Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

9 de janeiro de 2010

Crise fardada

(Charge de Chico Caruso)


Há ocasiões em que alguémpensa como pensamos e até escreve o que gostaríamos de ter escrito. É o que acontece agora com uma postagem de Jorge Serrão no blog Alerta Total, do qual transcrevo um comentário com o título desta postagem, infelizmente de um anônimo, mas que reflete muito bem o que pode desencadear uma grave crise institucional do Brasil:


A História do Brasil não começou em 1964. Que tal condenarmos os militares que implantaram a República e concedermos indenizações milionária aos herdeiros da Família Real? O Presidente Lula faz malabarismo ao acomodar a todos pelo que chama de governabilidade, contudo tão afeto a metáforas futebolísticas, agora leva bola nas costas de seus Ministros Vanucchi e Tarso Genro com o PNHD3, ao querer rever pela ótica dos derrotados apenas a meia História de 64 a 85. No regulamento Disciplinar Militar a pena de " faltar com a verdade" impede a promoção ao Generalato de seu transgressor, ou seja, é uma falta imprescritível. Para eles a verdade não aceita a meia verdade.

Queremos e não tememos a verdade em sua plenitude. Por que não se cogita também mudar o nome das "Av. Presidente Vargas" existente em dezenas de municípios já que a polícia de Vargas, em sua ditadura, perseguiu e executou, a esmo, comunistas e integralistas ? Por que atualmente não se abrir os arquivos de partidos políticos, que a pesar de serem pessoa jurídica de direito privado, também são de interesse público ? Os arquivos do PC do B interessam aos militares, a verdade e ao Brasil. Teriam eles sidos queimados ? Se assim o foram com que moral acusam aos militares de terem queimados os seus ?

Em 1966 Oswaldão, regressando do exterior onde fez curso de guerrilha, comprou posse de extensa área no pé de Serra das Andorinhas, rica em ouro. Este fato desmente que o PC do B foi para o Araguaia fugindo da repressão do AI-5 de 1968, colocando também por terra o declarado por Elza Monerat, em arquivos do STM, sobre a Guerrilha do Araguaia. A área escolhida pelo PC do B, ao contrário das FARC que subsistem graças ao tráfico de cocaína, seria bancada pela extração de ouro vendida a países comunistas que bancavam a luta armada no Brasil.

Se a verdade vier a prevalecer para os dois lados, para cada militar que sentar no banco dos réus sob a acusação de violar direitos humanos no período 64-85, teremos, no mínimo 10 civis, muitos hoje no Poder, para ocupar o mesmo espaço nos tribunais sob a acusação de crimes de lesa-pátria, sequestro, terrorismo, latrocínio, etc. Não é a toa que os mesmos autores do PNHD3 defendem o terrorista italiano Cesare Battisti, lutaram pela liberdade dos sequestradores de Abílio Diniz e tudo fazem para que o sequestro, tortura e execução do prefeito de Santo André, Celso Daniel, não seja esclarecido. A quem interessa esconder a verdade?



Enquanto a crise provocada por esse plano diabólico começa a atingir até membros do próprio Governo, nosso presidente continua de férias - parece até que ele trabalhou nos últimos sete anos - carregando seu misterioso isopor, que parece estar pesado pela quantidade de latinhas certamente de "isotônicos" para recuperação de suas forças (não as armadas, porque essas estão bastante "quentes").


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário