Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

24 de janeiro de 2014

Carmem Lúcia e Lewandowski aumentam a popularidade de Joaquim Barbosa

Quando observamos que o Supremo Tribunal Federal (STF) tem 11 ministros, dos quais nada menos que oito foram indicados pelo ex-presidente Lula e pela presidente Dilma, já dá para desconfiar que a neutralidade desses oito ministros 'petista' é meramente formal, porque quando os interesses dos seus patronos estiverem em jogo, seus votos não serão tão neutros assim. Nos Estados Unidos a forma de preencher vagas na Corte Supremo tem um trâmite idêntico ao do Brasil, mas com uma diferença gritante em relação ao que acontece por aqui. Lá, depois de empossado o magistrado assume sua função de juiz, e se aparecer algum processo contra o presidente que o nomeou, ela não tem dúvida em condená-lo, se for o caso. Recentemente, no julgamento do 'Mensalão do PT', vimos o comportamento em especial dos ministros Ricardo Lewandowski e Antonio Dias Toffoli, que não tiveram nenhuma vergonha do votar pela absolvição ou abrandamento das penas a que figurões petistas estavam sendo condenados pela maioria, mesmo entre os outros seis indicados por presidentes filiados ao PT;

Agora mesmo assistimos atitudes de dois ministros do STF, Carmem Lúcia e Lewandowski, no caso da prisão do deputado João Paulo Cunha, quando os dois, na condição de presidentes interinos do Supremo e na ausência do presidente Joaquim Barbosa, se negaram a assinar a ordem de prisão do parlamentar alegando que caberia ao relator processo essa tarefa, ou seja, a Joaquim Barbosa, quando esse retornar de suas férias. Em qualquer entidade (empresa ou órgão público), o substituto eventual de um superior, legalmente investido no cargo, tem a prerrogativa de tomar decisões que seriam o titular. Fica claro, então, que os dois ministros deveriam ter expedido a ordem de prisão do mensaleiro condenado, que, por sinal, é irmão daquele deputado cujo assessor foi flagrado carregando dólares na cueca;

Como é notório, o ministro Joaquim Barbosa goza de elevado prestígio junto à opinião pública, que notou sua coragem em fazer o processo do 'Mensalão do PT' tramitar, depois de muitos anos estacionado, e ainda mandar prender políticos que certamente apostavam no prestígio para adiar indefinidamente sua ida para atrás das grades. Se a ideia dos dois ministros que não quiseram cumprir com sua obrigação foi proteger um deputado do PT, é possível que tenham dado um tiro no próprio pé. Quando Joaquim Barbosa retornar à presidência do STF no início de fevereiro e mandar prender João Paulo Cunha, a mídia certamente dará ênfase ao fato e a população verá outra atitude corajosa de mandar um figurão petista para atrás das grades. Afinal, o povo não conhece as regras do Supremo e nem entende sobre prerrogativas de ministros e vai achar que Joaquim Barbosa estará sendo outra vez um 'heroi', mandando mais um colarinho branco para a cadeia. 

Um comentário:

  1. Coitado do Ministro Joaquim Barbosa, passou vários meses as voltas com essa matéria, a despeito de sua saúde e a despeito de alguns ministros vidrinhos de cheiro que teimavam e achar espaços para defender os malandros. A despeito de muitos principalmente o Ministro Lewandovski que fez o papel que advogado de defesa dos malandros, assim como o Ministro Toffoli, o Ministro Zavastski e o Ministro Barroso. Principalmente o tal de Lewandovski passava hora e hora desfiando um relamborio querendo a todo custo dar o beneficio da duvida, parecia Alice no Pais das Maravilhas, passava hora inclusive as vezes desfiando as maravilhas do caráter dos réus, citando este e aquele. Fazia pronunciamentos de mais de hora as vezes hora e meia para justificar o injustificável. Inclusive falava que os réus tinham sido ouvidos por juízes e tinham se declarado inocentes. Como todos sabemos e claro que qualquer mequetrefe hoje em dia comparece as delegacias e aos juizados sempre acompanhados de advogados de porta de xadres para provar suas supostas inocências e sempre se declaram inocentes inclusive perante o juiz, so não falaram para o tal Ministro Levandowiski que toma sempre a palavra do reu como se fosse verdadeira. Esse Ministro muitas vez ficava horas e horas querendo provar o improvável inclusive cansando a beleza de quem assistia. Eu sei que muitos deles receberam a benecia do Barba, nove dedos e da gerentona para serem Ministros do Supremo, mas desde o momento em que tomaram seus assentos a obrigação de cada Ministro e defender a nossa Constituição, a nossa Bandeira e o povo Brasileiro, não podem ficar dando votinhos para beneficiar a marginalidade e muito menos para botar politico corrupto na rua. Cada Ministro que não cumprir seu papel esta matando aposentados, crianças e pessoinhas que a maior parte das vezes nem viveu. Podem ser gratos a a. b e c mas não podem defecar em suas biografias. Isto tudo esta gravado na Historia do Brasil e sera contado no futuro. O Brasil precisa de Ministros, Presidente, Governadores, Prefeitos, Senadores, Deputados que pensem no Brasil como um todo e não como capitania hereditária que beneficia meia dúzia e transforma o dinheiro dos brasileiros e moeda de troca para se manter no poder para sempre. Estamos a duas décadas parados por causa de maus políticos e maus brasileiros. Os que fazem e os que deixam fazer. O resto e bla, bla, bla. E por essa e outras que nosso Excelente Ministro Barbosa perdeu as estribeiras algumas vezes porque e duro querer fazer o bem e ser mal interpretado principalmente por quem anda sempre na contramão da justiça.

    ResponderExcluir

Não saia do Blog sem deixar seu comentário