Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

7 de abril de 2010

Presidente do TSE repreende Lula

"Ninguém foi eleito para fazer seu sucessor, mas para seu projeto de governo". A declaração foi feita pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres de Brito, ao votar pela confirmação da multa aplicada a Lula por fazer propaganda eleitoral fora do prazo legal, em evento de inauguração de obra federal no Rio de Janeiro. O presidente do TSE foi bastante claro quando afirmou: "Quando o chefe do Poder Executivo só pensa em fazer o sucessor, ele desvia o lhar do projeto de governo para o projeto de poder, como acontece em alguns países muito próximos ao nosso";

Interessante ressaltar que o ministro Ayres Brito deu a entender que não concorda com os projetos de perpetuidade dos presidentes amigos de Lula, os bolivarianos Chávez, Morales e Correa, que vivem a promover alterações nas constituições de seus países de modo que possam concorrer a uma série de mandatos. Em razão disso, ele disse que a confusão entre projeto de governo e projeto de poder é cultural:   "Está na cabeça dos prefeitos, dos governadores e do presidente da República, quem quer que seja. Se acham na obrigação de fazer sucessor e se afastam 2, 3 meses do mandato para se dedicar a isso". E o recado do presidente do TSE é bastante incisivo: "Ele foi eleito para o mandato cheio, e não para se afastar para fazer o sucessor";

Num pequeno edtorial, "O Globo" opina sobre a declaração de Lula de que vai trabalhar das 8 às 17 horas, dedicando-se, depois, à campanha de Dilma: "Multado duas vezes pela Justiça eleitoral, o presidente Lula não deixa de forçar a porta: tem dito que fará campanha para Dilma 'fora do expediente'. Lula inova, para justificar o uso da máquina pública na campanha: acaba de inventar o presidente que bate ponto. Risível. Mas serve de alerta - mais um - aos magistrados do TSE".

2 comentários:

  1. O presiMNETE em exercício não perde a oportunidade de ridicularizar os outros poderes constituidos. Não respeita o Legislativo e muito menos o Judiciário. Faz isso porque sabe de sua onipotência e inimputabilidade. Pior que ainda teremos que engolir por este cálice de fél por longos nove meses.
    Amigo, já linkei seu ótimo blog em nosso modesto cantinho. Obrigado pela presença e pelo comentário inteligente lá deixado.

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário