Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

24 de outubro de 2009

Lula odeia ser fiscalizado

Então estamos combinados assim: as obras do PAC não devem ser fiscalizadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Muito menos poderão ser interrompidas. Isso, mesmo que hajam licitações irregulares, ou falta delas (algumas com "pedras marcadas"), superfaturamento, contratos com empreiteiras não sendo cumpridos, reajustes de valores acima do razoável, e assim por diante. Auditor Fiscal do TCU não tem que fiscalizar nada e deixar tudo como está para que Lula possa inaugurar obras aos montes em 2010, sempre acompanhado da ministra da Casa Civil, ambos fazendo discursos tentando comparar a era FHC com a do atual Governo. Tudo isso com todas as características de comício, mas que segundo Lula são "atos de governo";

Em sua edição de hoje, O Globo informa que de janeiro até ontem (dia 23) Lula participou 86 eventos públicos alegando não se tratar de eventos eleitoreiros mas sim inaugurando obras. Ocorre que foram realmente inauguradas 32 obras. Os demais 54 eventos foram assinaturas de contrato, entrega de computadores, formaturas, assinaturas de convênios, anúncio de obras futuras, lançamento de programas etc. Tudo com a presença da "mãe do PAC" e com pronunciamentos falando sobre sua continuidade com a eleição de sua candidata;

O último tema de Lula (depois da infeliz "coalizão" com Judas) e reclamar das ações do TCU, chegando a lamentar que o Presidente da República tem suas ordens travadas por servidores do quarto escalão do Governo. Certamente com bastante ironia, o presidente do Tribunal, Ubiratan Aguiar, agradeceu ao presidente por ele, quando deputado federal, ter votado a favor da criação do TCU com as regras que hoje estão sendo aplicadas. O presidente do TCU disse ontem: "Nós chamamos de grau de irregularidade quando está caracterizado sobrepreço, fraude, conluio, direcionamento. São os fatos mais graves que indicam que a obra deve ser paralisada";

Com Lula gostando ou não, o TCU ontem mesmo viu um de seus atos ser corroborado pela Polícia Federal (PF), que indiciou 22 pessoas investigadas por fraude no PAC em Cuiabá. O Tribunal descobriu indícios de superfaturamento em obras de saneamento do programa comandado pela candidata do PT, cujo valor total era de R$ 239 milhões. Se a vontade de Lula prevalecesse, a obra continuaria e o presidente não estaria afirmando aos quatro ventos que "o País está travado";

Será que a Lula interessa que o dinheiro público continue enriquecendo alguns, desde que seja para ajudar na "governabilidade" e também para garantir a eleição de sua sucessora? Pelo que ele falando, vai aqui uma metáfora, como o presidente tanto gosta de fazer. Ele quer entrar na pista pilotando uma Ferrari, por exemplo, o correr sem nenhum outro carro para atrapalhar. Ou seja, ele apoia sua candidata com a máquina do Governo, com motor adulterado e sem ninguém para lhe dar uma bandeira preta.

Um comentário:

  1. Lula não quer que as obras sejam fiscalizadas para que o fluxo de dinheiro não pare de entrar no bolos dele.

    Afinal de contas, se as obras são fiscalizadas e param quando se descobrem a corrupção, o fluxo de caixa para o bolso de Lula tamkbém para.

    Este é o presidente mais corrupto e mais cara de pau que o Brasil já teve.

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário