Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

5 de maio de 2013

A Copa de 2014 faz muita gente ganhar dinheiro, e ainda restarão os 'elefantes brancos'

  • Quando se aproxima a Copa das Confederações e os estádios onde ela será disputada começam a ser inaugurados ou testados, a cada dia ficam mais evidentes os protestos contra os gastos nas construções de cada um, principalmente daqueles que receberam recursos vindos de financiamentos em especial do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Alguns críticos chegam ao ponto de pedir o cancelamento da Copa do Mundo do ano que vem, algo impossível de acontecer agora, pois a repercussão seria muito pior, uma vez que as seleções já classificadas e até alguns em vias de classificação de tão organizadas estão até escolhendo locais para treinamento e hospedagem. E o problema da Fifa seria maior ainda para escolher uma nova sede cerca de um ano antes da data prevista para a abertura da competição;
  • Como tem Poder Público e, por consequência, políticos envolvidos, não é difícil se admitir que muitos ‘malfeitos’ aconteceram e acontecem, destacando-se as denúncias sobre superfaturamento e de propinas de altíssimo valor sendo distribuídos a alguns privilegiados. Alguns estádios foram projetados num determinado valor que está sendo reajustado, em alguns casos em até 50%. Tivemos também casos como o do novo estádio do Corinthians, o ‘Itaquerão’, que teve como principal padrinho o ex-presidente Lula, torcedor do clube paulista, que foi projetado em R$ 800 milhões, mas que ficará pronto ao custo de cerca de R$ 1 bilhão e 200 mil, isso quando uma reforma do está Morumbi, do São Paulo Futebol Clube ficaria no máximo em R$ 500 milhões. Lula entrou no circuito, fez o BNDES financiar grande parte da obra e seu clube de coração passa a ter um estádio, algo que lhe faltava levando-se em conta o tamanho de sua torcida;
  • Mas o pior está na construção de verdadeiros ‘elefantes brancos’ em algumas cidades escolhidas para sede na Copa de 2014, cuja lotação obedece aos critérios da Fifa, mas que nunca ficarão cheios depois da competição, nem mesmo numa decisão de título regional, isso por causa do tamanho das torcidas dos principais clubes de cada um desses estados. Hoje tomamos conhecimento de que pelo menos quatro cidades sedes os futuros ‘elefantes brancos’ apresentam números que tornam os investimentos feitos nas novas ‘arenas’, como a maioria vai se chamar, chegam às raias de verdadeiros escândalos;
  • O Estádio Nacional de Brasília (DF), o Mané Garrincha, que a Fifa quis mudar o nome, custou cerca de R$ 1 bilhão, com 71 mil lugares, e que teve uma média de público este ano 844 pagantes no Campeonato Brasiliense; a Arena Pantanal, em Cuiabá (MT), custou R$ 519 milhões, com 43 mil lugares, teve no Campeonato Mato-grossense com média de 612 torcedores pagando ingresso; a Arena da Amazônia, antigo Estádio Vivaldo Lima, teve um custo de R% 529 milhões, com 44 mil lugares, para um público que teve média de 588 pagantes no Campeonato Amazonense de 2013; e a Arena das Dunas em Natal (RN), que substitui o antigo Machadão, custou R$ 350 milhões, tem 45 mil lugares, e o estado tem dois clubes na Série B do Campeonato Brasileiro, mas estes ainda não chegaram a um acordo sobre qual deles utilizará o novo estádio;
  • Acrescente-se a tudo isso o montante das obras que serão realizadas no Rio de Janeiro com vistas aos Jogos Olímpicos de 2016, quando ficamos sabendo que muitos dos equipamentos construídos para o Pan-americano de 2007, que seriam aproveitados na Olimpíada, mas que agora estão sendo descartados e até demolidos, pois não obedeceram às regras do Comitê Olímpico Internacional (COI). Vemos, então, que nossos governantes  continuam fazendo vista grossa ou até mesmo participando desse verdadeiros assaltos ao dinheiro público com superfaturamentos e recebimento de propinas. E era o PT que proclamava ao longo de quatro eleições que se chegassem ao Poder esse tipo de coisas não aconteceriam mais. No entanto, acabamos de ver a presidente Dilma fazendo propaganda de uma horrível Caxirola, algo que nada tem a ver com o comportamento das torcidas brasileiras, mas que certamente Carlinhos Brown e outro estavam muito interessados em ver aquilo sendo comercializado. Ainda bem que a poderosa Fifa proibiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário