Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

25 de agosto de 2011

Casal de ministros tem que dar explicações

Vão ter que se explicar
As denúncias contra ministros de Dilma Rousseff não param de explodir na imprensa. Não seria nenhuma novidade em se tratando de políticos brasileiros, historicamente conhecidos com sempre tendo mão grande para atacar dinheiro público, com raríssimas exceções. Hoje o site do jornal 'O Estado de São Paulo' informa que um acordo para demissão da ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann,  da diretoria financeira de Itaipu Binacional rendeu um bom dinheiro a Gleisi. O 'Estadão' informa que ao conseguir ser "demitida" de um cargo público,  recebeu pelo menos R$ 145 mil. em 29 de março de 2006, ela foi "exonerada" do cargo. Só que a ministra saiu da função na época porque quis: ela saiu candidata ao Senado naquele ano, mas não foi eleita;

Isso foi possível através de um acordo com o comando de Itaipu, segundo o qual a hoje ministra trocou a "exoneração a pedido", o que de fato ocorreu, pela "exoneração", ou seja, demissão. Em razão disso, recebeu, além de férias proporcionais, entre outros, os 40% de indenização sobre o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), além de poder sacar o próprio FGTS. A exoneração de Itaipu foi publicada no Diário Oficial da União no dia 29 de março de 2006, dois dias antes do prazo final de desincompatibilização;

O mesmo 'Estadão' também fala do suposto envolvimento do marido de Gleisi Hoffman, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, com um empreiteiro preocupa o Planalto, que abriu uma  oportunidade para a oposição convidá-lo para prestar esclarecimentos na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara. No entanto, uma tropa de petistas foi escalada para blindar o ministro. No Senado, a oposição taambém manteve a ofensiva e o PSDB apresentou à Comissão de Fiscalização e Controle do Senado um requerimento de convite a Bernardo;

O ministro das Comunicações voltou a negar que houve troca de favores com empresários do Paraná responsáveis por obras do governo no Estado quando ele ainda era titular do Ministério do Planejamento, mas admitiu  conhecer os sócios da empreiteira Sanches e Tripoloni e ter pegado caronas em aviões alugados no ano passado pela campanha da ministra Gleisi Hoffmann, ao Senado. O ministro, porém, manteve a versão de que não sabia quem eram os proprietários das aeronaves;

Mais um que entra para o quadro de envolvidos em problemas pelo menos morais que adotam a tática disseminada por Lula, por ocasião do Mensalão do PT, de alegar sempre com famoso "Eu não Sabia". Já a ministra, no caso da Itaipu, conseguiu um bom reforço da empresa para suas despesas de campanha, de modo nada 'republicano', como outros que vêm sendo divulgados quase que diariamente. Qual será a próxima descoberta a ser divulgada pela imprensa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário