Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

20 de agosto de 2009

Quarta-feira amarga para o PT

  • A quarta-feira 19 de agosto vai entrar para a história do PT como um dia inesquecível. Foi quando os representantes do partido votaram pelo arquivamento definitivo de 11 representações no Conselho de Ética contra o presidente do Senado, José Sarney, atendendo determinação do presidente Lula, que montou uma “tropa de choque” para garantir a absolvição do senador do Amapá/Maranhão, em troca do apoio do PMDB à candidata de Lula à sua sucessão;
  • Na mesma quarta-feira, a senadora Marina Silva (AC), já havia anunciado seu desembarque do PT. Ela deverá filiar-se ao PV para ser candidata à Presidência da República. Militante do Partido dos Trabalhadores há 30 anos, a senadora Marina Silva anunciou que vai deixar a sigla, no entanto, não confirmou a sua filiação ao Partido Verde, mas disse que "a partir de agora começam as conversações" com a nova legenda;
  • No entanto, a decisão de Marina reforça os rumores das últimas semanas de que a senadora trocaria de partido para concorrer ao Palácio do Planalto em 2010. A senadora classificou como um "convite honroso" a proposta do PV para que ela seja candidata à presidência da República, mas preferiu não falar da suposta candidatura antes de formalizar a filiação no novo partido. "Saí do PT para poder ficar livre para negociar com outro partido. Não ficaria bem, negociar com um partido estando em outro", argumentou;
  • Para aumentar a intensidade da data, o senador Flávio Arns (PR), no plenário do Conselho de Ética, ele fez duras críticas à postura do partido por ser favorável ao senador José Sarney e se disse envergonhado de pertencer à legenda. “Me envergonha estar no Partido dos Trabalhadores com o comportamento que está tendo. Achava que as bandeiras eram para valer e não para mudar por causa da eleição”, disse Arns. Segundo ele, "o partido pegou a folha da ética e jogou no lixo";
  • Após o discurso, o senador disse aos jornalistas que deixará o partido. Ele afirmou que vai procurar a Justiça Eleitoral pedindo justa causa para sair do PT, pretendendo argumentar que o partido mudou seu programa. Um dos fatos que justificaria, seria o do partido apoio a Sarney. Se o pedido for aceito, ele poderá trocar de partido sem o risco de perder o mandato;
  • Num só dia o PT perdeu dois integrantes de sua bancada no Senado. Marina Silva já estava totalmente em desconforto no partido depois que pediu exoneração do cargo de titular do Ministério do Meio Ambiente, por sentir-se desprestigiada por Lula depois de cinco anos como titular da pasta, além de ser petista há cerca de 30 anos;
  • Já o senador gaúcho sentiu-se deslocado no PT com o esforço de não deixar nem sequer apurar a acusações contra Sarney, apesar das evidências e dos fatos comprovados, tudo por ordem do Planalto, com Lula pouco se importando com a ética - ou falta dela -, num verdadeiro vale-tudo para obter o apoio do PMDB na busca de eleger a candidata à sua sucessão;
  • Sendo assim, resta ao PT esperar que Lula compense tudo isso elegendo sua candidata e dando o suporte de seu (ainda) prestígio junto à população para a eleição e reeleição daqueles que ainda permanecerão sob a legenda do PT. Tudo vai depender da histórica falta de memória do eleitorado brasileiro, mas pode ser que desta vez isso não aconteça e para muitos petistas a resposta das urnas no ano que vem poderá ser nada agradável.

2 comentários:

  1. Acabou o PT,a mentalidade de sindicato,de ganhar uma eleição a qualquer preço,foi levada paea dentro do governo.Se bem que agora uma coisa boa aconteceu,antes onde o Sarney passava,era endeusado,agora abriu-se a caixa de pandora.

    ResponderExcluir
  2. Onde esta a qualidade da democracia brasileira? Estamos na mao de CANALHAS senatoriais. Mas nao vamos desistir, estou lincando seu blog. Meu objetivo eh reunir uma resistencia blogueira contra tanta canalhice. caranovanocongresso.blogspot.com

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário