Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

31 de janeiro de 2013

Duas tragédias acontecem no Brasil: uma, em Santa Maria, e outra, em Brasília

  • O assunto que domina a imprensa hoje, como não poderia deixar de ser, é a tragédia de Santa Maria, com a triste realidade de que ainda poderá aumentar o número de vítimas por causa das sequelas inevitáveis causadas pela inalação da fumaça tóxica provocada na Boate Kiss por conta de variado número de irresponsáveis que permitiram o funcionamento daquela casa noturna. Não há muito o que se comentar, mas não custa nada demonstrar aqui a revolta de cidadãos comuns indignados com tanto descaso por parte das autoridades que deveriam estar sempre alerta quanto aos riscos que poderiam oferecer às pessoas que, em última análise, na condição de contribuinte são os que garantem seus salários. Assim é que transcrevemos algumas cartas publicadas hoje na seção correspondente da edição de 'O Globo';
  • Hugo Accorsi, do Rio de Janeiro, desabafa assim: "Em primeira mão, já sabemos qual a cadeia de responsáveis pela tragédia da cidade gaúcha. Pela ordem crescente de responsabilidade: o rojão que incendiou o teto da boate; o extintor de incêndio, qu não funcionou; o Corpo de Bombeiros da cidade, que deu o laudo permitindo o funcionamento da boate; o secretário da prefeitura que tem o Corpo de Bombeiros sob sua jurisdição; o prefeito, que, como político, não sabia de nada e deve ter sido traído por algum funcionário da prefeitura (deveria ser proibido de dar entrevistas e falar dessa tragédia); e, finalmente, nós, que, como sempre, votamos nesse pessoal";
  • Já o leitor Aridalton Pinto de Oliveira, também do Rio, dá um recado bastante enfático: "A tragédia de Santa Maria deveu-se à 'irrespnsabilidade brasileira'. O prédio era uma armadilha, sem saídas de emergência, exaustores de ar e sistema automático de detetores de chama, e com revestimento acústico de material inflamável. Mas conseguiram alvará de funcionamento! O que aconteceu com os bombeiros, que fazem a avaliação desses prédios? E as outras autoridades e fiscais? Convivemos diariamente com milhares  destas 'bombas-relógio: trens, ônibus e metrôs hiperlotados, onde os passageiros são empurrados para que as portas se fechem. Estamos aguardando que um acidente possa, mais uma vez, mostrar ao mundo o quanto a corrupção e a hipocrisia matam no Brasil. E o pior é depois aturar discursos de políticos irresponsávies. Uma lástima!";
  • Enquanto isso, na área política, outros fatos também causam revolta entre os cidadãos de bem. Na mesma seção de cartas outros leitores tão também seus recados. Paulo André Marques, do Rio, manda seu recado: "É justo que os meios de comunicação despendam seu tempo e espaço com notícias sobre a catástrofe em Santa Maria. Mas estão deixando de lado um outro assunto que afeta diretamente milhões de cidadãos:a eleição para as presidências da Câmara e do Senado, dia 31/1. Henrique Alves, para a Câmara, é fortíssimo candidato a ficha-suja, e Renan, para o Senado, já é.O Brasil político irá ser representado por pessoas que, se viessem a ser julgadas pelo povo, certamente seriam extirpadas de vez da política. Quem, em sã consciência, votaria neles para os cargos pretendidos? É catástrofe anunciada";
  • Outro leitor, Evandro de Souza Santana, também do Rio de Janeiro, faz seu protesto: "Parece que o acontecimento em Santa Maria ajudou a desviar o foco da discussão sobre as eleições no Congresso, pois a imprensa estava divulgando os malfeitos dos candidatos, que são apoiados pelos partidos da base governista e até pela oposição, pois, como farinha do mesmo saco, o que está em jogo ali é uma farta distribuição de cargos e verbas públicas. O que é pior: ambos são fichas-sujas e, em um país sério, não poderiam nem se candidatar aos cargos que já ocupam";
  • As quatro cartas retratam, com absoluta clareza, o que pensam hoje os cidadãos de bem sobre as duas tragédias. Os dois episódios devem ser considerados assim. Em Santa Maria, um grande número de mortes está confirmado e algumas outras ainda poderão acontecer. Em Brasília, deputados e senadores pouco estão preocupados com a vida de milhões de brasileiros, muitos dos quais também poderão morrer, pois os desvios de dinheiro público praticados por muitos deles certamente farão falta em hospitais e postos de saúde, e ainda deixando muitas pessoas nos corredores de hospitais públicos, penando por falta de atendimento adequado. São mesmo duas tragédias que estamos vivendo.

30 de janeiro de 2013

E então, Dilma, para aumento do preço dos combustíveis não tem rede nacional de TV?

'Vocês acreditaram em mim?"
  • Para anunciar um discutível desconto nas contas de energia elétrica a presidente Dilma Rousseff convocou uma rede nacional de rádio e televisão, quando fez um tremendo estardalhaço, chegando ao ponto de ser contestada na Justiça por partidos de oposição sob suspeita de ter aproveitado o momento para se dirigir de modo pouco republicano aos seus opositores, falando também como porta-voz de seu partido, como que chamando seus adversários para o confronto programado para outubro do ano que vem. Entretanto, Dilma não se utilizou do mesmo expediente para comunicar à Nação que os preços dos combustíveis aumentariam a partir do primeiro minuto de hoje. Tanto um fato como o outro influem diretamente no bolso do consumidor e deveriam ser tratados pela chefe do Executivo com a mesma ênfase;
  • Todo mundo sabe que o PT está hoje no Poder por conta do aperfeiçoamento das ações de sus marqueteiros, principalmente quando o líder maior do partido sofreu uma remodelação de imagem passado a ser chamado de 'Lula, Paz a Amor'. Pois bem, os marqueteiros colaboraram com a ascensão de Dilma à Presidência e continuam agindo com a mesma eficiência. Aproveitaram que a população estava, e ainda está, traumatizada com a tragédia ocorrida na cidade gaúcha de Santa Maria e, quase na cala da noite, anunciaram o aumento dos preços do combustíveis. Ficou parecendo um assalto. E é isso mesmo! O tal desconto nas contas de luz vai desaparecer com os aumentos que certamente virão sempre com a justificativa de que tudo precisa ser reajustado por conta do inevitável aumento dos custo com o frete das mercadorias, além da ganância natural dos empresários brasileiros;
  • O pior de tudo fica por conta da justificativa de que a Petrobras está com rombos em suas finanças e que necessita fazer caixa. Nos últimos tempos a nossa principal estatal tornou-se num verdadeiro cabide de empregos para 'companheiros', além de financiar projetos muitas vezes suspeitos, num verdadeiro sorvedouro dos recursos da empresa. Ao colocar Graça Foster, uma técnica dos quadros da Petrobras na sua presidência, querendo ou não Dilma reconheceu que ali Lula havia deixado para ela um verdadeira 'herança maldita'. Os acionistas da Petrobras certamente não estão nada satisfeitos com o que vinha ocorrendo. Nos últimos anos as ações da estatal sofreram queda de absurdos 45% e ainda deixou de ser a maior empresa da América do Sul, caindo para a terceira colocação;
  • Como empresa, a medida está correta. No entanto, o povo, e não só os acionistas, está sendo convocado compulsoriamente para pagar a conta. Mais uma vez a mentira governamental prevalece. Dilma 'jogou para a arquibanca'. Quanto a nós, cabe-nos dar a resposta nas urnas no ano que.vem. Chega de sermos enganados e usados como massa de manobra. Quem quiser se reeleger, que mostre serviço. Quem assumir o lugar dos que hoje estão mandando, que nos apresentem alternativas que sejam válidas. Não podemos mais continuar a ser enganados. O desconto anunciado com toques de trombetas começa a se diluir nas bombas de combustíveis.

29 de janeiro de 2013

Mais uma tragédia, e mais uma vez autoridades públicas são as responsáveis

  • Ainda sob o impacto da tragédia ocorrida em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, alguns questionamentos necessitam ser feitos, a começar pela Prefeitura daquela cidade, que permitiu o funcionamento de uma casa de espetáculos com uma única porta de entrada e saída de pessoas, o que já não seria nada recomendável em situações normais. Em ocasiões com a de agora, a falha é imperdoável. Se a Municipalidade não havia aprovado o projeto, por qual razão não houve uma fiscalização sobre esse item? E o Corpo de Bombeiros local, como permitiu que algo tão importante para a segurança dos frequentadores não fosse observado. Mais absurdo foi vermos o comandante da corporação dizer que o protocolo de pedido de renovação já dava à Boate Kiss condições de funcionar. Como assim, se ela estava totalmente irregular? Essa autorização e simplesmente absurda;
  • Muita gente tem bastante responsabilidade criminal nessa terrível tragédia, a começar pela direção do estabelecimento. Deu para se notar que o interesse maior é o de arrecadar dinheiro. Não fora isso, os seguranças não estariam tão obsecados em cobrar as tais comandas dos que tentavam fugir do incêndio. Foram instruídos para isso e somente à força é que a saída foi liberada, mas muitos já caíram no local morrendo por asfixia, fazendo com houvesse a necessidade de arrombamento das paredes para que os bombeiros pudessem entrar no local para tentar salvar os que ainda sobreviviam. Também se questiona como na época em que vivemos não houvesse nenhum tipo de comunicação entre o palco e os seguranças para que esses tomassem conhecimento do que eles ainda não tinham visto, que era um grande incêndio que se alastrava;
  • Em todas as tragédias brasileiras sempre vemos que o Poder Público está sempre envolvido com elas, seja como na falta de fiscalização, como aconteceu em Santa Maria e até com o desvio dos recursos destinados às vítimas, como ocorreu após as enchentes que vitimaram centenas de mortes na Região Serrana do Rio de Janeiro. Não dá para acreditar que o povo brasileiro vai continuar dando crédito e essas pessoas que não têm um mínimo de sentimento pelos seres humanos que através do voto lhes outogam mandatos tão mal exercidos, sempre voltados para seus próprios interesses. Será que mais uma tragédia, dessa vez envolvendo mais de 200 jovens universitários não vai servir de alerta para que a opinião pública se mobilize para promover nas eleições do ano que vem a maior renovação dos quadros políticos do Brasil? A cada fato que ocorrer, mais um aviso é dado para que tais figuras sejam banidas da vida pública.

26 de janeiro de 2013

Candidato a presidente do Senado é denunciado pelo procurador Roberto Gurgel

  • A notícia não traz nenhuma novidade. A novidade pode ser o fato de a notícia aparecer logo agora, às vésperas da eleição para presidente do Senado Federal. O fato é que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, apresentou nesta sexta-feira denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Sob segredo de Justiça, um inquérito investiga suspeitas de que o parlamentar alagoano teria utilizado notas fiscais frias para tentar comprovar que tinha renda suficiente para pagar uma elevada pensão a uma filha que teve fora do casamento com a jornalista Mônica Veloso. Como todo mundo está sabendo, pois o episódio é relatado diariamente na imprensa, para revolta dos brasileiros lúcidos, Renan Calheiros protagonizou o escândalo, ocorrido em 2007, principal razão que o levou à renúncia do comando do Senado;
  • Através de sua assessoria, a Procuradoria-Geral da República (PGR) confirma que Roberto Gurgel encaminhou denúncia contra Calheiros ao Supremo, porém, não dá detalhes sobre o teor do ato judicial. Segundo os assessores do procurador-geral, ele não pretende comentar o caso devido ao sigilo judicial. A investigação contra Calheiros no STF teve início em agosto de 2007. O relator do processo é exatamente o ministro Ricardo Lewandowski, que em fevereiro de 2011 pediu um parecer do Ministério Público sobre o caso. Desde aquela ocasião, o inquérito estava sendo analisado pelo procurador-geral. Ainda bem que ainda existe alguma chance de Renan Calheiros não seguir nessa marcha de retorno ao comando do Senado;
  • O que causa mais espanto é que a candidatura do senador alagoano seja apoiada pela presidente Dilma Rousseff, pois Renan tem apoio da cúpula do PMDB, apoio esse baseado no fato de que ela quer sempre agradar os peemedebistas, pois ela manterá o atual vice-presidente da República Michel Temer (PMDB-SP) em sua chapa nam busca da reeleição em 2014. Por motivos óbvios, Renan também é apoiado pelo atual presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Isso não é fato para se sorrir e sim para chorar;
  • Parece que nossos políticos resolveram chegar às raias do cinismo, uma vez que também para a presidência da Câmara o favorito também não tem currículo, mas sim prontuário policial. Suas falcatruas estão surgindo a cada dia. É chegada a hora do eleitor reagir. Os presidente da Câmara e do Senado fazem parte da linha sucessória da Presidência da República. A eleição dessas duas figuras é um verdadeiro acinte ao povo brasileiro e precisa ser repelida veementemente.

20 de janeiro de 2013

A nova elite do Congresso do PMDB e do PT

  • As escolhas dos futuros presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados têm sido alvo das maiores críticas por causa dos nomes previamente divulgados como virtuais eleitos. O que causa maior revolta é o do senador Renan Calheiros, cuja passagem no mesmo cargo tem histórico por demais conhecido e que não é nada agradável. O provável presidente da Câmara também tem sido alvo de denúncias sobre ações nada republicanas, envolvendo o uso indevido de dinheiro público favorecendo parentes e também pessoas de suas estreitas relações. Em razão disso estamos reproduzindo artigo de Elio Gaspari publicado hoje em "O Globo' e na 'Folha de São Paulo', no qual ele retrata o modo como os parlamentares se importam com o que podem pensar seus eleitores:

Senadores e deputados devem refletir sobre a seleção que vem sendo escalada para dirigir o Congresso e ocupar cargos relevantes no plenário. A cúpula do Parlamento tem algo como 20 posições de destaque, que refletem a essência da liderança das duas Casas. Sempre houve casos esparsos, e graves, em que foram escolhidos parlamentares com mais prontuário que biografia. Jamais chegou ao que se está armando agora

Para a presidência do Senado, o favorito é Renan Calheiros (PMDB-AL). Ele já esteve nessa cadeira (ocupada pelo padre Diogo Feijó) e em 2007 renunciou porque foi revelada uma rede de relações perigosas na qual a empreiteira Mendes Júnior pagava as despesas da namorada com quem tivera uma filha.

O episódio valeu à senhora a oportunidade de posar para um ensaio de J. R. Duran na revista "Playboy".

Para a presidência da Câmara, já ocupada por Ulysses Guimarães, o favorito é o deputado Henrique Alves (PMDB-RN). Mantinha em sua assessoria (paga pela Viúva) o sócio da empresa Bonacci Engenharia, que recebeu R$ 6 milhões em verbas federais direcionadas para obras em 20 municípios do Rio Grande do Norte governados por correligionários. Na sede da empresa, o repórter Leandro Colon encontrou o bode Galeguinho.

Para a vice-presidência da Câmara, a bancada do PT escolheu o deputado André Vargas. Há poucos dias, quando o ex-governador gaúcho Olívio Dutra disse que José Genoino deveria renunciar ao mandato, Vargas exibiu a ética do PT 2.0: "Quando ele passou pelos problemas da CPI do Jogo do Bicho, teve a compreensão de todo mundo. (...) Ele já passou por muitos problemas, né?"

Para a liderança da bancada do PMDB de Calheiros e Alves, exercida em outros tempos por Mario Covas, o favorito é o deputado Eduardo Cunha (RJ). Começou sua carreira política durante o collorato, quando tinha o beneplácito de Paulo Cesar Farias. Tornou-se poderoso padrinho nas Centrais Elétricas de Furnas e no seu fundo de pensão. Em 2011, fechou todos os salões do Copacabana Palace para uma festa familiar com mil convidados. Tem o apoio de Sérgio Cabral e do prefeito Eduardo Paes.

Cunha disputa o lugar com o deputado Sandro Mabel, um dos homens mais ricos do Congresso. Acusado de ter oferecido R$ 1 milhão de luvas e R$ 30 mil de mesada a uma colega para que mudasse de partido, viu-se absolvido pelo plenário.

Na liderança do PT está o deputado José Guimarães (CE), irmão de José Genoino, ex-presidente do partido, que aguardará no plenário o desfecho da sentença do Supremo Tribunal Federal que o condenou a seis anos e 11 meses de prisão, impondo-lhe uma multa de R$ 468 mil. Em outra encarnação, ele liderou a bancada petista.

Em 2005, um assessor de Guimarães foi preso no aeroporto de Congonhas com R$ 200 mil numa mala e US$ 100 mil na cueca.

Juntos, o PMDB e o PT controlam 31 da 81 cadeiras do Senado e 165 das 513 na Câmara.
Essa nova elite parlamentar reflete um sentimento das bancadas e de boa parte do plenário. Elas seguem uma norma de don Vito Corleone:

"Para mim, não tem importância o que uma pessoa faz para ganhar a vida. Entendeu?"

  • Para configurar o momento político vivido no Brasil, nos deparamos hoje com notícias com manchetes assim: "Os estragos do furacão Mônica", falando da ex=amante de Renan Calheiros, que chegou a ser até apresentadora de um programa de TV, graças à fama que adquiriu depois que o futuro presidente do Senado foi denunciado chegando depois à renúncia do cargo para não ser cassado e declarado inelegível. Também tomamos conhecimento de que o ex-presidente Lula ganhou o Troféu Algemas de Ouro, escolhido.entre as personalidades mais corruptas de 2012. Lula ganhou com 65,69% dos 14.547 votos válidos, ficando em segundo lugar, com 21,82%, o ex-senador Demóstenes Torres, seguido pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, com 4,55%. O troféu é uma realização do Movimento 31 de Julho;
  • Ainda sobre Renan Calheiros aparece a notícia de que ele deu verba pública para empresa de sua secretária realizar pesquisas para o senador e também para seu filho e deputado federal  Renan Filho, de cujos resultados ninguém teve conhecimento. Depois de ser denunciada, a secretária passou a empresa para seu marido, mas as contratações continuaram. Outro político focalizado no noticiário foi o ministro do 'apagão', Edison Lobão Filho, de Minas e Energia, que tem um processo tramitando estranhamente há 11 anos, no qual lhe é cobrada a importância de R% 5 milhões e 500 mil. Ainda no âmbito do Senado, há a notícia de que aquela Casa Legislativa autorizou a efetivação sem concurso de pelo menos cinco servidores contratados, contrariando a lei, um deles ligado à família Sarney. Não coincidentemente, o atual presidente do Senado é José Sarney;
  • Os fatos se repetem ou novos surgem. O que as pessoas de bem aguardam é que o povo acorde e veja que está chegando a hora de se dar um basta nisso tuto. Está nas mão do eleitor começar no ano que vem a mudar esse quadro deprimente em que se encontra a maioria dos nossos políticos. A arma é o voto.

18 de janeiro de 2013

Lula extrapola e agora é 'prefeito' de São Paulo e 'presidente' do Brasil

  • Dessa vez o ex-presidente Lula foi longe demais. Ele acaba de comandar uma reunião segunda-feira com o secretariado do prefeito petista Fernando Haddad, de São Paulo, na capital paulista, e no dia seguinte foi a Brasília para se reunir no Palácio da Alvorada num jantar com a presidente Dilma Rousseff e as cúpulas do PMDB e PT, comandando o início das articulações políticas e a montagem do cenário para as eleições de governador e presidente no ano que vem. Para o público externo, o encontro serviu para reforçar a parceria do PT com o PMDB, numa clara preocupação com outros partidos que ameaçam o projeto do PT em 2014, que quer levar adiante sua meta de 20 anos no Poder, como é o caso do PSB, que tem cacife para lançar candidato próprio. Na ocasião foram confirmados a parceria para a disputa presidencial e o acordo para a eleição dos próximos presidentes da Câmara e do Senado, em fevereiro;
  • Até ai, nada que não seja válido, pois o jogo sucessório já está dando seus primeiros passos. No entanto, já são comuns as idas da presidente Dilma a São Paulo para se reunir com Lula. Ele chegou mesmo a deixar vazar a notícia de que estaria 'convocando' Dilma para uma reunião em São Paulo para traçar novas metas para o Governo, preocupado com o fraco desempenho de sua 'criatura' que hoje ocupa a cadeira principal do Palácio do Planalto. No caso de São Paulo, Lula mostrou-se mais preocupado ainda, pois o prefeito 'inventado' por ele foi um péssimo ministro da Educação, sendo notórias as falhas ocorridas em várias edições do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Lula sabe que a Prefeitura de São Paulo é muito mais complexa para se administrar do que o MEC. Se Haddad fracassar nos dois primeiros de governo, os projetos do PT podem ruir;
  • O que chama a atenção é o ar professoral de Lula na reunião com os secretário do prefeito de São Paulo. Numa das fotos da reunião divulgada pela mídia, nota-se Haddad com aparência de quem está embevecido com as lições do mestre. E logo de Lula, que nunca administrou nada nos seus oito anos de mandato, preferindo deixar tudo inicialmente nas mãos do seu 'capitão do time' José Dirceu, e depois da queda dele, a administração ficou à cargo da grande 'gerente', que no final já era chamada por Lula de 'mãe do PAC', o 'empacado' Programa de Aceleração do Crescimento, que nunca acelerou nenhuma crescimento e que ainda serviu para levantar suspeitas de alguns mistérios por força do grande volume de obras atribuídas à famosa construtora Delta, talvez a razão de tanta blindagem em torno de Fernando Cavendish, então presidente da empresa, blindagem essa comandada pelo próprio Governo;
  • Tomamos conhecimento de que o país vizinho Venezuela tem um presidente não empossado e que muita gente desconfia já estar morto em Cuba, com um presidente também não empossado. Já no Brasil, temos uma presidente que é comandada por um outro que confessa não ter 'desencarnado' do cargo, governando o País em 'dobradinha', que ainda arranja tempo para comandar a prefeitura da maior cidade do Brasil, com um orçamento somente inferior ao da União e ao do Estado de São Paulo. A grande verdade é que o ano de 2013 vai ser bastante complicado para o PT, pois além dos muitos 'malfeitos' descobertos nos últimos 10 anos, agravados com as demissões em massa de ministros indicados a Dilma por Lula, e ainda com figuras de ponta do PT sendo condenados a prisão no julgamento do 'Mensalão do PT'. Grandes emoções vêm por aí para os petistas.

16 de janeiro de 2013

Câmara e Senado vão eleger como presidentes dois praticantes de 'malfeitos'

SponHolz não erra uma
  • Este blog nunca teve a pretensão de ser recordista de acessos. Vimos que por aqui podemos ser mais um soldado na luta contra os 'malfeitos' que historicamente são praticados pela quase totalidade de nossos políticos, em especial nossos parlamentares. Por várias vezes procuramos demonstrar, por exemplo, a inutilidade do Senado Federal, propondo que nosso sistema legislativo seja unicameral. Uma Câmara com 513 deputados somados a 81 senadores é gente demais para fazer tão pouco e custar tanto aos cofres públicos, tema exaustivamente abordado aqui e numa infinidade de blogs. No entanto, a existência do Poder Legislativo é algo obrigatório para que o País se caracterize como uma autêntica democracia. Disso não podemos nunca abrir mão, pois os parlamentares são realmente os representantes do povo;
  • Outro ponto a ser ressaltado é a hierarquia existente na República, que põe o presidente da Câmara dos Deputados como terceiro na linha sucessória do Poder Executivo, seguido do presidente do Senado Federal, quando do impedimento do presidente e do vice-presidente da República. Veja-se que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) também faz parte dessa linha sucessória, mas apenas em quinto lugar. Sendo assim, deveria ser algo muito sério a escolha de quem vai assumir a presidência das duas casas legislativas, pois de uma hora outra poderão estar dirigindo o País, algumas vezes podendo ser em caráter efetivo. Uma coisa é certa, eles têm grande importância nas funções que exercem;
  • Em fevereiro, quando voltarem do recesso, deputados e senadores estarão envolvidos no processo de escolha de suas novas mesas diretores, significando que dois importantes cargos estarão sendo preenchidos nos dois Legislativos. No entanto, vê-se que a seriedade não está tendo assento nem na Câmara nem no Senado. Alguns candidatos já chegam à eleição praticamente garantidos de serem eleitos. Acordos são firmados e os observadores chegam ao ponto de antecipar os resultados das eleições para a formação das duas mesas executivas. No caso do Senado, causa espanto que o grande favorito seja nada menos que Renan Calheiros (PMDB-AL);
  • Renan Calheiros aquele mesmo que teve que renunciar ao mandato para não ser cassado e ficar inelegível, em razão de seu envolvimento com a jornalista Mônica Veloso, que recebia pensão alimentícia pagos por uma construtora que recebia dinheiro proveniente de obras nas quais Renan tinha total interesse. O futuro presidente do Senado tinha empresas com laranjas e não justificou patrimônio compatível. Livre da inelegibilidade, voltou ao Senado para mais um mandato de oito anos e hoje é favorito para retornar ao cargo que desonrou em 2007. O eleitorado de Alagoas sabe o que faz (ou não sabe), pois também é representada no Senado por outra 'ilustre' figura, que é nada menos que o ex-presidente Fernando Collor. O Brasil só pode 'agradecer' ao povo alagoano, pois quando tomam posse os parlamentares passam a representar todo o eleitorado brasileiro;
  • A Câmara dos Deputados resolveu 'competir' com Senado e tem como praticamente eleito para a presidência o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que nos últimos dias foi envolvido numa notícia dando conta de que suas emendas parlamentares e sua verba indenizatória são 'aplicadas' no Rio Grande do Norte, porém direcionadas a pagar serviços a empresas que fizeram gordas contribuições para sua campanha eleitoral, com o agravante de serem tais empresas ligadas a familiares do futuro terceiro homem da linha sucessória ou até de assessore seus no Senado. Tudo isso com dinheiro público, é claro;
  • Para tornar tudo isso mais turvo, é de se estranhar que os dois prováveis eleitos contam o a simpatia e apoio da presidente Dilma Rousseff, comprovando que a 'faxineira' do anos passado mudou seu jeito de fazer limpeza, passando a jogar o lixo debaixo do tapete, talvez já pensando na sua reeleição no ano que vem. Quanto a isso, ela depende do 'pibinho' e dos apagões de energia elétrica previstos e também do aumento do preço dos combustíveis. Tudo isso vai ser jogado contra ela, na campanha de 2014. Já quanto aos deputados e senadores, o eleitorado é que está com a palavra final. Se ele quiser, esse quadro pode começar a mudar. E, pior ainda, até o PSDB, que se diz de oposição, também apoia o candidato do PMDB á Presidência da Câmara.

15 de janeiro de 2013

O luxo dos apartamentos de nossos deputados comparado com os da Suécia

Deputados trabalham pouco mas moram muito bem
  • Se o Senado Federal tem sido objeto de notícias quase sempre desagradáveis a ponto de acharmos que aquela Casa Legislativa está sobrando no contexto da República. Para a grande maioria os senadores trabalham pouco, ganham subsídios muito elevados e ainda dispõem de mordomias e direitos que não se justificam, principalmente pelo pouco que produzem. Mas eles não estão sós. Nossos ilustres deputados federais também têm direito às mesmas coisas e custam muito aos cofres públicos. Da mesma forma que os senadores, nossos 'representantes' saem muito caro no final de cada mês, acrescentando-se o fato de que quase nada fazem, deixando que o Executivo exerça suas atribuições, pois a presidente Dilma Rousseff, a exemplo de Lula e também de seus antecessores, praticamente legisla através de Medidas Provisórias (MPs), com o Congresso Nacional, de um modo geral, se omitindo quanto a isso;
  • Nos últimos dias, a imprensa tem dado grande ênfase à reforma que foi feita em mais de 400 apartamentos funcionais aos quais os deputados têm direito. Como são 513 os integrantes da Câmara, os restantes recebem uma espécie de auxílio-moradia, no valor de R$ 3 mil e 500 para que possam se acomodar em Brasília, o que normalmente é gasto em apart-hotéis (até os que residem na Capital Federal recebem esse auxílio, mesmo já tendo residência fixa em Brasília). Até aí, nada demais. Imóveis devem ser sempre que possível reformados para que não se deteriorem, principalmente se eles são patrimônio público formado a partir de dinheiro de impostos, isto é, vindo do bolso do contribuinte. Todavia, gastar em cada um 'apenas' R$ 650 mil em cada um apartamento, o preço de compra de um novo, chega às raias do absurdo. O custo total dessas reforma chagou a R$ 280 milhões;
  • Nossos ilustres 'representantes' moram em apartamentos de 200 metros quadrados, que receberam novos pisos de porcelanato, bancadas e pisos de granito na cozinha e banheiro, este com alguns recebendo banheira de hidromassagem. Na opinião de alguns designers de interiores, o custo dessa reforma poderia ficar numa faixa de cerca de R$ 100 mil. Em se tratando de dinheiro público, paira no ar algo parecido com superfaturamento, o que não seria surpresa acontecendo na área política. Esses mesmos deputados já desfrutam de 15 salários no ano e mais uma infinidade de outras mordomias e são agraciados agora com mais luxo em suas residências;
  • Para deixar o cidadão/contribuinte mais revoltado, voltaram a ser informados pelas redes sociais na Internet e até pela mídia os contrastes entre os direitos funcionais dos deputados brasileiros confrontados com os da Suécia. Esses têm direito a um apartamento de 40 metros quadrados com um quarto que é sala ao mesmo tempo, para vários deles ao mesmo tempo, desfrutando de cozinha e banheiro comuns. Aqui, somente os gabinetes dos nossos parlamentares têm 18 metros quadrados, quase a metade de um apartamento comunitário dos deputados suecos. Assim vamos comparando, nos revoltando. Somente com o voto poderemos começar a ir trocando esses 'representantes' que temos hoje, que tem mordomias que nem o Primeiro Mundo proporciona aos seus parlamentares, ao mesmo tempo que atuam na Câmara e no Senado em nível de Terceiro Mundo.

12 de janeiro de 2013

Lula dá uma de 'Presidente do B' e convoca Dilma Rousseff para reunião

Lula vai chamar Dilma e fazer cobranças
  • A notícia está no site da 'Folha de São Paulo' e repercutindo na Internet, principalmente através de blogs, Facebook e Twitter, informando que o ex-presidente Lula tem demonstrado preocupação com o desempenho da presidente Dilma Rousseff, que poderá ter reflexos negativos no projeto de poder do PT. Para discutir a situação, Lula marcou uma reunião com a presidente para a segunda quinzena deste mês. Segundo avaliação dele, Dilma precisa "destravar" sua administração, entre outras razões, para segurar sua alta popularidade em um ano desafiador como 2013;
  • É interessante lembrar que Lula criticava Fernando Henrique Cardoso quando este fazia qualquer tipo de crítica à administração do petista, que aconselhava FHC a assumir uma posição de 'ex', não dando palpites no governo no qual ela não mais estava. No caso atual, prevalece o velho ditado que dizia: 'Farinha pouca? Meu pirão primeiro!'. Afinal, qual a função de Lula no Governo de Dilma? Ao que se sabe, nenhuma. No entanto, essa atitude de cobrança não é nada menos do que a continuidade da algo que sempre aconteceu nesses dois anos de governo dela, que é ir sempre a São Paulo trocar ideias e ouvir 'conselhos' de quem 'inventou' a candidatura dela, mesmo contra a vontade de petistas históricos. A aposta de Lula deu certo e ele se acha 'dono' de sua criatura;
  • A notícia da 'Folha' informa que no fim do ano passado, o ex-presidente foi procurado por empresários, banqueiros, políticos e líderes de movimentos sociais, que se queixaram do estilo "centralizador" e "pouco acessível" da presidente. Além das queixas já tradicionais sobre o "estilo Dilma", desta vez Lula ouviu e concordou ao menos em parte com reclamações diversas: falta de interlocução, excesso de centralização e, para alguns, o intervencionismo da União na economia, este reforçado no ano passado com medidas no setor elétrico. Para comprovar a preocupação de Lula, este tem tem repetido que o terceiro ano do mandatário é o mais crucial, principalmente no caso de um candidato à reeleição, algo que em princípio ainda está programado;
  • A nova reunião está prevista para a segunda quinzena de janeiro, provavelmente entre os dias 18 e 20 deste mês. Haverá, ainda, a pré-definição de uma agenda de viagens presidenciais para dar visibilidade às ações do governo. A proposta embute a avaliação, também crítica no PT, de que Dilma saiu pouco do Planalto nos dois primeiros anos e de que este é um governo que não se comunica ou define uma marca. Enquanto isso, os problemas se avolumam na área econômica e energética, como a dificuldade de cumprir a promessa feita na TV de reduzir a conta de luz com os reservatórios das hidrelétricas em níveis baixos;
  • Na política, a avaliação de petistas é a de que é preciso se aproximar mais da base de sustentação no Congresso para tentar evitar uma divisão dos partidos da 'base aliada' com alguns adversários do PT em 2014. Uma das grandes preocupações dos petistas é o governador Eduardo Campos (PSB-PE), que tem sido uma especie de ímã entre os que estão decepcionados com o estilo Dilma.

10 de janeiro de 2013

Apagão diário é uma forma disfarçada de racionamento de energia

Seu apagão de hoje já aconteceu?
  • O que mais se vê no Governo são explicações - algumas chegam até a ser engraçadas - quando falhas administrativas são percebidas. No início do primeiro mandato de Lula, qualquer coisa que saísse errada era atribuída à 'herança maldita' que teria sido deixada por Fernando Henrique Cardoso. Dez anos depois, a presidente Dilma Rousseff continua com vários problemas que o Governo não corrigiu. Não dá para colocar na conta de FHC e muito menso afirmar que Lula deixou para ela uma 'herança maldita', mesmo que isso fique mais do que caracterizado. Quando a presidente teve que exonerar quase dez ministros que foram flagrados praticando 'malfeitos', mesmo sendo todos eles indicados por Lula, ela teve que engolir a seco o constrangimento, sem, contudo, poder atribuir a 'herança' a alguém, por mais clara que fosse a origem;
"Ó, dúvida cruel! Vamos ter que imitar FHC?"
  • Ao longo da campanha eleitoral de 2002 e mesmo depois de assumirem o Poder, os petistas passaram a chamar de Governo do Apagão o período em que Fernando Henrique Cardoso governou o País. A atual presidente assimiu o cargo de minstra de Minas e Energia no primeiro mandato de Lula e passou a ser uma propagandista dos apagões, figura mais do que explorada na campanha pela reeleição do ex-presidente. Nos últimos tempos não tem havido nenhum esquema de racionamento, como ocorrera na época de FHC, mas em compensação quese todos os dias têm ocorrido apagões em vários pontos do Brasil, muitas vezes por muitas horas, o que não deixa de ser uma espécie de racionamento disfarçado;
  • Quando o ministro de Minas e Energia e outras autoridades do sistema energético passam a se reunir diariamente e se esforçam em declarar que não há nenhum risco de racionamento, pela tradição brasileira temos mais é que esperar pelo lamentável evento. O risco é tão evidente, que o Governo prefere gastar muito dinheiro público acionando usinas térmicas para evitar os cortes programados de energia. E com um agravante: as usinas térmicas foram criadas por FHC exatamente para compensar os problemas que leveram o governo dele a promover o racionamento;
  • Para deixar a população pensando que está tudo bem, o desconto de 20% nas contas prometidos pela presidente Dilma às vésperas das eleições do ano passado está impraticável, mas ela garante que o Tesouro Nacional cobrirá a diferença, ou seja, a fatura vem com desconto e o Govetrno banca a diferença com os impostos pagos pelos consumidores/contribuintes. A para festejar, finalmente, o Governo anuncia que como consequência em 2014 haverá um 'pequeno' reajuste da tarifa. Isso quer dizer que o consumidor ganha do Governo com um das mãos e com a outra ele toma de volta o que deu. Quem quiser que vote nessa gente no ano que vem para continuar sendo enganado por mais um mandato.

8 de janeiro de 2013

Lixo nas ruas foi a vingança dos prefeitos rejeitados pelo povo

Em Nilópolis (RJ), a 'vingança' foi assim: lixo na cidade toda
  • O novo ano começou quase igual aos anteriores. A grande diferença está na mudança de prefeitos e vereadores. Muitos apenas continuaram nos cargos que exerciam, mas sempre procuram dar a entender que se trata realmente de um outro mandato. No entanto, muitos do que não se reelegeram ou não conseguiram eleger seus sucessores partiram para uma prática condenável, que tem como principal vítima o povo um o elegeu e que depois democraticamente os repudiou. A vingança veio através do lixo. Isso mesmo! Como castigo, as populações passaram a conviver com montanhas de lixo nas portas de suas casas. Já com relação os reeleitos, outro de de vingança às avessas aconteceu. Uns, por exemplo, prometeram manter o valor do IPTU para o exercício seguinte, mas antes mesmo da posse fizeram reajuste no imposto como 'agradecimento' pela recondução ao cargo. Eduardo Paes, do PMDB, prefeito reeleito do Rio de Janeiro serve como exemplo;
  • Ainda sobre os reeleitos, descobre-se que algumas obras inauguradas em plena campanha estavam maquiadas para impressionar o eleitorado. Ainda no Rio de Janeiro, Eduardo Paes inaugurou com bastante estardalhaço uma tal de BRT Transoeste que após as primeiras grandes chuvas está totalmente impraticável, com a empreiteira contratada na época para a realização está sendo cobrada pela Prefeitura, mas alega que teve que correr com a obra por causa do prazo eleitoral. E o povo, como fica nessa história? O povo? Ele é obrigado a votar e acaba dando mais de 60% dos votos a quem vai lhe passar a perna logo em seguida. Até a presidente Dilma Rousseff foi à TV poucos dias antes da eleição anunciar uma redução das tarifas de energia elétrica, mas o Governo consentiu que a Light tivesse um aumento dessa mesma tarifa logo em seguida e agora aparece a informação de que essa redução poderá não acontecer. E mais ainda, a presidente diz que não haverá racionamento de energia, mas o próprio Governo através do Ministério de Minas e Energia anuncia que a redução poderá não acontecer;
  • Logo que o ano começou a população assiste espantada a Câmara dos Deputados empossar como parlamentar um até então suplente de deputado poucos dias antes condenado a mais de seis anos de prisão pela sua participação no 'Mensalão do PT'. O fato teve tanta repercussão negativa, ao ponto de o ex-governador do Rio Grande do Sul, o petista Olívio Dutra, declarar num programa de rádio, com todo aquele sotaque gaúcho, essa declaração surpreendente para muitos: "Tu deverias pensar na tua biografia, na trajetória que tens dentro do partido. Tu deverias renunciar". E assim começa o ano, que ainda está tendo o Governo denunciado por maquiar seus balanços para dar a entender um quadro econômico irreal do País;
  • Quanto às chuvas de verão, principalmente no Rio de Janeiro, nenhuma novidade, a não ser que agora os problemas que são sempre esperados não aconteceram na Região Serrana - ainda -, mas sim na localidade de Xerém, em Duque de Caxias, arrasada pelas águas, com várias ponte sendo arrastadas, que vão se somar às 65 destruídas nas enchentes anteriores, das quais somente 23 tiveram obras realizadas. O governador Sério Cabral alega que dos R$ 80 milhões prometidos pelo Governo o Estado só recebeu R$ 48 milhões. De quem á afinal a culpa? Ela é federal ou estadual? Pergunta-se outra vez: e o povo, como fica? Com certeza em 2014 todos estarão em campanha querendo continuar nos seus cargos ou eleger seus sucessores. Está mais do que claro que a solução para tanto desleixo e enganação está nas mãos desse mesmo povo. É só não digitar os números dessa gente na urna eletrônica, no ano que vem.