Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

9 de julho de 2010

Rubricar e não assinar é como fumar e não tragar

Pode parecer incrível, mas a candidata de Lula à sua sucessão não tem um programa de governo. Sua presença no processo eleitoral somente tem um objetivo: vencer a eleição para seu grupo político manter-se dominando a máquina pública federal. Não é admissível que alguém quer queira alcançar a Presidência da República deixe por conta de assessores a divulgação de seus planos para dirigir o país, ao ponto de, cumprindo exigência legal para registro de sua candidatura, apresentarem ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) juntarem o Programa de Governo diferente daquele previamente combinado pelos líderes do grupo de apoio à candidata;

Ao tentar explicar por qual motivo tiveram que trocar no TSE as folhas anteriormente juntadas contendo outro Plano de Governo diferente do que havia sido entregue sete horas antes à Justiça Eleitoral, a candidata do Governo afirmou que rubricou as folhas do primeiro programa sem ler seu conteúdo. Mas o pior está no fato de que a candidata de Lula, que havia rubricado todas as folhas da versão do programa anteriormente entregue ao TSE, rubricou as folhas da nova versão, não se sabendo se desta vez ela leu o conteúdo do documento com seu Programa de Governo;

É de estarrecer, no entanto, a resposta que a candidata deu aos que lhe criticaram por haver assinado documento tão importante sem ter noção do que nele estava escrito. E aí veio a mais estapafúrdia afirmação: "Eu rubriquei, não assinei". Alguém tem que dizer a ela que a rubrica em qualquer documento oficial é uma forma de assinatura para dar-lhe validade. E recomenda-se que sempre se leia o que se está assinando ou rubricando;

Pode não parecer, mas esse episódio demonstra uma forte dose de despreparo para lidar com assuntos tão sérios como um Programa de Governo. Não vamos discutir os conteúdos dos dois programa da candidata de Lula. Ambos contém verdadeiros absurdos em termos de cerceamento de liberdades que hoje são garantidos pela Constituição Federal. É espantoso que a fraca desculpa por ela apresentada ainda tenha quem a aceite. Dizer que rubricou mas não assinou é o mesmo que afirmar: "Fumei. mas não traguei".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário