Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

7 de julho de 2011

Ministro ‘pede pra sair’ e indica seu sucessor?

Nascimento dá adeus ao Ministério, mas poderá indicar sucessor
Vamos tentar entender. O ministro dos Transportes 'pediu pra sair', não se sustentando depois que 'O Globo' mostrou seu filho de apenas 27 anos superando de longe do ex-ministro Antonio Palocci em termos de enriquecimento rápido. Como se lembra, o ex-chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff caiu sob a acusação de ter aumentado seu patrimônio em 20 vezes num espaço de apenas quatro anos. O filho de Alfredo Nascimento, em menor tempo, três anos, aumentou sua 'poupança' em 865 vezes. Muita gente já o indica para ministro da Fazenda para ensinar aos brasileiros como fazer o dinheiro se multiplicar em tão pouco tempo;

O que causa mais espanto é o fato do ex-ministro voltar para o Senado e para a presidência do Partido da República (PR), cabendo a ele indicar o seu substituto no Ministério dos Transportes, uma vez que aquela pasta faz parte da cota a que o PR tem direito para garantir seus votos na famigerada base aliada do Governo - com Nascimento são 6 senadores e 40 deputados -, numa disfarçada compra de votos para garantir a tão falada governabilidade de Dilma no Congresso. Segundo a imprensa tem divulgado nos últimos dias, o Ministério do Transportes tem sido um autêntico feudo do PR - antigo Partido Libertador (PL) -, com amplo histórico de distribuição de verbas vultosas entre correligionários e consequentes retornos de propinas. O falecido deputado Álvaro Vale, que dirigia o PL, deve estar se revolvendo no túmulo, pois sua história não traz tal tipo de comportamento;

O que se espera de Dilma Rousseff é que ela faça rapidamente uma autêntica limpeza em sua equipe, pois em pouco tempo, cerca de seis meses, já teve a crise de Palocci, essa de Alfredo Nascimento, além de ter o ainda não esclarecido caso dos 'aloprados', com o possível envolvimento dos ministros Aloísio Mercadante e Ideli Salvatti. No caso atual, o ex-ministro era indicação pessoal de Lula e Dilma fez até algum esforço para mantê-lo, pensando obviamente nos votos do PR. Caso o Ministério dos Transportes continue com o PR depois de todas as denúncias e caiba a Alfredo Nascimento indicar seu próprio substituto, Dilma estará trazendo para o Palácio do Planalto mais uma crise, com possibilidade de desagradar até os congressistas de seu partido, que ainda estão insatisfeitos com a não complementação da distribuição de cargos nos escalões inferiores dos ministérios;

Para se ter uma ideia de como esses episódios embaralham a política nacional, o presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), elogiou a postura adotada por Dilma Rousseff em relação às denúncias envolvendo o Ministério dos Transportes, declarando: "A presidente merece nossos elogios, mas não adianta ser pela metade. Não pode ter autoridade pela metade. Tem que ter o afastamento e a punição". O tucano  lembrou o superfaturamento dos preços das obras conduzidas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), que, segundo ele, deveriam ser de conhecimento de Dilma, uma vez que ela foi titular da Casa Civil e foi chamada por Lula de 'mãe do PAC" (Programa de Aceleração do Crescimento) durante o governo do ex-presidente Lula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário