Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

28 de julho de 2009

Renan ameaça Virgílio se ele tentar atingir Sarney

  • O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), anunciou há alguns dias que o seu partido iria apresentar uma representação por quebra de decoro no Conselho de Ética contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). A decisão foi adotada por Virgílio depois de uma conversa com o presidente da sigla, senador Sérgio Guerra (PSDB-PE). O PSDB é o segundo partido a anunciar uma representação contra Sarney;
  • Em compensação, o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL) já avisou a Arthur Virgílio: se houver representação do PSDB contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), haverá uma do PMDB contra ele. Renan disse: “Infelizmente, terá de haver reciprocidade”. O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), confirmou que o partido vai apresentar uma representação contra Sarney no Conselho de Ética.
  • ONDE ESTÁ A MORAL DO PRESIDENTE DO CONSELHO?
  • No meio dessas ameaças, descobriu-se que um assessor do presidente do Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque (PMDB-RJ), foi transferido do gabinete do parlamentar para o Conselho de Ética há mais de oito meses, com um salário de R$ 5 mil. Acontece que o advogado Luiz Eustáquio Diniz Martins mora no Rio de Janeiro e não cumpre expediente no Conselho. E, pior, é que ninguém do Conselho de Ética disse conhecer Eustáquio Martins;
  • Pergunta-se agora o seguinte: será que não há nada demais nos últimos fatos fartamente relatados pela imprensa com relação a Sarney? E se Arthur Virgílio tem atos irregulares e ilegais praticados, somente serão apurados se ele resolver incomodar Sarney? Parece que todos estão "se lixando" para o povo (o contribuinte), valendo tudo para Lula tentar eleger sua sucessora;
  • No comando disso tudo está o Presidente da República, antigo arauto da moralidade pública, que hoje só pensa na sua manutenção no Poder, mesmo que indiretamente, visto que se eleger um "poste", certamente ele continuaria no comando do País. Sua insistente defesa de Sarney é mais do que uma prova de sua obsessão pela aliança com o PMDB mais fisiologista de todos tempos com vistas ás eleições do ano que vem, mesmo que o custo seja uma briga com o próprio PT.

Um comentário:

  1. Há um selo para você no Blog Brasil Liberdade e Democracia

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário