Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

16 de junho de 2009

Sarney, "pede pra sair!"

Segundo o blog Alerta Total, “José Sarney (PMDB-AP) estuda como renunciar à Presidência do Senado. O pedido para que ele “peça pra sair” foi feito pelo chefão Lula da Silva, antes de viajar para a Europa. O Palhaço do Planalto já avisou que não tem como ajudar a segurar outros escândalos prestes a estourar no Senado. Sarney não suporta as pressões, pela doença da filha Roseana, pelo mar de lama no Senado pelos fatos inesperados com as CPIs das ONGs e da Petrobras”;

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, já avisou ontem que qualquer senador que tenha tomado conhecimento dos problemas do Senado, e tenha ficado omisso, deve ser responsabilizado política, cível e criminalmente. O recado foi direto para Sarney – que foi pego de surpresa com o recebimento de auxilio moradia e com a contratação secreta de um neto. Sarney pode pedir para sair, antes de lhe tomem o mandato;

O ex-diretor geral do Senado, Agaciel Maia, que é acusado de patrocinar os atos secretos, é afilhado de Sarney. Agaciel já avisou que sempre agiu de acordo com os integrantes da Mesa Diretora. Sua declaração demonstra que a cumplicidade é geral. Assim falou Agaciel para garantir que a impunidade também será generalizada. Como o ex-diretor não quer ser punido sozinho, transfere o problema para a cúpula. Assim, Sarney, alegando alguma desculpa, pode tirar seu time”;

Embora muitos estejam querendo descarregar as irregularidades do Senado na conta de Sarney, é bom ninguém se esquecer de que andaram dirigindo aquela Casa (agora pela terceira vez), além do senador do Amapá que é maranhense, nada menos que Antônio Carlos Magalhães, Jader Barbalho, Renan Calheiros, Garibaldi Alves e Tião Viana, todos com “brilhantes” passagens no Legislativo; Daí estar aparecendo agora essa série de escândalos, irregularidades e maracutaias, tudo envolvendo malversação de dinheiro público;

A cada dia o próprio Senado comprova a total nulidade e desnecessidade de sua existência. Por isso ficamos por aqui gritando: Já é hora do Brasil exigir uma reforma política radical, cabendo ao eleitor melhorar a sua capacidade de escolha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário