Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

17 de março de 2009

Carteira de Torcedor é um palpite infeliz

Exigir do torcedor brasileiro que ele obtenha uma carteira ou cartão magnético para poder comprar ingressos para assistir partidas de futebol e ter acesso a estádios pode ser considerada como uma autêntica redundância. A forma de o cidadão se identificar no país é por meio de sua carteira de identidade;O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto afirma: “O direito de ir e vir, especialmente para fazer valer a paixão do brasileiro pelo futebol, não pode ficar condicionado à prévia autorização estatal”;
Na avaliação do presidente da OAB, “se a idéia é proteger o cidadão da violência nos estádios de futebol, o que deve haver é um melhor policiamento e a utilização de forma mais eficiente do serviço de inteligência para por fim aos criminosos que se infiltram nas torcidas organizadas”;
Para Cezar Brito, controlar, aumentando o poder de vigilância genérica, é o mesmo que dizer que todos os torcedores são culpados por antecipação. Segundo ele, não parece uma boa idéia a criação de uma carteira ou um cadastro para o torcedor, que já está identificado por meio de sua carteira de identidade;
Qualquer juiz de primeira instância no Brasil dará uma liminar contra. Qualquer partido que recorra ao STF, terá a liminar. O que o ministro dos Esportes, Orlando Silva, quer é mais um cadastro para depois poder distribuir cartinhas, fazendo propaganda eleitoral, certamente com dinheiro público. Além disso, em se tratando de administração pública, vem o perigo de licitações viciadas e outras maracutaias;
A criação da tal carteirinha de torcedor significa controle do Estado sobre o cidadão, além de elevado grau de burocratização. Aqueles que não vão aos jogos corriqueiramente não poderão decidir ir de repente assistir a uma partida que tenha despertado neles algum tipo de motivação. Prejudica também os turistas, que não poderão assistir jogos de futebol, sempre motivo de curiosidade de estrangeiros, em especial quando chegam ao Rio de Janeiro querendo conhecer o histórico Maracanã;
Parece que o “ministro da tapioca” perdeu uma boa hora de ficar calado, sem ter dado um palpite tão infeliz.

Um comentário:

  1. Palpite mais infeliz do que esse não pode haver. Calhordice pura!Quanto aos turistas, o moço das tapiocas vai argumentar que é só exibir o passaporte.
    Parece brincadeira!
    Há mil coisas mais importantes na Pasta dele para cuidar.

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário