Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

12 de agosto de 2011

Trambiqueiros só têm medo das algemas?

É bastante oportuno republicar o artigo abaixo postado hoje no Blog de Augusto Nunes, editado no site da revista 'Veja", que mostra de modo muito claro o que pensam aqueles que deveriam preservar o dinheiro público, com o qual se sustentam. Porém, ao contrário, nele avançam de modo escancarado, pouco se importando em dar satisfação sobre as denúncias que surgem a toda hora, limitando-se a desmentir fato que são mais do que claros e comprovados. O vice-presidente da República, Michel Temer, mostrou-se indignado pelo fato de um ex-deputado do PMDB ter sido algemado depois de flagrado 'metendo a mão' em dinheiro público. Leiam a seguir o que Augusto Nunes escreveu: 

Eles só têm medo de algemas

O noticiário político-policial informa que os assaltantes de cofres públicos não se constrangem com nada. Espalhada por todas as ramificações da máquina administrativa, a bandidagem apadrinhada pela aliança governista transforma o clã em quadrilha, ensina o filho a roubar desde criancinha, reduz a mulher a comparsa, carrega pilhas de cédulas em malas, meias ou cuecas, desvia a verba dos flagelados ou carregamentos de remédios, tunga o dinheiro da merenda escolar, pendura o neto em cargos de confiança, passeia de jatinho com a mãe ou a sogra, inventa consultorias, cria empresas de fachada, usa o jardineiro como laranja, vende gado inexistente, mente e, se o perigo é muito, queima o arquivo.  Para viver como o diabo gosta, faz coisas de que até Deus duvida.

A turma que tudo se permite só não admite ser algemada. Com os braços provisoriamente imobilizados, punguistas compulsivos incorporam a figura do chefe de família respeitável: o que é que vou dizer lá em casa?, parece perguntar a expressão envergonhada. Não é possível tratar como criminoso comum um delinquente da classe executiva, berram advogados e padrinhos. Não há limites para a roubalheira, mas é preciso impor limites às ações da Polícia Federal.

O berreiro dos culpados revela que eles só têm medo de algemas. Bom saber. Já que argolas de metal são a única coisa capaz de reavivar o sentimento da vergonha, já se sabe o que fazer se quiser produzir os mesmos efeitos causados pelo velho “Olha o rapa!”. Basta que os brasileiros honestos gritem em coro a palavra-de-ordem medonha:

ALGEMAS PARA TODOS!

Outras opiniões interessantes sobre o uso das algemas nos pulsos dos ladrões de dinheiro público podem ser vistas em cartas de leitores na edição de hoje de 'O Globo', numa clara demonstração de que parte do povo já está reagindo a essa séria de fatos que estão sendo divulgados pela imprensa, na medida em que vão sendo descobertos, comoa carta de Hugo Hamann, do Rio: "A corrupção explodindo no governo feito bueiros da Light e o ministro da Justiça preocupado com o "abuso" no uso de algemas. Sobre o "abuso" da roubalheira no país, nem uma palavra." De Florianópolis, SC, o leitor Roberto Schweitezer reclama: "Milhões de reais são desviados dos cofres públicos, num escândalo que envolve vários altos funcionários do governo, e o que se discute é se a PF abusou no uso de algemas! Que falta de vergonha na cara";


Com ironia, Rolando Toro Acuña, de Macaé, RJ, escreveu: "Que indignação: os bandidos foram algemados e expostos. Que indignação, que falta de respeito! Já não se pode roubar com dignidade. Não se faz diferença entre ladrão pobre e ladrão de colarinho branco. Onde vamos chegar? Espero que o ministro de Justiça se manifeste ante este ato bárbaro". Já o leitor Edilson Gonçalves Chaves, do Rio, desabafa: "A reação das autoridades de Brasília - presidente, senadores, deputados e até um ministro do STF - à vista do dinheiro público desviado pelo alto escalão do Ministério do Turismo não foi, por mais absurdo que pareça, por causa da falcatrua descoberta, e sim pelas algemas utilizadas pela Polícia Federal. Os brasileiros sérios não merecem isso"!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário