Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

26 de junho de 2009

Chega de mordomias no Senado!

A noticia está no site "Folha Online":


"O Senado não vai modificar a atual sistemática de reembolso dos gastos telefônicos dos parlamentares mesmo após denúncia de que, nos últimos 30 meses, a instituição gastou mais de R$ 208 mil em telefonemas realizados pelos senadores em suas residências - fora da Casa. O primeiro-secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), disse que a cota telefônica não pode ser revista porque os senadores precisam dos telefones em suas residências para trabalhar;


"De acordo com a reportagem, a ex-senadora Roseana Sarney (PMDB-MA) foi quem mais teve gastos reembolsados pela instituição, no total de R$ 25 mil. Na sequência aparecem os senadores Romero Jucá (PMDB-RR), com R$ 18,3 mil, Epitácio Cafeteira (PTB-MA), R$ 16,3 mil, e o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), com R$ 15,3 mil;


"Outra notícia do site é a seguinte: Além de usar a verba indenizatória de R$ 15 mil para bancar a segurança privada da Casa da Dinda, o senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL) também a utiliza para comprar refeições que são levadas para a residência, localizada em área nobre da capital federal, informa a reportagem;


"Segundo a reportagem, Collor compra as quentinhas no Boka Loka, pequeno e simples restaurante no centro do Paranoá, cidade-satélite de Brasília. Segundo informações disponibilizadas na página do Senado referente a verba indenizatória, nos meses de abril e maio, Collor gastou no Boka Loka R$ 4.830. Como cada quentinha no restaurante custa R$ 7, o dinheiro daria para comprar 690 marmitas".


Qualquer cidadão comum tem que pagar sua conta telefônica, tenha ele um bom salário ou receba o salário-mínimo. Já os parlamentares, com altos vencimentos, verbas indenizatórias e outras mordomias, ainda têm direito ao pagamento de telefones convencionais ou celulares, postagens de cartas ou telegramas, combustíveis e outras mordomias. E tudo por conta do contribuinte, isto é, do eleitor. Tudo isso é um absurdo que precisa acabar. Falta só o eleitor sair às ruas e exigir um basta nesse excesso de mordomias.

Um comentário:

  1. Não entendo por que os funcionários públicos, parlamentares, funcionários do executivo, do legislativo e do judiciário precisam de ajuda moradia. ajuda telefone e mais mil e uma ajudas pagas com o nosso dinheiro.

    Isto poderia fazer sentido nos cinco primeiros anos de Brasília. Hoje já não tem sentido, sendo Brasília uma das maiores cidades do Brasil com toda a estrutura necessária para se morar lá com todo o conforto.

    Imagine alguém que mora em São Paulo e arruma um emprego em Salvador. Os leitores acreditam que a nova empresa vai pagar auxilio moradia, verbas para pagar agua luz e telefone?

    Como dias a propaganda da TV nem a pau Juvenal.

    Quem se candidata a uma vaga no senado, na câmara de deputados, no governo federal ou no judiciário deve saber que vai ter estas despesas e que pague com o próprio salário, não com o dinheiro suado dos impostos que deveriam ir para a saúde educação, transporte, segurança e seguridade social do povo.

    E o pior é que estamos aceitando tudo isto pacificamente.

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário