiro da Petrobras feitos por seus 'companheiros' para financiar sua campanha;
  • Depois de mais essa sua fala, já vou pegar uma panela. Depois de uma declaração como essa, você merece um panelaço. Não precisa mesmo fazer pronunciamento no dia 1° de maio, até porque você não tem nada para dizer ao trabalhador brasileiro.

Segunda Turma 'petista' do STF manda empresários pra casa

  • Como era de se esperar, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), presidida pelo ministro 'petista' Antônio Dias Toffoli, aprovou, por 3 votos contra 2, o pedido de 'habeas corpus' solicitando a prisão domiciliar de nove empresários envolvidos na Operação Lava-Jato. Votaram pela soltura dos 'petroleiros', além de Toffoli, os ministros Gilmar Mendes e Teori Zavaski. Votaram contra os ministros Cármen Lúcia e Celso de Mello;
  • O mais incrível é que entre os que irão para casa está o dono da UTC, Ricardo Pessoa, o maior distribuidor de propinas, que presidia o que os empresários intitulavam de 'clube'. Em sua delação, Pessoa trouxe para o olho do furacão muita gente de peso junto ao Governo, ao PT e aos partidos da 'base aliada'. Eles serão obrigados a usar tornozeleiras eletrônicas;
  • Tanto a Polícia Federal (PF) como o Ministério Público Federal (MPF) estão bastante preocupados porque ao saírem da cadeia podem causar dificuldades para o andamento do processo, pois muitos residem longe de Curitiba, sem se desprezar a possibilidade de fuga de algum deles. Pela composição da Segunda Turma, nada do ocorreu no STF provoca surpresa.

28 de abril de 2015

Ninguém no Governo quer punir empresa que pagou propinas

  • Ainda é alvo de comentários e de muitas críticas aquela declaração do presidente da Petrobras, dizendo que a empresa vai processar as empresas que proporcionaram vultoso rombo nas contas da estatal, principalmente os mais de R$ 6 bilhões em propinas. No entanto, ninguém fala no Governo em aplicar de imediato uma rigorosa punição nelas, que seria descredenciá-las e contratar outras para prosseguimento das obras e serviços paralisados por causa da revelação do 'Petrolão';
  • Essa medida ninguém do Governo quer tomar. Certamente empresas do mundo todo desejariam assumir a responsabilidade de faturarem bilhões de dólares, tanto para recomeçar o que parou como para iniciar outras obras e assumir novos serviços. O quê está por trás da rejeição à ideia da declaração de idoneidade das empresas descobertas como distribuidoras de propina pela Operação Lava-Jato? É fácil entender;
  • Não é coincidência o fato de elas serem as maiores doadoras de dinheiro para campanhas eleitorais, principalmente para candidatos do PT e de partidos da 'base aliada'. O argumento oficial dos diversos setores do Governo ligados ao setor é o desemprego de trabalhadores das empresas punidas. Isso se resolve no edital de concorrência;
  • Basta que se exija das novas empresas que a mão de obra seja composta por empregados das anteriores, e também a recontratação dos que foram demitidos por causa das propinas. Resolve-se tudo de uma vez. E quanto às doações, o assunto já teve solução. Dilma Rousseff sancionou o Orçamento da União aumentando o Fundo Partidário e nós vamos pagar a conta.

27 de abril de 2015

Dilma fica 'fininha', mas prestigia profissional estrangeiro

  • Desde a aquisição do novo avião presidencial, o 'Force One 51', o governo petista vem demonstrando o quanto prestigia a indústria nacional. Ao invés de adquirir um avião da Embraer, optou-se por modelo estrangeiro muito mais caro, mas que tinha espaço para as luxuosas adaptações que foram feitas. Na época, foi lembrado que o avião da família real da Bélgica usava uma aeronave da empresa brasileira;
  • Mais adiante, foi a vez dos lençóis de linho egípcio e outros produtos do exterior para diversos setores da Presidência da República. Recentemente, uma frota de carros importados foi adquirida para servir à presidente, aos ministros e auxiliares diretos do Governo. Positivamente, isso não é nenhum incentivo à indústria nacional;
  • Agora, é Dilma Rousseff quem dá sua contribuição para desprestígio de uma classe de profissionais brasileiros de elevado conceito internacional, os endocrinologistas. A presidente tem chamado a atenção pela sua nova silhueta, bem mais elegante. E ela faz questão de divulgar e elogiar o endocrinologista Máximo Ravenna. Mas ele é argentino;
  • Fica no ar o seguinte questionamento: Dilma por acaso procurou um profissional brasileiro? É muito provável que não. Aliás, o governo petista só prestigia e até mesmo fecha o mercado para estrangeiros no ramo de petróleo. Podem observar que as empresas envolvidas no 'Petrolão do PT' são todas brasileiras, mas isso é outro assunto.

Petrobras processa empresas que lhe roubaram. Não é piada!

  • O balanço de 2014 da Petrobras continua na ordem do dia, principalmente por causa dos rombos confirmados e confessados. As explicações do governo de Dilma Rousseff e as críticas da oposição aparecem a toda hora. Os dirigentes da empresa estão até subvertendo a lógica. Um deles se superou, justificando os prejuízos como um 'superavit negativo'. Essa é difícil de entender e aceitar. Um congresso internacional de economistas talvez explique ao mundo o que é essa aberração;
  • Outra novidade fica por conta da informação no balanço dando conta que a Petrobras vai processar os fornecedores que formaram cartel para realização de obras, buscando o ressarcimento do dinheiro desviado. Como assim? A empresa não vai também processar os seus diretores que foram os organizadores de todas as tramóias? E tem mais. Não é para rir, mas a estatal informa no balanço que vai processar os fornecedores por dano moral. É sério;
  • Não é processo demais? O que está sendo feito com a Operação Lava-Jato, não é exatamente isso? Estão 'fazendo embaixadas' para receber aplausos da galera. Esse governo é especialista em jogada de marketing. Meteram a mão no dinheiro dos acionistas - o maior deles é a União -, deram um prejuízo de bilhões de dólares e agora aparecem com essa piada. Na verdade, quem tem que ser processado é quem deixou todo esse rombo acontecer, começando por Lula e Dilma.

23 de abril de 2015

Prejuízo da Petrobras: é impossível que ninguém seja punido

  • O tão esperado (e atrasado) balanço de 2014 da Petrobras apresentou resultados bastante graves. Com investimentos de R$ 87,1 bilhões, uma das maiores empresas do mundo terminou o exercício com um endividamento de R$ 351 bilhões (o maior do mundo). Aí, vem o pior. A Petrobras teve um prejuízo de R$ 21,6 bilhões;
  • Mas há algo muito grave em meio a essa prova de incompetência administrativa, passível de punição por gestão temerária, prevista em lei. O tal balanço informa ao mundo que no prejuízo há um agravante. A importância de R$ 6,2 bilhões de propinas pagas a membros do PT e de partidos aliados, ao lado de mais R$ 44,6 bilhões de reconhecimento de perdas. Um total de R$ 50,8 bilhões;
  • Seja quem for, os responsáveis pelo prejuízo, em especial pelos desvios, têm que ser rigorosamente punidos, além de serem obrigados a ressarcir a Petrobras, não só pela gestão temerária, mas principalmente pelo desvio do dinheiro de uma empresa que tem a União como maior acionista. Vamos exigir tal punição, porque todos somos também sócios através dos impostos que pagamos.

Governo do PT 'ajuda' flagelados de Xanxerê com dinheiro deles

  • Positivamente, o Brasil é o país das contradições. Nos países do primeiro mundo, o Bolsa Família existe para ajudar aos que tenham sido vítimas de catástrofes, como a que ocorreu em Xanxerê, Santa Catarina. A ajuda do governo daqueles países é para que os atingidos possam se restabelecer e voltar à vida normal. Não tem caráter permanente e muito menos eleitoreiro, como é por aqui;
  • Pois bem. O Governo Federal se apressou em anunciar que ajudaria a população de Xanxerê atingida pelo tornado. E o que fez? Liberou o FGTS dos atingidos. Ou seja, o socorro do governo de Dilma Rousseff é com o dinheiro dos próprios flagelados! Usando o fundo, o que lhes resta no futuro? E quem não tem emprego fixo, vive na informalidade e não recolhe o FGTS, como é que fica?;
  • Demagogia é com eles mesmo. É a especialidade deles. Estão sempre 'jogando para a arquibancada'. Ainda bem que o povo está mais atento a essas coisas e saindo às ruas para protestar. Somos, então, obrigados a bater outra vez na mesma tecla: o governo do PT continua chamando o povo de palhaço. Se você gosta disso, ponha um nariz vermelho e vote neles outra vez.

Dilma debocha do povo outra vez e aumenta o Fundo Partidário

  • "Triplicar verbas do fundo partidário é um escárnio". A frase foi dita por ninguém menos que o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, ao comentar o fato de a presidente Dilma não ter sancionado a Lei Orçamentária sem vetar o dispositivo que eleva, de 2014 para 2015, o Fundo Partidário de R$ 319 milhões e 998 mil para R$ 867 milhões e 560 mil, ou seja, um reajuste de nada menos que 171,11% (seria somente coincidência o número 171?);
  • Dilma poderia vetar esse reajuste e deixar para os parlamentares o ônus de rejeitar o veto, num momento em que senadores e deputados estão com prestígio em baixa junto à opinião pública. Aí, a presidente 'amarelou'.Tudo leva a crer que ela já estava apalavrada com o PT, cujo presidente nacional, Rui Falcão, anunciou antes da sanção presidencial que seu partido não mais aceitaria contribuição de empresas para suas campanhas;
  • Como ao PT cabe a maior cota do Fundo Partidário e os maiores contribuintes são as empresas envolvidas com o 'Petrolão' e que tiveram seus rendimentos caindo vertiginosamente, a compensação virá por meio de dinheiro público. Agora aparece o 'presidente-adjunto' Michel Temer e afirma que esse valor poderá ser contingenciado. Quem acredita nisso? Logo na grana dos partidos?;
  • Se o Brasil é o que conhecemos, é muito mais certo haver contingenciamento de verbas nas áreas de Saúde, Educação, Segurança, Transporte etc. Tem razão Joaquim Barbosa. É mesmo um escárnio, ou seja, Dilma Rousseff mais uma vez ri da cara do povo. Para quem gosta disso, é só continuar votando neles. Mas há tempo de sobra para pensar e votar melhor, a partir do ano que vem.

Dinheiro do povo financia estrada que serve para rota do tráfico

  • Um jornal que os petistas dizem ser integrante do PIG (Partido da Imprensa Golpista), 'O Globo', traz na página 3 a seguinte manchete: "A ESTRADA DE US$ 181 MILHÕES VIROU RODOVIA DO TRÁFICO". Como sub-título, vem: "Construída para levar equipamentos pesados ao Comperj, via facilita fluxo de armas e drogas". Certamente 'eles' vão dizer que é mentira, calúnia e tentativa de golpe;
  • Não dá nem vontade de ler a notícia completa, mas não dá também para deixar de lado e não protestar. Então, vem mais surpresa (desagradável, é claro). A estrada, com 18 quilômetros de extensão, foi projetada para ter início no pier da Praia da Beira, em Itaóca, São Gonçalo, indo até o Comperj, em Itaboraí. Pelo valor total, cada quilômetro custou 'apenas' US$ 10 milhões;
  • O custo inicial da obra foi orçado em US$ 63 milhões e 500 milhões, mas depois houve um reajuste de mais US$ 118 milhões (mais 85%), contrariando parecer do setor jurídico da estatal. A obra havia sido iniciada sem concorrência e foi distribuída entre 21 empresas, todas investigadas em processos por corrupção;
  • A história do Comperj todos conhecem. Tem reportagem todos os dias sobre dramas vividos por pessoas que acreditaram nas promessas eleitoreiras de Lula e Dilma, mas que estão desempregadas e investidores que caminham para a falência. Esse acréscimo de dinheiro foi fruto de superfaturamento para distribuição de propina para o PT e seus aliados;
  • Os traficantes agradecem aos financiadores da estrada, onde não há nenhum policiamento, podendo escoar livremente seus 'produtos'. E nós, vamos ficar calados? Será que em 2018 daremos a essa gente o direito de continuar nos fazendo de palhaço? São pouco mais de dois anos para pensar e depois, na urna (mesmo suspeita), mandá-los pra casa.

Alguém tem que pagar pelos prejuízos à Petrobras

  • Aos poucos ficamos sabendo que uma das causas da proliferação de propinas na Petrobras está na elaboração de projetos malfeitos para a realização de obras de altos valores. Por causa disso, surge sempre a necessidade de se alterar os contratos, incluindo neles cláusulas aditivas mudando os valores anteriormente previstos. Aí está o caminho para o superfaturamento da obra e consequente desvio de dinheiro da estatal;
  • Muitas vezes o prejuízo da empresa é ainda maior, quando o projeto de uma obra é tão malfeito e há necessidade da elaboração de um outro. Para piorar, acontece às vezes o cancelamento do investimento, ficando a Petrobras com o prejuízo dos gastos feitos até então, tanto com a obra como com as propinas;
  • Como consequência, param tudo, e com o agravamento de provocar desemprego de muita gente. Não pode ser deixado de lado o fato de que a Petrobras vem sendo administrada há 12 anos por governos do PT. Logo o Partido dos Trabalhadores? Não tem lógica. O que interessa é a propina para financiar campanhas eleitorais de candidatos petistas ou de seus aliados;
  • A grande pergunta é: ninguém é punido? Não é caso de se discutir a responsabilidade ou não da presidente Dilma Rousseff no tempo em que comandava a estatal, por omissão ou conivência, mas sim para que seja cobrado o prejuízo de U$ 20 milhões, por exemplo, somente em material adquirido e não utilizado, que dentro de pouco tempo não servirá nem para venda ao ferro-velho.

20 de abril de 2015

O PT continua o mesmo: FHC é quem deu início às 'pedaladas'

  • O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou por unanimidade voto do ministro José Múcio Monteiro acusando a equipe econômica do Governo de possível prática crime de responsabilidade através de manobras que tentavam esconder descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) nas contas do Banco do Brasil, Caixa Econômica e BNDES. Em seu voto, o ministro disse que o Governo cometeu 'pedaladas fiscais';
  • A presidente Dilma não gostou e determinou que alguns auxiliares defendessem o Governo. Entre os que a defenderam estava o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, que logo aplicou uma fórmula bastante costumeira dos petistas: "Vou pedir ao TCU a análise das contas dos bancos oficiais de 2001 e 2002, últimos anos do governo de FHC, quando começou essa prática";
  • É a mesma cantiga, um um verdadeiro 'samba de uma nota só'. Ele vem com aquela coisa que Lula lançou quando foi pilhado no 'Mensalão' e alegou que o PT fizera o que sempre se fez no Brasil. O final da história já sabemos. Em outros escândalos, vem sempre a mesma desculpa: "Isso também era feito no tempo de FHC". Confessar o erro e pedir desculpas ao e em seguida fazer a correção, nem pensar;
  • A aprovação unânime do voto do ministro José Múcio tem um aspecto de seriedade, porque ele foi ministro do ex-presidente Lula, que o nomeou para o TCU. Maior isenção, impossível. O Governo está meio tonto, porque a cada dia surge mais munição para um possível pedido de impeachment de quem em última análise tem responsabilidade sobre as irregularidades: Dilma Rousseff.

18 de abril de 2015

Dar 'consultoria' sem parecer impresso é um grande negócio

  • Existe uma grande variedade de empresas de consultoria. E são muito importantes, porque dão orientação sobre os mais variados assuntos. Normalmente, o cliente quer um parecer sobre determinado setor de atividade, para saber como agir. Mas há no Brasil um consultor que trabalha de modo diferente, mas que fatura muito bem. O nome é bastante conhecido, porém em outro tipo de atividade: José Dirceu;
  • O mínimo que se espera de uma consultoria é um relatório detalhando aquilo que o cliente quer saber. Para isso, é lógico que haja algo escrito para orientação sobre o que foi pedido. Mas com José Dirceu é diferente. Numa investigação sobre uma 'consultoria' contratada por o laboratório Labogen, ligado ao doleiro Alberto Youssef, ele recebeu nada menos que R$ 7 milhões e 800 mil;
  • Os investigadores não encontraram uma mísera folha de papel com um parecer, mas por incrível 'coincidência' o Labogen obteve um contrato com o Ministério da Saúde, num evidente caso de tráfico de influência. Pelo contrato, o laboratório forneceria ao ministério um medicamento contra a disfunção erétil, no valor total de R$ 134 milhões e 400 mil;
  • O total faturado por José Dirceu nas 'consultorias' chegou a quase R$ 30 milhões. O contrato milionário com o Labogen, fruto do trabalho da JD Assessoria, foi intermediado pelo ex-deputado André Vargas, mas cancelado logo após a revelação do escândalo do 'Petrolão do PT' e da cassação de seu mandato;
  • Ao final de tudo isso, fica aqui um conselho, principalmente aos que são candidatos ao desemprego. Não se desesperem. Monte sua empresa de consultoria e ganhe dinheiro sem precisar gastar nada com papel e nem com tinta de impressora. José Dirceu faturou milhões dessa forma. Você também pode.

17 de abril de 2015

Dilma indica ministro para o STF. Será juiz ou mais um 'petista'?

  • Quase nove meses depois da aposentadoria do ministro Joaquim Barbosa, a presidente Dilma encaminhou ao Senado o nome de seu sucessor: Luiz Edson Fachin. A exigência constitucional de 'notável saber jurídico' está comprovada através do seu vasto currículo e formação acadêmica, além de vários livros. Elogios pela sua escolha surgem por todos os lados, até de figuras influentes da oposição. No que diz respeito à sua 'reputação ilibada', nada há que o desabone;
  • Mas existe algo em sua história que deixa algumas dúvidas. Luiz Edson Fachin foi militante 'de carteirinha' do PT. Além de filiado, o futuro ministro, representando 'movimentos sociais', subiu em palanques e discursou pedindo votos para aquela que acaba de o indicar para integrar o posto mais alto da Magistratura. Qual será seu comportamento quando o interesse do partido for contrário à letra fria da lei? Aí aparece a dúvida;
  • Durante o julgamento do 'Mensalão do PT', foram marcantes as atuações dos 'ministros petistas' Ricardo Lewandoviski e Antônio Dias Toffoli, que foram indicados e nomeados pelo ex-presidente Lula. O primeiro, na condição de revisor do processo, sempre absolvendo quando o relator votava pela condenação, e o outro, sempre votando com o revisor;
  • Mais recentemente, dois ministros nomeados pela presidente Dilma Rousseff, Luiz Roberto Barroso e Teori Zavaski, demonstravam subserviência. Chegaram ao cúmulo de anular votos já dados por ministros aposentados, porque o resultado dos novos votos favoreciam os interesses do PT e do Governo;
  • Na condição de cidadão e eleitor, um ministro do Supremo pode ter sua preferência por qualquer candidato. Há um claro exemplo justamente com Joaquim Barbosa. Ele votou em Lula, que o nomeou, e também em Dilma. Mas não se filiou ao PT e muito menos pediu votos fazendo discurso em palanque de campanha. A posição de Joaquim Barbosa levou muitos petistas para atrás das grades;
  • Bom será se os que desconfiam do futuro ministro estejam enganados, e que Luiz Edson Fachin seja um real integrante da história e das tradições do Supremo e atue sempre com a isenção que se espera de um magistrado. Qualidades não lhe faltam para isso.

O povo quer reforma política, mas não é a de Lula e Dilma

  • Não importa se as manifestações foram maiores ou menores. Deixando de lado os exageros, como pedidos de impeachment sem fundamento legal (pelo menos por enquanto) e, pior ainda, gente pedindo intervenção militar, que é golpe, a verdade é que há reivindicações de protestos que necessitam ser levadas em conta;
  • Não há nenhuma dúvida de que é urgente uma reforma política. Não aquela que os petistas trazem para tentar acalmar as multidões contrárias, quando se vêem apertados pelas cobranças feitas em manifestações. O povo quer reforma como a extinção do número excessivo de partidos, evitando a proliferação de legendas de aluguel e também para que alguns 'líderes' ganhem dinheiro do Fundo Partidário;
  • E a reforma política tem que ser a mais completa, com o fim das eleições proporcionais para os Legislativos e com a adoção do 'Distritão', segundo o qual os mais votados é que se elegem. Outra reforma que se exige é a mudança do critério de escolha dos suplentes de senador, que passaria a ser o primeiro não eleito, e não mais parentes ou financiadores de campanha;
  • Por fim - essa é muito difícil, mas tem que ser exigida -, uma drástica diminuição do número de senadores, deputados federais e estaduais e vereadores, provocando grande economia através da considerável redução de despesas também com a diminuição de assessores. Tudo isso é apenas uma parte das reivindicações que não podem ser ignoradas.

13 de abril de 2015

Não importa quantos, mas o povo saiu às ruas contra Dilma

  • Discussão sem razão é querer desvalorizar as manifestações deste domingo sob o argumento de que foram menores que as de 15 de março. O importante é que mais uma vez muita gente saiu de casa para criticar a presidente Dilma pelo péssimo governo que vem fazendo e por causa de sua omissão nos casos de propinas pagas com desvio de dinheiro da Petrobras. Afinal, dela o comando da estatal durante todo o tempo em que a empresa esteve sendo assaltada para beneficiar 'companheiros';
  • De nada adianta os governistas procurar meios para desvalorizar as manifestações por causa da presença de mais ou menos pessoas nas ruas. Há que se destacar a adesão de gente de cidades que não haviam feito manifestação em março, ou sejam, 231 novas cidades. O fato é que o povo não está satisfeito com os rumos que Dilma dá ao país, e ainda acha que ela deve deixar o Governo, através do impeachment, por causa de sua conivência com a corrupção;
  • Portanto, o melhor que Dilma pode fazer é apoiar as ações da Justiça, em especial os revelados pela Operação Lava-Jato, e deixando de mentir nas propagandas institucionais, pois a cada dia que passa o povo está tendo consciência de que os elevados impostos que paga não estão sendo devolvidos em benefícios para a população.

11 de abril de 2015

Temos um novo humorista na área: João Vaccari Neto

  • De ontem pra hoje o PT resolveu me fazer rir e muito. Numa propaganda na TV, o partido declara que o Brasil passou a existir a partir da chegada deles ao governo, em 2003. Depois, dizem que por causa deles pobres e negros puderam chegar à faculdade e viajar de avião;
  • Mas o show humorístico maior ficou com o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, em depoimento na CPI da Petrobras. Segundo apurou a Operação Lava-Jato, ele era o homem do partido que recebia e distribuia o dinheiro das propinas entre os candidatos petistas para utilização em campanha eleitoral
  • Estou rindo até hoje. Vaccari disse que teve encontros com os delatores Pedro Barusco e Alberto Youssef, que acusam o Tesoureiro do PT de receber pessoalmente milhões de reais em propinas, mas - podem rir à vontade comigo - não se lembra por qual motivo. Esse é mesmo um grande humorista.

Injustiça na CPI: Somente os roedores é que foram presos

  • As primeiras informações diziam que ratos haviam invadido o local onde estava reunida a CPI da Petrobras para um depoimento bastante esperado, de João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, que, segundo apurado na Operação Lava-Jato, era o principal operador do partido na distribuição de propinas provenientes de desvio de dinheiro da estatal e que foram 'lavados' sob a forma de doações para campanha eleitoral;
  • Em pouco tempo veio o esclarecimento. Não foram ratos que invadiram o local. Foram roedores mais nobres. Houve quem dissesse que no local já estavam vários tipos de 'ratos'. Também falaram que os roedores teriam ficado revoltados com o funcionário da Câmara que os levou para aquele tipo de ambiente. Após o tumulto no local, quando alguns parlamentares chegaram a subir nas cadeiras, foi dado início ao show de cinismo de Vaccari;
  • Para culminar, veio a pior parte do 'espetáculo'. O funcionário que levou os roedores foi preso e em seguida exonerado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Uma injustiça! Ele deveria ter sido condecorado. Afinal, ele agira como um legítimo representante do povo, uma vez que, com seu bom humor, retratou aquilo a população em sua maioria pensa sobre a classe política;
  • Certamente amanhã isso vai ser amplamente demonstrado nas manifestações. É só esperar pra ver. O povo vai dizer que prenderam os roedores errados.

9 de abril de 2015

IRPF: 'Pátria Educadora' não vê falta de incentivo à Educação

  • Todos os anos, quando os brasileiros passam a se dedicar à declaração anual do Imposto de Renda (IRPF), há um item que sempre deixa muita gente revoltada pelo fato de não existir por parte do Governo (isso há muitas décadas) nenhum interesse em dar incentivo à Educação. Agora, com o pomposo slogan 'Pátria Educadora', era para se esperar que finalmente esse incentivo aparecesse. No entanto, continua tudo do mesmo jeito;
  • O problema está na dedução que pode ser feita no cálculo do imposto a pagar de despesas com Educação, seja do próprio declarante ou de seus dependentes. Seja qual for o total gasto, a dedução é de apenas míseros R$ 2.958,00. Se o curso for de Medicina, por exemplo, esse valor é de uma mensalidade;
  • Mas a legislação do IRPF garante que você pode ficar doente com tranquilidade porque podem ser deduzidas todas as despesas com médicos e até com planos de saúde. Mas não tente deduzir os valores dos remédios que o médico lhe receitar. Isso deve ser algo supérfluo e não merece ser descontado, como se alguém saísse do consultório sem uma receita nas mãos;
  • O que nos resta é esperar que a presidente Dilma Rousseff comece a governar o Brasil, visto que até hoje só administrado crises, a maioria delas criadas por causa de sua inabilidade política, tanto é que ela em três meses de mandato ainda faz troca de ministros. Pode ser, então, que nossa 'Pátria Educadora' cuide desse absurdo e mude no ano que vem.

Você vai participar das manifestações de domingo que vem?

  • Evite pedir o impeachment de Dilma Rousseff. Você poderá ser processado pelo PT - eles fizeram essa ameaça - e taxado como golpista;
  • No entanto, pergunte aos petistas se eles não eram golpistas quando pleitearam o impeachment de Fernando Henrique Cardoso nas seguintes datas:
  • 1 - 29/4/1999;
  • 2 - 26/5/1999 (iniciativa de José Genoino, Miro Teixeira, Luiza Erundina e Aldo Rabelo, um dos ministros de Dilma);
  • 3 - 06/3/2001; e
  • 4 - 17/10/2002;
  • Foram 'somente' quatro vezes. Incoerência é com eles mesmo. Eles aplicam aquela frase tradicional: "Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço".

7 de abril de 2015

Ministro do STF pede vista. Processos ficam 'perdidos de vista'

  • Há momentos nos quais o desânimo parece querer nos alcançar. Em qualquer país decente, sua Corte Suprema é a instância final de defesa da Constituição. No Brasil, esse papel seria (isso mesmo) do Supremo Tribunal Federal (STF). Não é o que parece. Aquela Corte é hoje um órgão mais envolvido em assuntos políticos do que em temas jurídicos;
  • O escândalo do 'Petrolão' trouxe para os debates a discussão sobre o financiamento de campanhas feito através de doações de empresas. O Supremo tem um processo que estava sendo votado pelo plenário no qual esse tipo de doação é contestado. Entre os argumentos há um interessante: empresas não votam. Sendo assim, só devem valer doações de pessoas físicas;
  • O placar está 6 a 1 contra as doações de empresas. A não ser que haja mudança de voto, o assunto já está decidido. O ministro Gilmar Mendes pediu vista, mas apesar do prazo de duas semanas para devolução, há exatamente um ano não foi devolvido. Gilmar Mendes é contra o que seis ministros decidiram e simplesmente não deixa o processo ser concluído. Ele vai empurrar com a barriga e o presidente do STF, Ricardo Lewandoviski, não exige a devolução do processo;
  • Hoje tomamos conhecimento de que o ministro Luís Roberto Barroso, um dos mais novos no Supremo, pediu vista de nada menos que 31 processos, devolvendo até agora somente 5. Como esse mesmo ministro anulou o voto de um colega aposentado e votou contrariamente, é possível que altere um dos seis votos e Gilmar Mendes resolva trazer o processo para o plenário. Vai depender da nomeação do 11°. Mas aí falta saber se já combinou tudo com a presidente Dilma.

4 de abril de 2015

O quê se fazer para uma boa alteração da maioridade penal?

  • Um dos assuntos mais discutidos nos últimos dias tem sido a proposta de mudança da maioridade penal, reduzindo a idade de 18 para 16 anos. Tramita na Câmara dos Deputados Proposta de Emenda Constitucional (PEC) com esse objetivo, já aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça, que depois vai tramitar no Senado. Está acontecendo ampla discussão nas redes sociais, com equilibrada divisão de opiniões;
  • O grande problema é que a simples alteração da idade pode não resultar em nada se sérias e imediatas providências não forem postas em prática. De uma vez por todas, o Governo teria que fazer do Brasil uma 'Pátria Educadora' de verdade e não apenas usar esse slogan mentiroso como peça de propaganda enganosa. Jovens com boa educação não se tornam bandidos;
  • Não vale a pena aumentar o contingente de jovens nos presídios, em convivência com bandidos de alta periculosidade, participando de verdadeiros 'cursos' sobre bandidagem com 'professores' de alta experiência nesse nefasto ramo de atividade;
  • Não pode mais o Governo cortar verbas destinadas à Segurança, como acontece com frequência nos últimos anos. Os presídios teriam que ser totalmente modificados, talvez até privatizados. Terão que deixar de ser 'universidades do crime';
  • O que é definitivamente importante é que com 18 ou 16 anos um imenso contingente de jovens possam matar à vontade para depois cumprirem penas ridículas, por um tempo também ridículo, caso não recebam proteção de alguma chefe de quadrilha e sejam 'apreendidos';
  • Sabemos que existem países onde criminosos não têm idade. O tamanho do crime é o que define o tamanho da pena. Mas no Brasil, tal critério, por mais ideal que possa ser, não dá para ser adotado de imediato. Esse assunto ainda tem que ser muito bem debatido pela sociedade.

2 de abril de 2015

Quais seriam as 'virtudes' que Lula consegue enxergar no PT?

  • O PT realizou uma reunião com os 27 diretórios estaduais do partido. No encerramento, foi aprovado um manifesto no qual, por sugestão do ex-presidente Lula, foi feita a defesa do que dizem ser uma campanha de 'cerco e aniquilamento' do PT por causa de suas 'virtudes';
  • Qual seria o conceito de Lula sobre tais 'virtudes'? As que conhecemos começaram no resultado da CPI dos Correios, que culminou com o 'Mensalão', que levou para atrás das grades figurões do PT. Há muitas outras 'virtudes' petistas, como o aparelhamento do Governo, com o preenchimento de cargos importantes por 'companheiros' em sua maioria incompetentes;
  • Existem ainda outras 'virtudes' do PT que Lula deveria ter destacado: o perdão de dívidas de países governados por ditadores; os financiamentos secretos feitos pelo BNDES; as estranhas mortes de Celso Daniel e Zeca do PT; e, por fim, o escândalo do momento, o 'Petrolão', com bilhões de reais em propinas transformados em recursos de campanha eleitoral do partido e de seus aliados;
  • Vamos aguardar quais serão as próximas 'virtudes' do PT que acontecerão nos próximos dias. Que não venha nenhuma daquelas que acabam afetando o bolso do povo, como vem ocorrendo com as ações da principal representante do partido das 'virtudes'.

1 de abril de 2015

No Estado do Rio de Janeiro, "saúde é o que não interessa"

  • No antigo programa 'Escolinha do Professor Raimundo', do saudoso Chico Anisio, havia um quadro com Paulo Cintura, que tinha um bordão no qual ele dizia: "...saúde é o que interessa!". Pois bem, no Estado do Rio de Janeiro esse bordão é dito ao contrário no governo de Pezão, porque para ele saúde é o que menos interessa;
  • Já falamos do remédio que uma jovem tinha que tomar diariamente, sob risco de morte se não o fizesse, mas que há um ano e meio não era entregue pelo Estado, apesar de ordem judicial, com a Secretaria de Saúde informando que dentro de dois meses passaria a fornecer o medicamento. Se a menina morrer, vai para as estatísticas;
  • Hoje ficamos sabendo que 28 UPAs não receberam repasse de verbas desde dezembro do ano passado. Ai de quem necessitar de socorro urgente. Pode ser que na UPA não haja sequer esparadrapo. Esse é o tratamento que Pezão & Cia. dá a quem precisa de assistência médica.