Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

31 de janeiro de 2017

Eike e Cabral presos é pouco. Eles têm de devolver os bilhões que são do povo

Adianta alguma coisa prender Sérgio Cabral e Eike Baptista e outros responsáveis pela crise financeira que assola o Estado do Rio de Janeiro se os bilhões de reais em contas e cofres dos dois espalhados pelo mundo não voltarem para o povo? A dúvida é fruto da observação de que não se vê nenhum sinal da Justiça demonstrando iniciativas para devolução ao povo do dinheiro que é seu, pois é proveniente dos impostos que paga. A União promete ajuda, mas obriga o Estado do Rio a se desfazer de seu patrimônio privatizando a Cedae, como se a empresa trocando de mãos seja sinônimo de melhorias nos seus serviços. A ajuda federal também afetaria outra camada da sociedade fluminense: o aumento da alíquota do chamado Imposto de Transmissão de 4% para 8%. E ainda sobra "assalto" aos bolsos dos funcionários públicos ativos, aposentados e pensionistas, aumentando a contribuição previdenciária de 11% para 14% além de contribuição extraordinária de mais 6% pelo prazo de três anos;

No mais, fica a convicção de que Eike Baptista, além de saber antecipadamente que havia uma ordem de prisão contra ele, recebeu orientação para se esconder. Cabe à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), tão exigente no cumprimentos das leis, esclarecer à opinião pública se faz parte da ética na advocacia o defensor de um réu orientá-lo a se esconder, fugir ou mentir. A Justiça não deveria punir aqueles que assim agem? Os advogados do ex-maior bilionário do Brasil dizem estar preocupados com a integridade física de seu cliente. E como fica a integridade do povo brasileiro, em particular o do Estado do Rio de Janeiro? Cabeça raspada e uniforme de presidiário é muito pouco para quem um dia a ex-presidente Dilma afirmou ser "um orgulho para o país". Repetimos ser necessário que ele e Cabral paguem pelo que fizeram de tão danoso ao povo fluminense.

Um comentário:

Não saia do Blog sem deixar seu comentário