Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

20 de setembro de 2010

Tá Reclamando de quê?

Brasileiro Reclama de Quê? Reclamando do Lula? Do Serra? Da Dilma? Do Arrruda? Do Sarney? Do Collor? Do Renan? Do Palocci? Do Delubio? Da Roseanne Sarney? Dos politicos distritais de Brasilia? Do Jucá? Do Kassab? Dos mais 300 picaretas do Congresso?

O Brasileiro é assim:

Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.

Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.

Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, e até dentadura.

Fala no celular enquanto dirige.

Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

Para em filas duplas, triplas em frente às escolas.

Viola a lei do silêncio.

Dirige após consumir bebida alcoólica.

Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.

Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.

Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.

Faz “gato”
de luz, de água e de tv a cabo.

Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.

Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.

Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.

Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.

Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.

Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.

Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.

Compra produtos pirata com a plena consciência de que são pirata.

Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.

Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.

Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

Frequenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis.... como se isso não fosse roubo.

Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.

Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.

Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.

Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

Dá "trocadinho" para crianças e mendigos no sinal, incentivando ao não trabalho e a vida facil , e pensa que assim pode ficar com a consciência tranquila de que esta fazendo um ato de solidariedade e ajudando os mais necessitados.


(Autor desconhecido)

Um comentário:

  1. Já postei esse texto tb.
    Realmente reclamar e não mover um músculo para mudar alguma coisa ou mover-se para piorar (o jeitinho) é foda!

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário