Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

9 de novembro de 2009

Deputados gazeteiros "se lixam" para o eleitor

O Congresso Nacional brasileiro parece que faz questão de estar sempre aparecendo de modo negativo no noticiário. Este ano, nossos congressistas já nos dar o "espetáculo" das passagens aéreas, quando foram flagrados voos de parentes e amigos de deputados e senadores pelo mundo a fora, ao lado de algumas passagens sendo repassadas para agências de viagem. Depois, a partir do escândalo das horas extras pagas a mais de 6 mil servidores do Senado, em pleno recesso, gastando mais de R$ 6 milhões indevidamente. Aí apareceram os casos de nepotismo, atos secretos e outras mazelas parlamentares (ou pra lamentar?);

Mas 2009 não poderia deixar de ser o "ano de ouro" dos nossos ilustres parlamentares. Reportagem de O Globo deste domingo registra com fotos deputados passando pelo plenário da Câmara para registrar suas presenças, mas que minutos depois são flagrados no Aeroporto de Brasília embarcando para seus estados de origem. Isso quer dizer que fingem que estão presentes, mas a Câmara não finge que os paga como se lá estivessem durante toda a quinta-feira;

Já é sabido que deputados e senadores só "trabalham" de terça a quinta-feira. Na segunda estão retornando de suas bases; na sexta, estão retornando. De certa forma, é até justo que façam contato com seus eleitores nos respectivos estados. A reportagem de "O Globo", no entanto, deixa bem claro que os flagrantes foram feitos na quinta-feira. Ao registrar suas presenças, os gazeteiros deixam de ser descontados em até R$ 1 mil. Teve até um deputado (novato, por sinal), que ao ser flagrado voltou para a Câmara. E essa gazeta oficial é paga pelos eleitores-contribuintes;

A alegação é que há um acordo do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP) com os líderes de TODOS os partidos - inclui-se aí o republicano PT - para que só sejam colocados em pauta nas quintas-feiras projetos que já tenham sido definidos como de consenso, bastando o voto simbólicos dos líderes. Isso quer dizer que o deputado registra sua presença para dar quorum nas votações "consensuais". Para uma sessão da Câmara ser iniciada é necessária a presença de 51 deputados. Quinta-feira, a reunião teve início com a "presença" de 97, mas só havia 11 no plenário;

Para justificar a gazeta parlamentar, governistas e oposicionistas de unem. Tanto o corregedor da Câmara Antonio Carlos Magalhães neto (DEM-BA), como o procurador parlamentar da Câmara, Sérgio Carneiro (PT-BA), defenderam os parlamentares flagrados alegando que a prática não é irregular. Tal qual como Lula em 2005, no episódio do mensalão, os dois deputados baianos alegam que a gazeta é coisa que sempre se fez há longos anos, ou seja, não tem nada demais assinar o ponto e não trabalhar, recebendo depois seu pagamento integral;

Parece que está chegando a hora do eleitor brasileiro ter mais cuidado na hora de votar no ano que vem. Este tipo de procedimento não pode mais continuar. As denúncias devem prosseguir, mas que Lula ache que não é papel da imprensa fiscalizar e sim informar, de preferência mostrando somente as coisas positivas, se é que elas existem na Câmara e no Senado. É preciso dar um basta na presença dessa gente que está sempre "se lixando" para o eleitor.

Um comentário:

  1. Há quarenta . anos que o poeta Cesar Araújo, de Niterói-RJ,já dizia a seguinte e filosófica frase: pior governo do que este só o próximo. Parece-me que o poeta era, antes de tudo, um profeta. Não só aos governos - Poder Executivo - pioram de eleição para eleição. Nos demas poderes a profecia se aplica, não de forma genérica. Mesmo que seja uma verdade relativa, a frase nunca deixará de ser uma verdade.

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário