Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

2 de novembro de 2016

Sabatella entra mais uma vez na contramão apoiando invasões

Tem gente que adora andar na contramão. É o caso da atriz Letícia Sabatella, petista fanática, defensora doente de Dilma e Lula, e beneficiária da Lei Rouanet, que encontrou mais uma causa errada para apoiar. No último sábado, ela esteve em uma escola invadida em São José dos Pinhais, no Paraná, onde, para demonstrar seu apoio aos invasores, deu uma “aula” sobre a "Ilíada", obra de Homero que narra a Guerra de Tróia. Aquela, que tinha o cavalo de Tróia. A atriz, que tem casa em Curitiba e costuma visitar a cidade, recitou um canto de “Ilíada”. Ela conheceu a escola estadual Padre Arnaldo Jansen, que considerou “simbólica” por ser a primeira a ser invadida e ficar sem aulas. Para quem não se lembra, as invasões, vêm produzindo orgias sexuais e grande consumo de drogas, que já resultou na morte de um aluno, esfaqueado por um colega em Santa Felicidade. Sabatella afirmou: “Não é possível que estejam sendo tratados com tanta violência e ignorância. É impossível não dar ouvido para o futuro”. Para a atriz, os alunos estão estudando a Constituição e as leis, e reprimir, criminalizar uma coisa que é legitima, vai ser caro para a história de quem está fazendo isso;

Como é sabido, os protestos ganharam corpo primeiro naquela cidade, onde 23 escolas ainda estão invadidas, segundo a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), mentora das invasões de caráter meramente político. Os dados são da última sexta-feira, que mostram ainda a existência de 1.197 ocupações em todo o país. Por causa das invasões onde se realizariam as provas, cerca de 200 mil estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) estão sendo avisados sobre novas datas (dias 3 e 4 de dezembro) e novos locais para fazerem as provas. O custo das alterações está sendo estimado em R$ 12 milhões, dinheiro do contribuinte. Há ainda a informação dando conta de que em 14 universidades federais suas reitorias tomadas por estudantes e não por professores ou funcionários das instituições. A justificativa dos estudantes para as invasões é como protesto contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241. Esss invasões nada resolvem e ainda tiram o direito de quem quer estudar. Por qual razão os pais dos invasores não vão buscar seus filhos para que deixem de ser massa de manobra e vão para casa estudar e não corram o risco de possível violência policial numa ação de reintegração de posse de um prédio público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário