Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

3 de janeiro de 2017

Sérgio Cabral e Pezão foram os piores governadores do RJ no últimos 50 anos

Ingressei no serviço público do Estado do Rio de Janeiro em junho de 1966, nomeado pelo então governador marechal Paulo Torres. Em agosto daquele ano ele se renunciou ao cargo, desincompatibilizando-se para concorrer a senador, e se eleger. Foi substituído pelo usineiro de Campos dos Goytacazes Theotônio Araújo. Ao passar o Governo para Geremias Fontes, o pagamento dos funcionários públicos fluminenses estava com três mesas de atraso. Tão logo tomou posse, o Estado fez um empréstimo no Banco do Brasil e Geremias pagou de uma só vez os salários atrasados. Foi a única vez em que meus salários sofreram atraso. Me aposentei em 2000, e a regularidade nos pagamentos continuou. Até 2014, já com Pezão no Governo, os meus pagamentos saíam sempre no dia 1º do mês subsequente. Se caísse na segunda-feira, o dinheiro já ficava disponível na conta na manhã do sábado (não era no primeiro dia útil, era no primeiro dia do mês mesmo). Passados cerca de 50 anos, acontece esse verdadeiro desastre, atingindo em cheio os aposentados e pensionistas;


Ressalte-se que Theotônio Araújo não desviou nenhum dinheiro da folha de pagamento para suas contas. Ele era um homem rico. O que fez foi tentar aumentar seu patrimônio político, atuando como um autêntico prefeito de Campos, cuja cidade havia sido arrasada com uma enchente do Rio Paraíba do Sul. Das cerca de 80 frentes de obras no Estado, mais de 60 foram executadas na reconstrução de Campos. Certamente ele queria receber de volta a gratidão dos campista em forma de votos para algum cargo eletivo. O caso dele é muito diferente do de agora. O grande pecado de Pezão foi aceitar governar o Rio de Janeiro sabendo das ações de Sérgio Cabral & Adriana Ancelmo, pois sabia muito bem a origem do dinheiro que era utilizado para a gastança do casal e seus amigos. Hoje, vemos funcionários se sentindo humilhados ao aceitar a doação de uma cesta básica e o dissabor de corte de fornecimento de energia elétrica, cancelamento de planos de saúde e falta de dinheiro para compra de remédios. Não é só a cadeia onde estão que deve ser mantida. Eles têm que devolver cada centavo que roubaram. Pelo menos isso servirá como um alívio para tanta tristeza como vemos diariamente na TV.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário