Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

13 de abril de 2017

Ao contrário do slogan de um antigo supermercado, Lula tinha ‘o povo a serviço de uma família’

 “Podem pesquisar à vontade e vão ver que nunca entrou 10 centavos de dinheiro sujo em minha conta bancária”, disse um dia “a alma mais honesta do país”. E ele não estava mentindo. Na sua conta não entraram 10 centavos, mas sim milhões de dólares. “O ex-presidente Lula pediu US$ 40 milhões à Odebrecht em troca da aprovação de um financiamento bilionário para obras de interesse da companhia em Angola”. A afirmação é de Marcelo Odebrecht, o ex-presidente da empreiteira. Em depoimento ao juiz Sergio Moro, ele contou ter sido procurado entre 2009 e 2010 por Paulo Bernardo, então ministro do Planejamento, que em nome de Lula disse que o Governo poderia aprovar o financiamento de US$ 1 bilhão, desde que a empresa pagasse os US$ 40 milhões. Naquela, Lula era presidente da República. “Nós tínhamos interesse, era exportação de bens e serviços, nós tínhamos fechado vários contratos em Angola e que só demandavam essa linha de crédito para fazer exportação de bens e serviços. Quando veio essa negociação, de US$ 1 bilhão, como sempre a gente fazia, a gente tentou mostrar com embasamento técnico que ali era importante. Nunca tinha tido uma solicitação, até porque era uma coisa legítima. Já no caso específico dessa negociação, em 2009 e 2010, até acho que era porque estava se aproximando a eleição, veio o pedido solicitado pra mim por Paulo Bernardo na época, que veio por indicação do presidente Lula, para que a gente desse uma contribuição de US$ 40 milhões, e eles estariam fazendo a aprovação de uma linha de crédito de US$ 1 bilhão”, disse o ex-presidente da Odebrecht. Como o dinheiro teria origem em negócios em Angola, Marcelo Odebrecht conseguiu com a cúpula petista descontar 10% do valor, referentes ao custo da operação para transferir a cifra para o Brasil. Convertido ao câmbio da época, o repasse foi de R$ 64 milhões. O valor foi creditado diretamente na conta paralela que o PT mantinha junto à Odebrecht, e que era gerenciada pessoalmente por Marcelo Odebrecht. Uma parte desses recursos, como revelou o próprio empreiteiro, foi usada para pagar despesas de Lula. Membros da família de Lula também tiveram direito de pegar uma graninha proveniente de propina. Seu filho Luís Claudio recebeu dinheiro da Odebrecht para implementar futebol americano no Brasil, e seu irmão conhecido como Frei Chico recebeu durante anos uma mesada de R$ 5 mil. Mais uma vez é desmentida pelos fatos uma bravata lançada por Lula. Com tantos fatos agora revelados, fica difícil entender por quê tem gente querendo a volta dele ao poder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário