Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

30 de agosto de 2014

Tem até pastor "fazendo o diabo" para salvar eleição de Dilma

Dá para se notar que os candidatos que eram considerados pelos comentaristas e cientistas políticos como quase certos no segundo turno (Dilma Rousseff e Aécio Neves), com a atual presidente com possibilidade até de ser reeleita no primeiro turno, estão vivenciando novos tempos, a pouco mais de um mês das eleições. A morte de Eduardo Campos e a entrada de Marina Silva na corrida presidencial é que proporcionou essa mudança nos rumos da disputa;

Pesquisas de intenção de voto apontam um constante crescimento de Marina Silva na preferência do eleitorado. Então, em se tratando de campanha eleitoral é lógico que quem esteja caindo apele para os mais variados recursos, e passam, entre outros meios, a atacar o favorito;

Esse comportamento, por extensão, é utilizado por militantes. O que se vê hoje são comparações com governos anteriores e também alguns golpes baixos. Até líderes religiosos tentam induzir seguidores a votar em candidatos que apoiam e que estão em queda nas pesquisas. Tem até pastor petista seguindo orientação de Lula e "fazendo o diabo" na tentativa de salvar Dilma de uma derrota até pouco tempo improvável. Pode isso, pastor? E vejam bem. Marina Silva é evangélica da Assembleia de Deus.

26 de agosto de 2014

Abaixo a super "Caixa 2"!


A não emissão de moedas de 1 centavo é uma contribuição do Governo para a prática de uma irregularidade que caberia a ele coibir. A lei que regula o sistema monetário brasileiro estabelece que a menor divisão do Real é 1 Centavo. Logo, a Casa da Moeda obrigatoriamente teria que disponibilizá-la para o dia a dia no mercado;

A omissão do Governo proporciona aos comerciantes um lucro extra em suas contas quando estabelecem preços com o mentiroso valor final grafado com R$ 0,99. Com isso, é o principal fiscal da lei que proporciona a formação do maior "Caixa 2" do país. Segundo estudos de economistas, levando em conta os grandes conglomerados comerciais, ao terem moedas para o troco eles contabilizam o preço do produto e ficam com a diferença, o que representa bilhões de reais por mês que não geram nenhum tributo;

Então, é válido que haja uma legislação proibindo essa prática, mas é mais lógico que o Governo emita a moeda que faz parte do nosso sistema monetário.

23 de agosto de 2014

Petrobras: Transferir bens terá sido somente "coincidência"?

O Governo petista quer convencer a opinião pública é apenas uma coincidência o fato de a presidente da Petrobras, Graça Foster, indiciada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) de ser responsável pelos prejuízos da estatal em negócios envolvendo as refinarias de Pasadena, nos Estados Unidos, o de Abreu e Lima, em Pernambuco, e também o ex-diretor da empresa, Nestor Cerveró, que está preso por determinação da Justiça, terem transferido bens imóveis para parentes próximos, sabendo que os mesmos seriam bloqueados para cobrir os prejuízos que causaram;

É de se destacar que até a presidente Dilma Rousseff resolveu defender Graça Foster publicamente, o mesmo fazendo o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, no plenário do TCU, fato inédito na história do tribunal. No seu programa de propaganda na TV, Dilma disse disse que é contra o uso político da Petrobras, acrescentando que quem faz isso é contra a empresa;

Nisso tudo tem que ser destacado um dado positivo. Trazer a estatal para o uso político é jogar a favor dela, porque chama a atenção para a gestão incompetente do Governo do PT. É tudo a favor do Brasil, para que o eleitor seja esclarecido da necessidade de se livrar dessa gente.

22 de agosto de 2014

Propaganda obrigatória na TV é um jogo de forças desiguais

Agora que está no ar a propaganda eleitoral obrigatória pela TV, fica mais evidente a aberração que é a distribuição do tempo para cada candidato, proporcional ao tamanho das bancadas na Câmara dos Deputados dos partidos que o apoiam. Tem candidato dispondo de 10% do tempo a que tem direito a presidente Dilma, que concorre à reeleição e que ainda dispõe da máquina administrativa, utilizada mesmo que de modo disfarçado;

Isso não é democrático. Certo estaria se todos os candidatos tivessem o mesmo tempo para expor suas ideias e programas. Muitos vão alegar que há candidatos em excesso. É verdade, mas teríamos um número menor se a legislação vigente não permitisse a proliferação de tantas legendas;

Está na hora, então, de começar uma mobilização para que sejam mudados os critérios para as próximas eleições.

16 de agosto de 2014

Os fatos colaboram com a teoria da conspiração

Não somos daqueles que apregoam a teoria da conspiração, mas, no Brasil, quase sempre há quem levante suspeita quando morre uma pessoa famosa, especialmente políticos, artistas, atletas e até religiosos. Mesmo em caso de morte natural, aparecem boatos de envenenamento. Se a morte for por causa de acidente de carro ou de avião, aí surgem suspeitas de sabotagem. Quando o ex-presidente Juscelino Kubitschek morreu num acidente automobilístico, em 1976, surgiram teorias de assassinato, algo que pelas circunstâncias nunca poderia ter ocorrido;

Acontece que muitas vezes a forma como determinados acidentes são investigados, principalmente nos aéreos em que faleçam pessoas famosas, como o que culminou com a morte de Eduardo Campos, o fato de ele ser adversário da presidente Dilma faz com que não falte quem desconfie de certos procedimentos. O acidente que matou Eduardo Campos foi na cidade de Santos, em São Paulo. Muita gente questiona por qual motivo as investigações foram feitas em Brasília. Por que não em São Paulo, onde há reconhecidamente muito mais recursos tecnológicos do que na Capital Federal? Naquele Estado está há diversos órgãos da Aeronáutica. A "caixa preta" vai para um órgão da FAB, que informa não haver nela gravação que ajude nas investigações. E muito antes do relatório final já aparece alguém dizendo que o comandante foi responsável pelo acidente;

Ao lado de tudo isso, há também sempre uma demora que provoca os mais variados comentários quase sempre sobre possíveis conspirações. No caso da morte de Eduardo Campos, quanto mais rápido forem esclarecidas as suas causas melhor será para que, passado o trauma provocado por sua morte prematura, as pessoas votem em outubro escolhendo o melhor para o país sem ser influenciado pela comoção ou por qualquer tipo de suspeita.

14 de agosto de 2014

O Governo não pode patrocinar invasão de privacidade

Se existe alguma coisa que marca de modo bastante claro a existência de democracia num país é o direito de expressão e, consequentemente, o de ter opinião. Parece, entretanto, ter gente no governo de Dilma Rousseff que é contra isso. Desde que Lula chegou ao Palácio do Planalto surgiu uma reação aos órgãos de imprensa que denunciavam falcatruas praticadas por pessoas ligadas a ele. Passaram a ser chamados de PIG (Partido da Imprensa Golpista). A maior denúncia foi nada menos a que veio a se tornar no processo do "Mensalão do PT", cujo resultado sabemos qual foi;

Quando a imprensa o enaltecia, Lula e o PT a considerava um esteio da democracia. No Poder, só interessavam os órgãos que lhe faziam elogios. Lula chegou a falar em azia provocada pela leitura de jornais, algo que ele evitava;


Como ao sair do Governo deixou em seu lugar um "poste", essa forma de considerar a imprensa continuou ativa. E a reação às opiniões e comentários contra os donos do poder passou a ser mais forte. No tempo de houve uma tentativa de controlar a imprensa, que não prosperou por falta de apoio parlamentar. Então, partiu-se para uma ação diferente;


Nos últimos dias surgiu a notícia da alteração dos perfis de jornalistas contrários ao Governo no site Wikipédia. Isso sempre foi possível. Cada pessoa pode fazer alterações ali. Mas não é coincidência que esse tipo de ação seja feito em computadores do Palácio do Planalto, e por "coincidência" em perfis de integrantes do PIG. Isso é invasão de privacidade. Um crime, portanto;


Esse tipo de atividade tem que ser reprimido e também punido. O Governo disse que não era possível descobrir quem fez a lambança. Agora, como o pegaram na mentira, disseram que o fato vai ser investigado. Técnicos em Informática garantiram que é fácil identificar o invasor e saber-se de qual equipamento aconteceu a invasão;


Pela gravidade do fato, tudo tem que ser esclarecido rapidamente, para que o Governo afaste da opinião de que os comandados por Lula têm ideias autoritárias, porque é desse modo que agem governos ditatoriais, alguns com bastante afinidades com o PT e o Palácio do Planalto.

7 de agosto de 2014

Petrobras ainda tem salvação. É só tirá-la das mãos do PT

Quando foram instaladas as duas CPIs da Petrobras já se sabia que o Governo Federal iria utilizar seu "rolo compressor" por causa do número de integrantes do PT e da "base alienada" que estava ali para não deixar o Governo ser incomodado, em especial a presidente Dilma, tida como a principal responsável pela esdrúxula compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, com vultosos prejuízos para a Petrobras, conforme foi amplamente divulgado pela mídia;

Paralelamente, surgiram outros escândalos, com destaque para a Refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. Dizem os comentaristas políticos que o volume de dinheiro público desviado e os prejuízos da estatal de petróleo são infinitamente superiores aos dos casos ocorridos com a compra de Pasadena;

Agora vem a público o escândalo do "gabarito" prévio nos depoimentos de ex-diretores da Petrobras, além do "esquecimento" do nome da então diretora e atual presidente, Graça Foster, para afastar o escândalo do Palácio do Planalto. Antes de o Tribunal de Contas da União (TCU) apontar as irregularidades que levaram os ex-diretores a prestarem depoimento nas CPIs, Lula e outros figurões do PT e do Governo fizeram lobby no tribunal para "incluir fora disso" a presidente Dilma;


Como pode ser visto, uma das maiores empresas do mundo está sendo dilapidada por aqueles que deveriam ser os primeiros a cuidar dela. Em vez disso, a transformaram num órgão auxiliar do PT, para proporcionar a alguns protegidos inclusão no programa "Bolsa Propina";

Para salvar a Petrobras, é só mandar essa gente sair da vida pública e "recolher- se à privada" (em qualquer sentido).

4 de agosto de 2014

Ser contra o homossexualismo não é ser contra o homossexual

Quem se orienta pelos preceitos da Bíblia ─ os evangélicos e católicos, principalmente ─, não aprova o homossexualismo. Isso não significa que estejam praticando a tão falada homofobia. Os cristãos condenam o homossexualismo, mas têm o homossexual como um ser humano que deve ser amado, seguindo também a Bíblia quando o Livro Sagrado recomenda: "Amai-vos uns aos outros";

No entanto, parece que está ocorrendo uma verdadeira campanha de imposição da prática do homossexualismo principalmente entre os jovens. Sem dúvida, o maior propagador está sendo a TV Globo, em suas novelas. Depois do impacto do beijo entre dois homens, veio o "casamento" de duas mulheres. Agora, dois homens idosos estão prestes a se atracar, e já se sabe que duas senhoras de mais de 80 irão formar mais um "casal" na tela;

Os principais autores de novelas são declaradamente homossexuais e sempre criam personagens travestidos de sexo oposto nas suas obras. O mesmo se observa nos programas humorísticos;


A sociedade brasileira precisa se mobilizar e protestar contra essa onda. Por mais cristãos que sejamos, não queremos que nossos filhos e netos adquiram comportamento com os quais discordamos. Já basta a "ajuda" do Governo Federal com a sua histórica cartilha que deu "panos pras mangas". Não basta boicotar a TV Globo. Temos é que protestar, constantemente.

1 de agosto de 2014

Voto obrigatório e sistema proporcional não podem mais existir

Uma reforma política é mais que necessária. A partir das manifestações de junho do ano passado, ficou bastante claro que a grande maioria da população, cerca de 85%, quer uma mudança principalmente em três itens: voto aberto, voto obrigatório e sistema proporcional nas eleições para a Câmara dos Deputados, assembleias legislativas e câmaras municipais. O primeiro item já virou lei, mas os outros dois ainda não foram votados, mas já há forte tendência de aprovação deles;

A obrigação de votar vem a ser uma incoerência sem limite. Ao constar na Constituição, choca-se com a própria Lei Magna. Na quase totalidade dos países o voto é um direito, nunca uma obrigação. O voto voluntário certamente mudará a qualidade do eleitor, que não precisará vendê-lo, ao mesmo tempo, o eleito também terá mais valor, visto que chegará à vitória por conta de seus méritos, e não com base no quanto gastou para isso;


É hora, então, de o eleitor escolher em outubro parlamentares comprometidos com essas mudanças. Não dá mais para termos "representantes" sem votos, que chegam aos legislativos graças à Matemática, beneficiados por puxadores de votos de sua legenda. O eleitor brasileiro não vota em partidos, vota em pessoas. Só é contrário a essas mudanças são os que se beneficiam da legislação vigente.