Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

14 de agosto de 2012

Advogado de Roberto Jefferson que ver Lula sentado no banco de réus

Será que Lula vai contestar Roberto Jefferson?
  • O advogado Luiz Fernando Corrêa Barbosa, que defende o ex-deputado e atual presidente do PTB, Roberto Jefferson, solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que abra processo contra o ex-presidente Lula. Ele afirmou que Lula era o mandante do 'Mensalão do PT', destacando que três ex-ministros deles são réus, José Dirceu, Luiz Gushiken e Anderson Adauto, mas salientou que eles eram apenas auxiliares do ex-presidente. "Ele não só sabia como ordenou o desencadeamento de tudo isso que essa ação penal discute aqui. Ele ordenou. Aqueles ministros eram só auxiliares". O defensor de Jefferson citou a exposição do Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, afirmando que o esquema acontecia no Palácio do Planalto. Para o advogado, dizer que Lula não sabia é uma ofensa ao ex-presidente. "Claro que sua excelência não pode afirmar que o presidente da República fosse um pateta, um deficiente, que sob suas barbas estivesse acontecendo tenebrosas transações e ele não soubesse nada";
  • Luiz Fernando Barbosa lembrou que Roberto Jefferson contou a Lula sobre o esquema e disse que o ex-presidente não tomou nenhuma medida para investigá-lo. O defensor de Roberto Jefferson pediu que a ação penal do mensalão seja convertida em diligência para se investigar Lula ou que se abra outro processo contra o ex-presidente. "Não é possível que um escândalo dessa dimensão passe lotado por essa Suprema Corte. Normas há e essa decisão se pede", disse mais o advogado. O advogado afirmou que as provas apresentadas pela PGR são fracas porque o "mandante" ficou de fora e previu um "festival de absolvições". Ele destacou que Lula responde a uma ação civil pública relativa a uma suposta ação em favor do BMG para a concessão de crédito consignado a aposentados e pensionistas. O BMG é um dos bancos que fez os empréstimos que serviram para o pagamento a parlamentares;
  • "Se fosse o Collor, estaria preso, mas no Lula não pega". O comentário é de Roberto Jefferson, feito em seu apartamento, na Barra da Tijuca, no momento em que seu advogado no caso do 'Mensalão do PT' disse que o ex-presidente Lula deveria estar entre os réus. Apesar da aparente contradição entre a versão que sustentou durante sete anos - a de que Lula era inocente -, Jefferson mantém o discurso de que, em sua opinião, o petista não tinha conhecimento do mensalão. O petebista reiterou diversas vezes que sentiu "surpresa'' de Lula quando o alertou sobre o mensalão. Segundo ele, a acusação de que o ex-presidente beneficiou o BMG e o Rural representa a posição de seu advogado, fruto de desdobramentos das investigações;
  • Em meio a todas essas afirmativas, o que se observa é que todos os defensores (ou quase todos eles) procuram demonstrar que o "Mensalão do PT' realmente não teria acontecido. A expressão 'mensalão' foi criada por Roberto Jefferson quando fez a denúncia do esquema de desvio de dinheiro público para manter a 'base aliada' do governo de Lula no Congresso Nacional. Não se tratava realmente de um compromisso mensal de distribuição de dinheiro para garantir a maioria favorável ao Governo nas votações de seu interesse no Senado Federal ou na Câmara dos Deputados. Todavia, fica mais uma vez a indagação: por qual motivo Lula pediu desculpas ao País e ainda se declarou traído? Por qual razão o então ministro da Casa Civil e homem forte do Governo, José Dirceu, foi exonerado e ainda teve cassado seu mandato de deputado federal por quebra do decoro parlamentar e ainda é indiciado como chefe de uma quadrilha responsável por desvio de dinheiro público? A resposta cabe ao Supremo, mesmo com sua maioria de oito 'ministros petistas'.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário