Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

3 de abril de 2012

PSDB quer ver Comissão de Ética investigando as lanchas de Ideli

Lanchas renderam R$ 150 mil para campanha de Ideli
  • O PSDB protocolou na Comissão de Ética Pública da Presidência da República um pedido de investigação sobre a aquisição de 28 lanchas pelo Ministério da Pesca, que custaram R$ 31 milhões.  Foi o que anunciou da tribuna o senador Álvaro Dias, líder do PSDB no Senado, lembrando em sua representação que o resultado de numa auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) verificou-se que pelo menos 23 das 28 embarcações adquiridas por aquela pasta da Pesca nunca foram usadas e que encontram-se sob risco de deterioração. Como agravante, a empresa fornecedora das embarcações, a Intech Boating, foi solicitada a fazer uma doação de R$ 150 mil ao comitê financeiro do PT de Santa Catarina, que custeou cerca 81% das despesas do comitê de campanha da atual ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, candidata do partido ao governo catarinense, em 2010. Depois de derrotada, Ideli assumiu o Ministério da Pesca e pagou a última fatura das lanchas, no valor de R$ 5 milhões e 200 mil;
  • A auditoria do TCU constatou indícios de superfaturamento, pagamentos por serviços não realizados, liquidação antecipada de faturas e aditivos contratuais que incluíram nos contratos novos itens, o para o TCU significa “fuga ao procedimento licitatório”. Álvaro Dias disse que recorreu à Comissão de Ética da Presidência porque decidiu dar “um voto de confiança” aos membros do colegiado. “A Comissão de Ética pode convidar para testemunhar o deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), ex-ministro da Pesca, que afirmou ter encontrado malfeito no ministério, em entrevista concedida na semana passada. Logo que a denúncia sobra as lanchas e a doação eleitoral para sua campanha, Ideli Slvatti divulgou uma nota dizendo que a aquisição das lanchas ocorreu antes da chegada dela no ministério, que era dirigido por Altemir Gregolin, também petista e catarinense como ela. Ideli alegou que os R$ 150 mil foram doados ao partido, não à campanha dela. Porém,  81% das despesas legais do comitê de Ideli, registradas na Justiça Eleitoral, foram utilizados na sua campanha ao Governo de Santa Catarina;
  • Como pode ser visto, a cada semana surge alguma notícia envolvendo gente ligada ou próxima ao Governo. Está mais do que na hora da presidente Dilma Rousseff motar seu próprio governo e governar a seu modo, ou então correr o risco de não ter sequer condições de pleitear sua reeleição em 2014, além de governar sob constantes crises, abrindo caminho para que a oposição consiga voltar ao Poder de modo mais rápido e mais fácil que se poderia imaginar. Ficar blindando todos os denunciados por prática de 'malfeitos' poderá vir a ser um grande tiro do próprio pé e o fim meteórico de uma carreira iniciada exatamente na ponta da pirâmide política do País. Dilma é quem decide.

Um comentário:

  1. ...Temo que o Brasil não saia mais desse ciclo imbecilizante, imoral e criminoso que se instalou nos últimos 9 anos. E a que preço? Ora, preço de um cheque em branco, passado de bom auto-engano via voto, nas urnas de todo país! O cheque será descontado. Muito será pedido, de todos, para pagar essa fatura, que segue para os bolsos petralhas, com vigor.

    "Passamos tanto tempo enfatizando direitos, que negligenciamos o ensino de obrigações. A quem muito foi dado, muito será pedido”. (Solzhenitsyn)

    http://www.venenoveludo.com/2012/04/waterfallgate-e-os-cheques-em-branco.html?spref=fb

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário