Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

10 de setembro de 2013

Mascarados inibem manifestantes pacíficos e favorecem os governantes

Ao que tudo indica, as manifestações do Sete de Setembro deverão causar menos impacto por causa da pouca adesão que se verificou no último sábado, principalmente pelos atos de violência provocados pela ação dos chamados Black Blocs, que em alguns locais começaram a agir durante os desfiles. Há até mesmo quem ache que as cenas de violência e vandalismo dos portadores de roupas negras e máscaras sejam a serviço daqueles que foram alvos das manifestações de junho passado, quando milhões de pessoas foram às ruas demonstrar seu total descontentamento com os péssimos serviços públicos prestados à população que paga impostos, em especial os das áreas de Saúde, Educação, Segurança e Transportes, bem como com o desperdício de dinheiro público em obras suntuosas, algumas até desnecessárias, muitas vezes com atos de ‘inauguração’ do início das obras, muitas das quais nunca são concluídas e muitas vezes reajustadas em seus valores iniciais;

Outra fonte de protestos seria contra as obras superfaturadas de construção ou reforma de estádios, que agora são chamados de arenas, destinados à Copa do Mundo de 2014, segundo o intitulado ‘Padrão Fifa’, muitos quais não se sabe que destino terão depois da competição. Mas isso é outra coisa, assunto para futuros protestos. Outra coisa seria certamente objeto de protestos é a possibilidade aparente de que por manobras de ‘ministros petistas’ do Supremo Tribunal Federal (STF) a conclusão do julgamento do ‘Mensalão do PT’ seja mais uma vez adiada, além da possibilidade de esses mesmos ministros conseguirem diminuir as penas dos mensaleiros, em especial ao do ex-ministro Chefe da Casa Civil do então presidente Lula, o mais que famoso José Dirceu;
                                                          
Há algo com que os Black Blocs estão aparentando, que é estarem a serviço daqueles são alvo dos protestos, uma vez que a mídia o foco maior foi destinado às ações de violência e vandalismo, ficando em segundo plano as manifestações pacíficas. Em algumas cidade, como o Rio de Janeiro, a ação da polícia também pareceu ser para evitar manifestações contra o governador fluminense, que até então vinha sendo alvo de uma manifestações durante dezenas de dias em frente à sua residência, onde proliferaram faixas a cartazes com os ‘dizeres ‘Fora Cabral”. No último sábado, a Polícia Militar cujo chefe é Cabral coibiu de modo violento a aproximação de manifestantes pacíficos em direção ao Palácio Guanabara, com spray de pimenta, gás lacrimogêneo e jatos de água, atingindo muitos jornalistas que registravam o fato e também crianças e idosos;

Para assessores diretos da presidente Dilma Rousseff, as manifestações não tiveram influência nos seus índices de aprovação, mantendo-a na faixa atual acima de 30%. Muito acima dos 16% a que chegou em junho, porém ainda muito distante dos 68% em que se encontrava antes daqueles manifestações. A atuação dos baderneiros fica, então, sob suspeita. Mas é certo que alguns estados passaram a coibir com rigor a ação de mascarados, dando fôlego para que o povo volte às ruas, uma vez que muitos governantes e políticos acham que o ‘gigante adormeceu’, mas também é certo que esse gigante, que é o povo, venha a despertar no momento mais propício para cobrar tudo o que falta, utilizando a mais forte de suas armas, que são usadas sem nenhuma máscara: as urnas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário