Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

16 de maio de 2011

Homossexuais, te amamos!

Com este título, o Rev. Leonardo Félix, co-Pastor da II Igreja Evangélica Congregacional em João Pessoa (PB), escreveu o artigo abaixo em seu Blog Crítica Sagrada, que pela complexidade do tema serve para demonstrar a posição da maioria dos evangélicos sobre a recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o que se convencionou chamar de homoafetividade, ao mesmo tempo em que procura justificar que não tem cabimento os rigores do Projeto de Lei nº 122 (PL 122), que estabelece como crime o que chama de 'homofobia', com o que não concordam diversos segmentos religiosos (evangélicos e católicos em especial), em face do que consta na Bíblia Sagrada ao lado do direito constitucional de expressão:

O diabo é o pai da mentira. A palavra de Deus reputa toda mentira ao senhor das trevas (João, 8:44). Acredito ter sido ele quem forjou a grande mentira de que os cristãos odeiam os homossexuais. Muitos daqueles que vivem na prática do homossexualismo criaram um estereótipo que faz dos cristãos os seus piores inimigos. Não é à toa que muitos procuram relacionar a “homofobia” a um posicionamento bíblico-cristão.

Antes que prossiga nessa declaração de amor, é necessário fazer alguns esclarecimentos. A bíblia não é fonte do que muitos chamam de homofobia. O dicionário Longman’s define homofobia como “medo e ódio aos homossexuais”. Será isso o que a Bíblia ensina? Óbvio que não. Em contrapartida a isso as Escrituras nos ensinam a “amar o próximo como a nós mesmo” (Mateus, 22:39). Essa é a direção dada por Deus para nortear todos os nossos relacionamentos. Se encontramos alguém que semeia o ódio, seja a homossexuais ou a qualquer outro ser humano, com toda certeza não podemos identificá-lo como cristão.


Os verdadeiros filhos de Deus se definem pelas atitudes e não pelas palavras. Jesus ilustrou isso quando disse que “pelo fruto se conhece a árvore” (Mateus, 12:33). Há muitos que se auto intitulam cristãos, mas suas palavras contradizem suas atitudes. São esses que estão incapacitados de mostra o amor de Deus. Seus olhos embaçados pelo pecado os imobilizam a arrancar dos homens as algemas do pecado. Digo sem nenhum receio que em muitas igrejas são eles quem predominam. Daí, o motivo da igreja deixar de ser um centro terapêutico para os doentes da alma. Foi para os doentes que Jesus veio e é para servir aos doentes que a igreja existe (cf. Mateus, 9:12).


Os cristãos amam o pecador, mas abominam o pecado. Nunca o inverso. Pecado é transgressão à vontade Deus. Quando deixamos de considerar a vontade de Deus como o melhor caminho a ser seguido transgredimos a melhor condição para nossas vidas (i. e, estamos em pecado ). A homossexualidade afeta a estrutura da existência. O desejo de se relacionar com alguém do mesmo sexo impulsiona o homem e a mulher a buscar um caminho inverso ao que Deus planejou. A revelação de Deus deixa claro que o homem e a mulher foram feitos um para o outro (Gênesis, 2:18). No plano divino a plenitude da felicidade relacional é heterossexual e não homossexual. Sendo assim, a caminho diferente da heterossexualidade é mal. Mal para o homem nos seus relacionamentos com o seu próximo e com Deus.


Jesus foi à cruz para que pudéssemos nos arrepender dos nossos maus caminhos. Ele olhou para todos aqueles que criaram os seus próprios caminhos e não titubeou em entregar-se por eles. Aqueles que enganam ao seu próximo, que preferem a solidão do pecado ao altruísmo do amor, que mudaram a forma natural de se relacionar sexualmente, enfim, a todos estava sendo liberado perdão pela cruz do calvário.


Deus ama a você que vive preso nas prisões da sua carne. Ele conhece as tuas lutas e sabe do quanto os teus órgãos guerreiam. Nem por isso ele te rejeitou. Um desejo esdrúxulo aqui, outro desejo esdrúxulo ali. Ele te chama a vencer tuas fraquezas.


Tenho em Deus todos os motivos para não desistir de amar aqueles que se escondem por trás da purpurina. Contudo, não posso amar as suas algemas. Foi a você que se define natural por ser antinatural que o Senhor nos convocou a amar. “Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos, 5:8). O Senhor penetrou a máscara de pecado como prova do seu amor. Ele não desistiu de nós quando nos viu roubadores, mentirosos, homossexuais, drogados, etc. Encarou o custo de se entregar pelos pecadores para que todos nós pudéssemos ser constrangidos pelo seu amor.


Saiba que Cristo te ama e seus discípulos também. Aqueles que nascem de Deus buscam chegar às vidas que pintam o pecado em suas faces. Para isso, eles estão dispostos a entregar-se em favor deles, inclusive dos que se entendem mulher sendo homem e vice-versa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário