Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

2 de março de 2011

Ia fazer concurso? Agora tem que esperar...

A notícia está estampada nos jornais, na TV e nos sites dos principais veículos de imprensa do País: A Secretaria de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento revelou nesta segunda (28) que não haverá a realização de nenhum concurso público Federal este ano, a não ser em casos emergenciais. Foram suspensos até mesmo os que precisavam somente de cursos de formação para a nomeação dos aprovados. A decisão é fruto do corte de R$ 50 bi que o governo decidiu fazer no orçamento para este ano e contraria o anuncia anterior de que cada concurso ou nomeação seria analisado separadamente”. Tal informação por certo não foi nem é do agrado dos tradicionais “concurseiros” existentes em todo o Brasil. Os concursos anunciados e com editais publicados estabelecendo a realização dos mesmos para diversos órgãos federais são os mais procurados por serem os que indicam melhor remuneração;


Não somente os “concurseiros”, mas também aqueles que estão em condições de participar da busca por uma vaga num concurso para um órgão público investem na preparação para concorrer a cada cargo. Muitos deles passam a frequentar os cursinhos preparatórios, o que implica em gastos que pretendem recuperar se forem aprovados. Há mesmo pais que gastam dinheiro para que seus filhos cheguem aos concursos em condição de aspirar uma das vagas postas à disposição dos candidatos. Alguns jovens deixam até de trabalhar enquanto frequentam os cursos preparatórios. E agora, como é que fica? E o dinheiro gasto, quem vai restituir se não haverá concurso? Deve haver quem tenha até pago a taxa de inscrição;


Os cortes anunciados pelo Governo são provas incontestes de que a presidente Dilma tem em mãos uma “herança maldita”, mas que ela não poderá ficar oito anos falando dela, como Lula fez, sempre atribuindo a Fernando Henrique as dificuldades financeiras de sua administração. A causa dos cortes todo mundo sabe que foram os gastos excessivos feitos por Lula para fazer marketing político e eleger sua sucessora, atuando como seu principal cabo eleitoral até mesmo “na hora do expediente”. Agora, a conta ficou para Dilma, que não pode apontar quem é o verdadeiro causador de seus problemas.

 

Obs.: O texto está em letras maiúsculas por opção do próprio computador

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário