Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

25 de setembro de 2010

Roriz debocha do Supremo e lança a 'mulher-laranja'

Quer dizer, então, que o Supremo Tribunal Federal (STF) não chegou a uma definição sobre a vigência da Lei da Ficha Limpa já para este ano? Esse empate de 5 a 5 deixa os ilustres ministros num impasse sobre o que decidir? Como bem disseram por aí, "o Supremo decidiu não decidir nada". O que se vê hoje são as mais variadas opiniões de juristas sobre o que deverá acontecer e que já esteja valendo com o empate. Uns entendem que fica valendo a Lei, uma vez que não foi aprovado o recurso do candidato do Governo do Distrito Federal, Joaquim Roriz, contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que havia confirmado a negativa do seu registro; outros, são de opinião de que a decisão somente acontecerá quando o STF se definir;

A grande verdade é que metade do Supremo pouco se importou com o clamor popular de apoio à Lei da Ficha Limpa, oriunda de um projeto de iniciativa popular, com mais de um milhão de assinaturas e posterior adesão de mais alguns milhões. Caso a Lei ferisse frontalmente a Constituição,  certamente não haveria essa divisão entre os ministros. Todavia, deixar para quando o Supremo tiver a presença do 11º ministro para que a decisão seja definida é uma afronta à vontade pesquisada de cerca de 85% da população que deseja ver a Lei da Ficha Limpa em toda sua eficácia já em 3 de outubro;

O presidente do STF, César Peluso, afirmou que Lula teria alguma culpa nesse empate por não haver indicado e posteriormente nomeado um novo ministro para o lugar de Eros Grau, que se aposentou. Talvez tenha razão. Lula deveria mesmo ter indicado o sucessor de Eros Grau de imediato, pois o Supremo deve sempre estar completo dada a sua importância na defesa dos interesses jurídicos do povo. Acontece que é bem provável que o presidente não tenha tido tempo para sequer pensar no assunto. Afinal, ele não sai dos palanques de sua candidata;

O resultado de tudo isso acabou provocando mais um deboche sobre o Poder Judiciário, maior até do que as ironias de Lula em relação as muitas multas que o TSE lhe aplicou e à sua candidata por infringirem a legislação eleitoral. Depois de dezenas de horas de apreciação do revurso de Joaquim Roriz para tentar concorrer e diante do impasse, ele retirou sua candidatura e simplesmente lançou sua mulher em seu lugar, anunciando abertamente que ela será eleita mas ele é quem vai governar. Nessa fase de tanta mulher-fruta, vimos o surgimento de mais uma, a "mulher-laranja". Roriz superou Lula: debochou simplesmente do Supremo;

Vale uma indagação: isso vai ficar assim?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário