Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

1 de fevereiro de 2011

Suplente gasta 16 mil em um mês de mandato divulgando sua 'atividade parlamentar'. Qual?

Isso é uma coisa revoltante! Um total de 41 deputados tomaram posse entre 29 de dezembro e 10 de janeiro, porque os receptivos titulares foram nomeados ministros ou secretário estaduais. Mesmo estando em recesso parlamentar, além dos subsídios eles se utilizaram das verbas indenizatórias apenas para exercerem no máximo um mês de mandato. O total das despesas que os suplentes geraram foi deR$ 298 mil. Os dados constavam no site da Câmara dos Deputados nesta segunda-feira, quando se extinguiu o "mandato tampão" dos ilustres parlamentares;

Como se veteranos fossem, mesmo como pouco tempo e a ausência de funcionamento do Legislativo, os 41 deputados fizeram gastos elevados, justificando-os como tendo sido feitos com "consultoria, pesquisas e trabalhos técnicos", além de divulgação de trabalho parlamentar – isso é incrível! – e locação de veículos. Dos 41 apenas quatro não registraram gastos em de janeiro. No entanto, a Câmara explicou que eles ainda podem apresentar as notas para receber o reembolso;

Dos R$ 298 mil gastos com os suplentes, R$ 204 mil foram de 28 deles que assumiram a vaga de deputado federal pela primeira vez. Outros R$ 93,9 mil foram gastos de 13 suplentes que já haviam assumido em outras ocasiões. O suplente campeão de gastos foi Junior Marzola (DEM-TO), com R$ 26.533,29. Ele já havia assumido a vaga de deputado uma outra vez, de 23 de junho a 20 de outubro de 2010, substituindo, nos doiscasos, o deputado João Oliveira. Do total de R$ 26,5 mil, R$ 7 mil foram em consultoria, R$ 4,5 mil em combustível, além de R$ 11,5 mil de locação de veículos;

Entre os que assumiram pela primeira vez, o suplente João Batista (PMDB-RO) foi o que mais gastou: R$ 22.478,96, que teve a “cara de pau” de alegar ter tido gastos de R$ 16 mil em "divulgação de atividade parlamentar". Como assim? Que atividades o distinto conseguiu ter em apenas um mês de mandato e empleno recesso? Aqui do Rio de Janeiro, o suplente Renato Cozzolino (PDT-RJ)conseguiu gastar R$ 21.776,77, sendo R$ 20 mil em consultoria, com nota de uma empresa de contabilidade. O pior é que a assessoria da Câmara informou que os suplentes ainda podem apresentar novas despesas. Mas alertou que eles só recebem quando comprovam os gastos. Parece que isso é coisa difícil para eles;

O eleitor brasileiro precisa dar mais valor ao seu voto. Não dá mais para se aturar tanta desfaçatez por parte dos políticos brasileiros. Se já bastasse a pouca vergonha das pensões vitalícias de ex-governadores, ainda temos que aturar esse tipo de sangria dos cofres públicos.Sem nenhum exagero, é necessário que o povo se espelhe dos exemplos de outros países, como vem acontecendo no Egito, por exemplo. A revolta de milhões não é apenas contra uma ditadura de 30 anos, é também contra a corrupção praticada pelos políticos locais. Temos que deixar de lado a rivalidade desportiva com os argentinos e copiar dos nossos “hermanos” a consciência política. Na Argentina, por muitos menos os homens saem às ruas com aqueles enormes bombos que levam para as arquibancadas, acompanhados de milhares de mulheres batendo panelas para protestar em praça pública;

Já faz muito tempo que é hora do povo sair às ruas para protestar contra esses tipos de assaltos aos cofres públicos,o que, no caso dos parlamentares, não é de hoje. Será que já se esqueceram do uso indevido de verbas indenizatórias, da farra com passagens aéreas, do excesso de “diretorias” no Senado, das horas extras pagas em pleno recesso parlamentar. Ainda estamos esperando mais alguma coisa?

A notícia completa está no site de 'O Globo'

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário