Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

24 de outubro de 2016

Renan chama ministro de 'chefete' e magistrado de 'juizeco'

  • O presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL), extrapolou ao fazer duras críticas ao Governo Federal e à Justiça, no caso das prisões de agentes da Polícia Legislativa pela Polícia Federal (PF) na última sexta-feira. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, ele chegou a dizer que o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, se comporta como um "chefete" de polícia. "O ministro da Justiça não tem se portado como ministro de Estado. No máximo, tem se portado como um chefete de polícia", afirmou Renan. Irritado com vazamentos que teriam vindo do Planalto de que teria pedido a cabeça de Moraes, Renan Calheiros disse que o ministro da Justiça comporta-se "falando mais do que devia, dando bom dia a cavalo". De 2013 a 2016, foram 17 varreduras em residências de senadores, a pedido;
  • Renan estava com a corda toda e questionou a ação do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, no Distrito Federal, que ordenou também a suspensão das atividades funcionais dos acusados. O senador disse que questionará no Supremo Tribunal Federal (STF) o limite entre os Poderes. Para ele, somente o STF poderia autorizar uma operação da Polícia Federal no Senado, não um "juizeco" de primeira instância. Renan disse: "Um juizeco de primeira instância não pode, a qualquer precipitação, autorizar uma ação em outro Poder. Estou repelindo essa invasão". Ele rebateu críticas ao alegado poder da Polícia Legislativa por parte dos apoiadores da ação da PF e destacou: "A Polícia do Senado não é invenção de ninguém, como tentam aparentar. É constitucional"Fizeram varredura também na casa de Eduardo Cunha;
  • A irritação de Renan Calheiros aparentemente tem outros motivos. A apreensão dos equipamentos de varredura certamente tem outros motivos. Com a PF tendo acesso às gravações, é muito provável que ela tenha acesso a fatos que não são nada favoráveis ao senador alagoano e outros colegas da Casa. O presidente do Senado responde a vários processos no Supremo e as gravações poderão oferecer bastante subsídios que seriam encaminhados à Corte, reforçando as pressões para que os mesmos sejam concluídos o quanto antes, ainda mais que suas pendências são até mais fortes que as do ex-deputado Eduardo Cunha, que está preso em Curitiba. O povo em sua maioria acha que já passou da hora de Renan continuar fazendo manobras no Senado buscando a todo custo interferir nos trabalhos da Operação Lava-Jato e até mesmo acabando com ela. Pode estar chegando a hora de Renan também perder o mandato e ir para atrás das grades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário