Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

19 de abril de 2012

Lula e Sarney montam 'QG do Sírio' para blindar o Governo na CPMI

Está com medo da CPMI, Lula?
  • Vamos tentar entender. O Hospital Sírio-Libanês em São Paulo transformou-se mesmo em um escritório político? Ultimamente tem sido o ponto de encontros do ex-presidente Lula com políticos, principalmente do PT e de partidos da 'base aliada' da presidente Dilma Rousseff no Congresso. E esses encontros não são reservados, pois há sempre um fotógrafo de plantão para registrar os encontros e as fotos que saem estampadas em vários jornais trazem como crédito a expressão 'Divulgação', tonando-as oficiais de algum órgão. Os encontros de Lula começaram quando ele se internou naquele hospital para tratamento de um câncer na laringe e continuaram acontecendo 'coincidentemente' nas sessões de quimioterapia e de radioterapia, e agora ocorrem por ocasião das sessões de fonoaudiologia a que o ex-presidente continua sendo submetido;
  • E Lula agora não está mais sozinho nesse estranho 'escritório', pois ganhou a companhia do senador José Sarney (PMDB-AP), que está internado no Sírio-Libanês após uma angioplastia que teve que fazer para desobistuir uma artéria que poderia lhe provocar um infarto. Os dois ex-presidente da República estão se utilizando do local para estabelecer estratégias que evitem tanto quanto possível que ocorram impactos na Governo por conta do andamento da CPMI do Cachoeira. Incentivada por Lula na tentativa de atingir somente o governador Marconi Perillo (PSDB-GO), seu desafeto político, a comissão está sendo formalizada, com adesão de assinaturas em número recorde, e já começa a espalhas alguns 'estilhaços' em governistas, como é o caso do governador de Brasília, Agnelo Queiroz, que é do PT, mesmo antes de ter os nomes daqueles que ião compor a CPMI;
  • A imprensa mostra que Lula e Sarney  receberam ontem, no Sírio-Libanês, um grupo de integrantes do PMDB - lá estiveram o vice-presidente da República, Michel Temer, o presidente do PMDB; Valdir Raupp; o líder do partido na Câmara Henrique Alves; e o ministro da Previdência, Garibaldo Alves -, que receberam orientação para evitar que a CPMI se concentre em apurar as ligações do senado Demóstenes Torres com Carlinhos Cachoeira, além de Marconi Perillo. Na segunda-feira, Lula e Sarney receberam os líderes Renan Calheiros (do PMDB no Senado: Gim Argelo (do PTB no Senado); e Arlingo Chinaglia (do Governo na Câmara), além do ex-líder Cândido Vaccarezza. Todos receberam orientação para usarem o 'rolo compressor' na maioria que compõem, para impedir a apeovação de 'requerimentos inconvenientes' que certamente serão apresentados pela oposição, que tudo fará para fazer a CPMI chegar no ex-ministro José Dirceu e no ex-presidente Lula;
  • Em sua orientação aos integrantes da 'base aliada' com os quais se reuniu na Sírio-Libanês, Lula chegou a recomendaar: "Temos que usar a maioia para evitar o que fo inconveniente. Vocês têm que unir gente de confiança nos postos-chave, e não podem deixar que a CPI desvie o foco e contamine a área do Governo". Daí se vê que existe algum temor, pois a cada dia surgem gravações que aproximam Carlinhos Cachoeira de membros do Governo, chegando bem perto dos participantes do Mensalão do PT, algo que Lula e o presidente nacional partido, Rui Falcão, chamam de farsa. Portanto, cabe ao pessoal do 'QG do Sírio' explicar à opinião do que têm tanto medo, deixando de lado o antigo ditado de que 'quem não deve não teme'.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário