Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

14 de maio de 2011

'Justo Veríssimo' estava certo: 'Eu quero é Poder"

'Justo Veríssimo' não é ficção
Quem acompanha a política brasileira nos últimos trinta anos viu um partido político tentar chegar ao Poder mais alto do País pregando moralidade com as coisas publicas, principalmente o dinheiro proveniente dos impostos. Era o Partido dos Trabalhadores - PT, que também pregava que era a vez de um operário comandar o Brasil, acabando com o domínio das elites, responsável pelos maus costumes dos políticos brasileiro, sempre pensando numa forma de ganhar dinheiro, principalmente através de propinas. Em quatro campanhas presidenciais o candidato Lula tentou chegar à Presidência da República, o que alcançou na quarta tentativa;

Depois de empossado em 2003, Lula resolveu manter a política econômica vinda de Fernando Henrique e trouxe para o Banco Central um deputado federal eleito pelo PSDB, partido de FHC, Henrique Meireles. Mas o pior aconteceu em 2005, quando o Brasil tomou conhecimento da existência do 'Mensalão', destinado a garantir maioria parlamentar para o Governo, o que culminou com a queda de muita gente do primeiro escalão, principalmente o todo poderoso ministro da Casa Civil, José Dirceu, que terminou tendo seu mandato cassado e indiciado em processo na Superior Tribunal Federal (STF), entre outras coisas por formação de quadrilha;

Além do 'Mensalão', que Lula justificou com "algo que sempre se praticou no Brasil", dando a entender que Caixa 2 (para ele o mesmo que 'recursos não contabilizados') era coisa normal, diversos outros escândalos vieram à toma durante os oito anos de mandato do ex-presidente, passando pelos "aloprados", cartões corporativos usados para despesas pessoais e formação de dossiês contra opositores, ao lado de quebra de sigilo fiscal de adversários de sua candidata. Ao "inaugurar" diversas obras que não saíram do papel, conseguiu eleger sua sucessora, transformando-se em autêntico cabo eleitoral, inventando o tal 'horário do expediente' para ser Presidente da República, com o restante do dia para subir nos palanques em todo o Brasil para tentar - e conseguir - eleger sua sucessora;

Agora, em poucos meses de novo governo, já começam a surgir fatos que nada têm a ver com aquele partido que se apregoava como puro. Três ministro foram apanhados em flagrante recebendo diárias sem estarem a serviço, num autêntico macete para engordar seus salários às custas dos impostos pagos pelo povo. Quem devolveu o recebido ilegalmente só o fez depois de denunciados, saindo-se com o célebre "eu não sabia", como fez Lula quando o 'Mensalão' veio à tona (parece até Sarney, que também "não sabia" que estava recebendo quase R$ 4 mil por mês como auxílio moradia, embora morando na residência oficial de presidente do Senado;

Tudo isso explica a razão e o porquê dos partidos governistas - PT e PMDB em destaque - até hoje estão brigando por cargos nos diversos órgãos do Governo, principalmente os que administrem orçamentos de muitos dígitos no Orçamento Geral da União.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário