Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

20 de maio de 2015

O povo do Rio de Janeiro está sem nenhuma segurança

  • Todos os dias tomamos conhecimento no noticiário de mais uma falha na administração pública estadual. O pior é que as notícias mais desagradáveis são do setor de Segurança Pública até de que não há polícia nas ruas tarde da noite, 'por falta de segurança'. Há alguns dias ficamos sabendo que um grande número de veículos da Polícia Militar, que eram alugados (algo que ninguém sabia), tinham sido devolvidos à empresa locadora por causa de falta de dinheiro;
  • Agora acabamos de ver a notícia informando que a Polícia não está utilizando nenhum dos seus seis helicópteros, também por falta de dinheiro para pagar pelos serviços de manutenção das aeronaves. Cinco helicópteros custaram R$ 10 milhões, e um outro, blindado, custou R$ 22 milhões, que serve para garantir a segurança dos policiais em casos de invasão, por exemplo. A criatividade dos redatores da TV abriu a notícia dizendo: "Helicópteros da Polícia são abatidos... pela crise econômica";
  • É dessa forma que a população do Estado do Rio de Janeiro se encontra, depois de ter sido enganada pelo marketing da campanha de Pezão, que não mostrou ao povo o quanto o governador vinha acabando com as finanças do estado. E eles têm planos de continuidade e até ambições nas eleições presidenciais. Vão deixar isso acontecer?

Governo faz corte de verbas e quer dividir a conta com o povo

  • Domingo passado, a presidente Dilma fez uma reunião com alguns ministros para o definir os cortes que serão feitos no Orçamento Geral da União do exercício de 2015, somente agora sancionado e publicado. Os cortes totalizarão cerca de R$ 80 bilhões. Para compensar essa economia forçada, o ministro da Fazenda Joaquim Levy informa que alguns impostos poderão ser reajustados;
  • Sabemos que a principal causa da necessidade de cortes e de possíveis aumentos de impostos é por conta dos prejuízos causados pelas propinas distribuídas através de desvio de dinheiro da Petrobras. Na opinião do ministro Levy, cabe ao cidadão contribuinte dividir o prejuízo com o Tesouro Nacional;
  • Vão aqui algumas sugestões de cortes que certamente gerarão dinheiro a mais nos cofres da União, sem sacrifício do contribuinte: a) diminuição da quantidade de ministérios, que consomem cerca de R$ 430 bilhões por ano; b) redução do número de cargos comissionados; c) menos partidos políticos; d) fim dos gastos com propaganda em rádio e televisão; e e) acabar com os empréstimos do BNDES a países 'companheiros';
  • Também será de grande alívio para o cidadão brasileiro o Governo parar de mentir e de divulgar balanços financeiros com 'pedaladas'. Se a equipe econômica da presidente Dilma acatar essas sugestões, ela pode ficar certa de que os panelaços passarão a ser bem menores.

Critério para escolha de ministros do STF tem que mudar

  • Nesta terça-feira o plenário do Senado vai votar o parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovando o nome de Luiz Edson Fachin, indicado pela presidente Dilma para compor o quadro de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) na vaga existente desde a aposentadoria do ministro Joaquim Barbosa, passando a ser o 11° membro da nossa Corte mais elevada no âmbito da Justiça;
  • A sabatina a que Fachin foi submetido é considerada como a mais longa dos últimos anos. Foram cerca de doze horas, após as quais sua indicação foi aprovada por 20 votos a favor contra 7. Além das discussões sobre as posições políticas, ideológicas e jurídicas do indicado, muito se fala sobre a necessidade de ser mudado o critério de indicação de ministros para o STF;
  • Há uma corrente que propõe a desvinculação da interferência dos poderes Executivo e Legislativo na indicação, sabatina e aprovação de integrantes do Supremo, que deveria atribuição da comunidade jurídica. Da mesma forma, o critério seria estendido a outro setor, como o procurador-geral da União, que seria atribuição dos membros Ministério Público. Para isso, é urgente a aprovação de uma PEC propondo tais medidas;
  • É urgente que não se dê de uma vez por todas margem para que não se confie num jurista de de elevado saber jurídico, como Fachin, seja objeto de desconfiança por posições já conhecidas, e, pior ainda, sendo aprovado por senadores envolvidos na Operação Lava-Jato que algum dia estará sendo julgado por ele. Será que ele, que num passado recente foi militante petista terá isenção para isso? A lembrança de Ricardo Lewandoviski e Antônio Dias Toffoli no julgamento do 'Mensalão do PT' ainda não está apagada.

Partidos políticos podem ser boas fontes de renda familiar

  • Depois que a presidente Dilma sancionou o Orçamento da União sem vetar o elevado valor do Fundo Partidário (R$ 867 milhões), o assunto relativo às finanças dos partidos políticos vem sempre à tona. Além do fundo, as agremiações recebem variadas formas de contribuição de seus filiados, desde mensalidade pré-fixada a percentuais de salário;
  • Uma praxe lançada pelo PT é o dízimo, ou seja, 10% dos vencimentos de cargos públicos para os quais tenha sido nomeado em governo petista (federal, estadual ou municipal). Hoje há uma variação que vai de 1% até 10 %. O desconto do PT era feito em folha de pagamento, mas a Justiça o proibiu, porque sem chegar às mãos do funcionário caracterizava repasse direto ao partido, o que desde 2008 é proibido pelo TSE. No PT e nos demais partidos, os filiados que são eleitos para qualquer cargo são obrigados a fazer uma contribuição compulsória;
  • Mas é no Fundo Partidário que está a alegria de muitos dirigentes de partido. Apesar de as agremiações serem proibidas de pagar remuneração aos mesmos, muitos deles enriqueceram após alguns anos como comandantes de partidos. Há casos em que toda a cúpula é composta por membros de uma mesma família. Um presidente de um deles está há 18 anos à frente de um partido e seu patrimônio e o de seus parentes tiveram um crescimento que não condiz com sua renda mensal;
  • Junte-se a tudo isso a facilidade para se montar um partido político, ao lado de uma frouxa fiscalização por parte da Justiça Eleitoral, que uma das melhores formas para se obter uma boa renda familiar é participar do processo democrático através de seu maior meio, que são os partidos. É só saber montar uma boa prestação de contas.

Perguntamos: Dilma, onde está sua 'Pátria Educadora'?

  • Na maior cara de pau, o Governo continua gastando dinheiro público com propaganda enganosa na TV. É que tem a coragem de falar em boa qualidade da Educação. Acham que o telespectador já esqueceu que cerca de 180 mil estudantes ficaram sem financiamento do Fies? E também ninguém esqueceu que depois de uma luta de vários dias os estudantes ficaram sabendo que o Governo não tinha dinheiro para novos financiamentos;
  • Paralelamente, universidades federais ficam fechadas porque empresas terceirizadas de limpeza não recebem pagamento e suspendem o serviço. Por causa dos erros do Governo na política econômica, professores da rede de vários estados estão há meses em greve. Para culminar, tomamos conhecimento de que entre 76 países o Brasil ocupa o 60° colocado no ranking mundial de Educação;
  • Vamos protestar por aqui, porque entidades como a UNE e a UBES não se manifestam, abrindo mão da condição de entidades defensoras dos estudantes. Como são vinculadas ao PT, ficam impedidas de protestar contra mais essa grave falha do governo de Dilma Rousseff. Dinheiro para a 'Pátria Educadora' não tem, mas para gastos desnecessários não falta, o mesmo acontecendo com empréstimos a países presididos por 'companheiros'.

Parece que todo mundo está ficando louco no Brasil

  • Tem muita coisa estranha acontecendo no Brasil. Já vimos até o ano passado o país com um 'presidente da República-adjunto', porque Lula, segundo Dilma Rousseff, nunca havia saído do poder, e ele ficou o mandato inteiro dando ordens e palpites no Governo. Chegava ao ponto de convocar reuniões com ministros. Vemos também um vice-presidente governando o Brasil sem que a titular tenha se afastado do cargo. Deu a louca total. O vice Michel Temer recebe mais ministros em audiência do que Dilma;
  • Temos visto na mídia a informação de que há universidades federais sem aulas por falta de limpeza e coleta de lixo porque as empresas responsáveis pelo serviço não estão sendo pagas pelo fato de que o Governo não repassa dinheiro. Com salários atrasados há três meses, os empregados entraram em greve e os estudantes também, em solidariedade;
  • Vem agora uma grande novidade. O reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Carlos Levi, depois de reuniões com funcionários e alunos recomendou a paralisação das atividades de todas as unidades na próxima segunda-feira. Isso quer dizer que o reitor declarou greve geral na UFRJ. Só falta ele fazer piquete na entrada da universidade;
  • Para culminar, quinta-feira todos vão fazer um protesto no Palácio Guanabara. O protesto é na sede do Governo do Estado e a UFRJ é federal, mas o governador Pezão, que é aliado de Dilma, pode e deve interferir. Realmente, vê-se que 'a minhoca está correndo atrás da galinha' e 'o poste está fazendo xixi no cachorro'.

E agora, Dilma Rousseff, como agir?

  • O que está acontecendo no Rio de Janeiro para muita gente é como se houvesse uma guerra civil. O governo do Estado não está conseguindo acabar com o 'estado paralelo' implantado no Rio;
  • É hora de o Governo Federal fazer uma intervenção no Rio, designando alguém para dirigir o Estado, que pode pedir ao Governo tropas para pôr ordem no RJ, ou seja, uma intervenção militar porque a polícia estadual está perdendo a guerra contra os traficantes;
  • Acontece que esta palavra apavora a presidente Dilma, porque é isso que muita gente quer que ocorra com ela. Afinal, como justificar um ato desse em cima de um aliado? O Rio de Janeiro está vivendo momentos de verdadeiro caos.

Presidente Dilma é na verdade a rainha das mancadas

  • Volta e meia a presidente Dilma Rousseff vira notícia por causa de alguma mancada. Muitos ainda não esqueceram quando num dos últimos debates com Aécio Neves ela sugeriu a uma jovem com vários diplomas de nível superior que ela procurasse o Pronatec. Ultimamente, é só fugir do texto de algum discurso escrito por algum assessor que vem mancada na certa;
  • Mas o pior são as mancadas que servem para agravar mais ainda o infernoastral que Dilma vem vivendo atualmente. Ela escolheu o momento errado para indicar o sucessor do ministro Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal (STF), somente nove meses após a vaga. Deveria ter feito a indicação em outubro, quando estava com o prestígio em alta;
  • Como a presidente está refém dos presidentes da Câmara e do Senado e com muitos parlamentares até da base do Governo se mostrando rebeldes votando contra os interesses do Palácio do Planalto, já está há articulações para acatar algo que Dilma sempre traz à tona, a Constituinte Exclusiva. Eduardo Cunha e Renan Calheiros podem a qualquer momento fazer a convocação, conduzindo a aprovação de tudo que a presidente seja contra e rejeitando tudo aquilo que ela quer;
  • É no que dá o excesso de mancadas, que na maioria das vezes acontecem por conta da arrogância de Dilma, que tem o costume de menosprezar conselhos e orientações achando que sabe tudo. "Sabe nada, inocente!"

13 de maio de 2015

'Distritão' pode ser a novidade na Reforma Política

  • Ontem, finalmente, o relator da Comissão da Reforma Política, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), apresentou seu relatório final trazendo como novidade a adoção do 'Distritão', que muda a eleição de deputados de proporcional para majoritária. Isso significa que serão eleitos os que forem mais votados. Para exemplificar, veremos no Rio de Janeiro que serão eleitos os 46 mais votados. Havendo alguma licença, a vaga será do 47°colocado;
  • Outra novidade será a eleição para todos os cargos em 2018. Isso fará com que os prefeitos e vereadores eleitos em 2016 tenham um mandato de dois anos. Aí aparece um grande inconveniente. Os efeitos cuidarão de buscar a reeleição em 2018. Se um dos objetivos da unificação das eleições é a economia de gastos, melhor seria prorrogar os atuais mandatos;
  • De positivo, o relatório estabelece limites de gastos por parte dos candidatos e dos partidos e veda doações de empresas ou permite com um teto fixado, nesse caso vedando doações de empresas que mantenham contrato com o Poder Público. Aguardemos a votação definitiva, porque alguma coisa de positivo pode finalmente acontecer no Congresso Nacional.

12 de maio de 2015

O Estado do Rio de Janeiro parece que está falido

  • Causaram espanto as notícias de verdadeiro descalabro em órgãos do Governo do Estado do Rio em setores que deveriam receber atenção especial por parte do poder público, a saúde e a educação. O Hospital Estadual Rocha Faria, na capital, teve parte de suas instalações impedidas de funcionar por causa de acúmulo de lixo. Isso mesmo. Lixo hospitalar;
  • Reportagens de TV mostraram médicos e acompanhantes ajudando na limpeza do hospital. O que espanta é o motivo da acúmulo de lixo. A empresa contratada para o serviço suspendeu seu trabalho por falta de dinheiro para a prestação do serviço, porque o Estado não lhe paga há alguns meses. Sem dinheiro, a empresa não tem como pagar aos funcionários, e estes, por sua vez, cruzaram os braços;
  • Da mesma forma, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) também está recebendo 'ajuda' do governo de Pezão, com falta de aulas e consequentemente com vários alunos reclamando por conta da suspensão das aulas. O motivo parece ser uma marca registrada da administração estadual: falta de pagamento à empresa que faz a coleta;
  • O Estado do Rio de Janeiro deve estar preocupado, porque a cada dia surge mais uma denúncia de falta de dinheiro para realização de obras ou contratação de serviços necessários à população. Até os desvios de dinheiro da Petrobras foram usados como justificativa. Sobre os dois fatos dos salários suspensos, pelo menos surgiram notícias de que dentro em breve a situação será resolvida. É difícil acreditar, mas é o que se pode fazer;
  • A cada dia que passa mais me convenço da importância da imprensa no Brasil. Depois das duas reportagens, a Prefeitura mandou equipes da empresa municipal de limpeza urbana, a Comlurb, fazer a coleta do lixo e comunicou que o dinheiro das empresas contratadas deve ser liberado ainda hoje;
  • A imprensa é o nosso 'Ministério Público', porque é sempre após as reportagens que providências são tomadas. Não é sem motivo que os petistas estão sempre querendo implantar a tal 'regulação da mídia', que lhes daria meios para impedir que seus 'malfeitos' venham ao conhecimento do povo.

11 de maio de 2015

Governo não visa o bem estar do povo, só quer é ficar no poder

  • Depois de tornado público o balanço da Petrobras relativo ao exercício de 2014, chamou a atenção o prejuízo de cerca de R$ 60 bilhões, por causa da má gestão da qual foi vítima a estatal brasileira. Também se destaca no balanço a revelação (ou seria uma confissão?) de que aproximadamente R$ 6 bilhões desse prejuízo foram por causa de pagamento das propinas reveladas pela Operação Lava-Jato;
  • Isso significa que cerca de 10% da má gestão ocorrida na Petrobras serviram para agravar ainda mais as responsabilidades daqueles que deveriam ter agido de modo totalmente contrário à forma como cuidaram daquela que sempre foi considerada como a maior empresa do Brasil e uma das maiores do mundo. Mas não se fala em punir os responsáveis;
  • Sabendo que o bilionário desvio de dinheiro da estatal foi para beneficiar o grupo de apoio político do Governo, financiando campanhas de candidatos governistas, perpetuando-se no poder, isso provoca justa revolta nos cidadãos pelo fato de que temos hospitais públicos sem condições de atendimento, falta de escolas públicas, falta de segurança, além de uma série de outros serviços que são direitos de quem paga impostos;
  • Parece, enfim, que nossos dirigentes pouco estão se importando com isso, porque não tomam nenhuma medida para dar fim à prática da corrupção. Esta semana mesmo o Governo estava oferecendo cargos a parlamentares para que votassem em projetos de seu interesse. Diminuir o número excessivo de ministérios e de cargos comissionados, ninguém fala nisso. A nós só resta pedir socorro a Deus.

José Mujica diz que não falou sobre confissão de Lula

  • Um dos assuntos mais comentados na semana que passou foi um livro contando a história do ex-presidente José Mujica, do Uruguai, aquele que dirigia seu fusquinha para ir despachar na sede do governo daquele país e que é a favor da liberação do uso de maconha;
  • O grande problema é que José Mujica conta no livro que o ex-presidente Lula confessou numa conversa com ele que sem o 'Mensalão do PT' não teria podido governar o Brasil. Morre, então, a célebre afirmação dele, primeiro de que havia sido traído, e depois, de que o Mensalão não aconteceu, mesmo com tanto petistas indo para atrás das grades;
  • Por causa da repercussão aqui no Brasil, o uruguaio declarou que não havia afirmado aquilo. Mas não foi ele quem escreveu. Foram dois jornalistas, um deles com fortes ligações com José Mujica. Segundo dizem no Uruguai, ele não colocaria no livro algo que o ex-presidente uruguaio não tivesse dito;
  • Traduzindo: José Mujica diz que não disse o que disse, mas um dos jornalistas que escreveu o livro disse que só escreveu o que ele disse. Acho que entenderam o que eu disse.

Brasil, um país que vive enganando o seu povo

  • Se há algo que irrita muita gente são as propagandas na TV que no final mostram um monte de letrinhas miúdas com um texto que ninguém consegue ler, e que ficam frações de segundos na tela. Não há como se saber o que o anunciante quer informar;
  • O Conar, que é o Conselho de Ética da propaganda, não dá nenhuma demonstração de que possa dar um jeito nessa prática, e informa que o consumidor pode se orientar sobre o produto nos pontos de venda ou nos prospectos e anúncios impressos;
  • Muito bem. Isso quer dizer que nos casos de vendas pela Internet, continuam valendo as letrinhas. Essa é mais uma das coisas que não são de interesse do consumidor que funcione a seu favor. E, pior ainda, com a conivência dos órgãos que supostamente existem para defender o consumidor.

8 de maio de 2015

O quê é pior, a burocracia ou a 'burrocracia'?

  • O cidadão Cid da Silva Meirelles procurou a Polícia Federal (PF) no Rio de Janeiro para renovar seu passaporte, em janeiro. Conseguiu agendar para o último dia 4. Chegando ao posto da PF, o funcionário lhe pediu comprovante de votação. Ele tem 71 anos e não é mais obrigado a votar, mas como havia votado, mostrou o comprovante ao exigente servidor público;
  • Apresentado o documento da Justiça Eleitoral, o funcionário da PF solicita ao idoso documento de identidade. Este lhe apresenta uma cópia autenticada em cartório, com assinatura do tabelião, que é válida em todo território nacional, mas o zeloso 'burrocrata' não o aceita e manda o coitado reagendar uma nova data para a renovação do passaporte;
  • Considerando que o agendamento levou cerca de cinco meses para ser efetivado, o próximo, salvo algum milagre, deve acontecer por volta de outubro. Mas há um pequeno detalhe: o idoso tem uma cirurgia marcada para o mês que vem, na França. Como fica a situação dele? Acontecendo o pior, alguém terá que ser punido;
  • Num país decente, o 'burrocrata' da PF seria imediatamente afastado do cargo, e, da mesma forma, o chefe que o colocou naquela função. Mas é quase certo que tanto um como o outro estão ali por serem 'companheiros', e para infelicidade de outros idosos vão continuar fazendo suas estúpidas exigências.

7 de maio de 2015

Governo 'fecha' o museu mais antigo da América Latina

  • O Museu Nacional, que fica na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, está fechado desde janeiro. Ele é considerado o maior museu de História Natural da América Latina. Foi inaugurado em junho de 1818 e vai completar 197 anos;
  • O motivo do fechamento do museu é a falta de verba para pagar uma empresa pelos serviços de limpeza e vigilância. O Governo Federal o incluiu no contingenciamento de verbas, ou seja, contenção de recursos orçamentários para reforçar outros projetos;
  • A diretora do museu, Cláudia Rodrigues Carvalho, pede apoio à sociedade e à comunidade universitária, buscando sensibilizar as autoridades federais para a liberação dos recursos e também para que se consiga patrocínios;
  • Essa é mais uma das medidas nada condizentes com a 'Pátria Educadora' da presidente Dilma.

Computadores são sempre culpados nos erros do Governo

  • Nos dias de hoje, o computador está sendo um equipamento praticamente indispensável pra todo mundo. Muitas coisas só podem ser feitas através da utilização de sistemas de informática, como aconteceu com a declaração do Imposto de Renda. E tem muita gente que ainda não tem computador, mas está tendo que recorrer a que o possua ou a escritórios especializados;
  • Tivemos há poucos dias o episódio dos contratos do Fies, com a mentira do Governo pondo a culpa nos computadores do MEC quando na realidade não tinham dinheiro para o financiamento das mensalidades dos estudantes. Mas agora tem mais uma. E é com os desempregados, principalmente os mais humildes;
  • Sem entrar na questão da data, para requerer o seguro desemprego o trabalhador está sempre recebendo mensagem de erro com sugestão para tentar mais tarde, talvez de madrugada, quando tem menos gente. O coitado já está desempregado e precisa se sustentar até conseguir trabalho, mas o Governo o trata dessa forma. Nunca é demais lembrar que o Governo é do PT (Partido dos Trabalhadores).

Por quê o Governo mente tanto? Agora é a vez do Fies

  • Após vários meses de humilhação a estudantes universitários participantes do programa Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), o antigo Crédito Educativo, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, veio a público e revelou que a dificuldade que os beneficiários tiveram para se inscrever no programa ou renovar seus contratos era fruto de uma mentira;
  • Sempre que procuravam acessar o site amplamente divulgado para obter o benefício, os estudantes eram informados que havia problemas técnicos e que retornassem noutra hora. Muitos deles tentaram o acesso em altas horas. O prazo para a matrícula foi chegando e grande número esteve ameaçado de perder a vaga;
  • Agora, após uma decisão judicial obrigando o MEC a solucionar o problema, o ministro Janine revela que vai recorrer porque o ministério não tem dinheiro - por sinal, nunca teve - para atender à demanda. Se esse governo irresponsável se preocupasse mais com o povo do que com seu projeto de poder tais fatos não ocorreriam. Dilma & Cia. mentem demais. Já é hora de dar um basta nessa gente. É essa a 'Pátria Educadora'?

5 de maio de 2015

Está ficando difícil a definição de uma reforma política

  • A cada dia que passa os partidos no Congresso não conseguem chegar a um acordo para votar uma reforma política. Existe um grande número de projetos, mas nenhum deles tem no momento maioria de votos para serem aprovados. O que mais se aproxima do quórum exigido é o chamado 'Distritão', que transforma as eleições de deputados em majoritárias;
  • O atual sistema proporcional de eleição de deputados não é entendido pela maioria dos eleitores. Na verdade, o eleitor vota em pessoas e não em partidos. Com a adoção do 'Distritão', os primeiros colocados correspondentes ao número de vagas no respectivo Estado estarão eleitos. Ninguém vai ver seu candidato ficar de fora tendo votação maior do que a de um que seja eleito;
  • No final das contas, é necessário que o TSE dê uma trava na proliferação de partidos, precisando para isso de um dispositivo constitucional diferente do hoje vigora. É preciso que haja um número menor de partidos e consequente diminuição da quantidade de candidatos;
  • Cabe então às agremiações partidárias entender que o seu objetivo é defender um programa, para isso precisando arregimentar filiados, aos quais caberia a escolha dos candidatos que seriam apresentados ao eleitorado. A lei que rege a organização partidária tem que ser mais rigorosa no que diz respeito à utilização do Fundo Partidário, que não é para enriquecer alguns 'donos' de partidos.

4 de maio de 2015

A violência da polícia no Paraná tem ação de Black Blocks

  • Não há como negar. Houve violência da polícia contra os professores no Paraná. Também é verdade que o projeto sobre o qual protestavam era absurdo pois se aprovado, como foi, feria os interesses da classe. No entanto, a manifestação teve uma forte conotação política. É só observarmos a repercussão nas redes sociais para que se veja a ênfase dada ao fato do governador Beto Richa ser do PSDB;
  • Mas o pior ficou por conta da participação de 'professores' com máscara de gases portando pedras, porretes e coquetéis Molotov atacando os policiais. Aconteceu o que dizia o velho ditado: "Violência gera violência". Atacada, a Polícia reagiu. Acho que você reagiria da mesma forma Há indícios de que o sindicato da categoria não estava muito interessado em defender os interesses dos professores, mas sim desestabilizar Beto Richa
  • Não por acaso o fato violento acontece num momento político mais favorável ao PSDB do que ao PT. Todos sabem que os sindicatos são dominados por partidos esquerdistas. Não há dúvidas de que as ações dos 'professores' é típica dos Black Blocks, famosos pela forma como inibiram as manifestações de junho de 2013. O povo ficou com medo e aos poucos deixou de sair às ruas;
  • Então, vemos a toda hora críticas à violência da polícia de um governo tucano. E o mais irônico é que as afirmações vêm de aliados ao governo venezuelano, que usa a violência para reprimir quem se manifestar contra Nicolás Maduro. Na Venezuela, a repressão a quem critica o presidente resultou até agora em 44 mortes, 3.718 prisões arbitrárias e 44 presos políticos. Por isso, tudo o que vem ocorrendo no Paraná deve ser visto com olhos neutros

Por quê gravações são apagadas quando Dilma corre perigo?

  • Nos governos petistas estão sempre acontecendo 'coincidências' que levantam suspeitas. Quando Dilma Rousseff era Chefe do Gabinete Civil no governo de Lula, ela foi acusada de ter se reunido com a Secretária da Receita Federal da época, Lina Maria Vieira, pedindo que ela agilizasse a fiscalização de um filho de José Sarney;
  • Era óbvio que o objetivo era o favorecimento de um aliado. Dilma negou o encontro, mas quando pediram à segurança o vídeo mostrando os carros entrando no estacionamento da Presidência, por 'coincidência' ele estava apagado, da mesma forma também não havia registro da agenda dela nos computadores;
  • Agora, a CPI da Petrobras descobre mais 'coincidências' envolvendo a presidente Dilma. As gravações das reuniões do Conselho de Administração da estatal, que servem para elaboração das respectivas atas não mais existem, especialmente as realizadas em 2006 e 2012 que decidiram pela compra da refinaria de Pasadena, que gerou um prejuízo de US$ 792 milhões;
  • Dilma era a presidente do Conselho de Administração da Petrobras e pode vir a ser responsabilizada pelo prejuízo, tanto por omissão como por conivência, o que colocaria em risco o seu mandato. A Lei de Acesso à Informação garante que se obtenha as gravações, mas, por 'coincidência', depois de feitas as atas, tudo foi apagado;
  • Qual o real motivo dessas 'coincidências'? O quê estão escondendo? Quais segredos não podem ser revelados? Mais do que antes, a Operação Lava-Jato tem que ir em frente, apesar das manobras dos ministros 'petistas' que integram a famigerada Segunda Turma do Supremo. 'Tem muito caroço embaixo desse angu'. E não vamos engolir.

Pena de morte e redução da maioridade são temas polêmicos

  • Dois assuntos têm dominado as discussões nos últimos dias, que são a pena de morte e a redução da maioridade penal. Os dois temas dividem as opiniões, de modo equilibrado. Do jeito como nossas polícias são competentes e eficientes na apuração de crimes, haveria grande possibilidade de inocentes serem condenados à morte;
  • Quanto à redução da idade em que um jovem possa ser responsabilizado por algum crime que tenha cometido, de 18 para 16 anos, há também grande diferença de opiniões. Há uma que preconiza o modelo adotado em alguns países, que não olham para a idade de quem comete um homicídio, por exemplo. Dependendo do estado, um menino pode ser condenado à morte;
  • Outros preferem que fique tudo como está, alegando que um jovem sendo preso acaba indo fazer curso de prática de crime ao conviver na cadeia com grandes 'professores' de bandidagem. Não deixam de ter razão. Nossos presídios não servem para recuperar ninguém. Ao contrário, pela forma como são tratados, tornam-se em pessoas revoltadas e ao sair do xadrez voltam a praticar mais crimes;
  • Qual seria a melhor forma de não deixar de se punir um assassinato, por exemplo, mas não levar um adolescente para conviver com criminosos de elevado grau de periculosidade? Entendemos que não há porque prender um adolescente que pratica pequenos roubos ou furtos, mas também não dá para que se deixe levar vida normal um jovem que tenha cometido um assassinato. Ele tem que ser preso, mas nunca em companhia de assassinos profissionais;
  • Para os jovens seria necessário haver presídios adequados para eles, dispondo de atividades próprias para recuperação, visando em primeiro plano sua recuperação e posterior entrada no mercado de trabalho. Mas tudo isso é extremamente difícil, em um país que não investe na construção de presídios e até contingencia verbas para o setor de segurança. Sendo assim, não reaja quando um jovem lhe apontar uma arma. Entregue o que ele quer. E continue vivendo.