Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

8 de janeiro de 2013

Lixo nas ruas foi a vingança dos prefeitos rejeitados pelo povo

Em Nilópolis (RJ), a 'vingança' foi assim: lixo na cidade toda
  • O novo ano começou quase igual aos anteriores. A grande diferença está na mudança de prefeitos e vereadores. Muitos apenas continuaram nos cargos que exerciam, mas sempre procuram dar a entender que se trata realmente de um outro mandato. No entanto, muitos do que não se reelegeram ou não conseguiram eleger seus sucessores partiram para uma prática condenável, que tem como principal vítima o povo um o elegeu e que depois democraticamente os repudiou. A vingança veio através do lixo. Isso mesmo! Como castigo, as populações passaram a conviver com montanhas de lixo nas portas de suas casas. Já com relação os reeleitos, outro de de vingança às avessas aconteceu. Uns, por exemplo, prometeram manter o valor do IPTU para o exercício seguinte, mas antes mesmo da posse fizeram reajuste no imposto como 'agradecimento' pela recondução ao cargo. Eduardo Paes, do PMDB, prefeito reeleito do Rio de Janeiro serve como exemplo;
  • Ainda sobre os reeleitos, descobre-se que algumas obras inauguradas em plena campanha estavam maquiadas para impressionar o eleitorado. Ainda no Rio de Janeiro, Eduardo Paes inaugurou com bastante estardalhaço uma tal de BRT Transoeste que após as primeiras grandes chuvas está totalmente impraticável, com a empreiteira contratada na época para a realização está sendo cobrada pela Prefeitura, mas alega que teve que correr com a obra por causa do prazo eleitoral. E o povo, como fica nessa história? O povo? Ele é obrigado a votar e acaba dando mais de 60% dos votos a quem vai lhe passar a perna logo em seguida. Até a presidente Dilma Rousseff foi à TV poucos dias antes da eleição anunciar uma redução das tarifas de energia elétrica, mas o Governo consentiu que a Light tivesse um aumento dessa mesma tarifa logo em seguida e agora aparece a informação de que essa redução poderá não acontecer. E mais ainda, a presidente diz que não haverá racionamento de energia, mas o próprio Governo através do Ministério de Minas e Energia anuncia que a redução poderá não acontecer;
  • Logo que o ano começou a população assiste espantada a Câmara dos Deputados empossar como parlamentar um até então suplente de deputado poucos dias antes condenado a mais de seis anos de prisão pela sua participação no 'Mensalão do PT'. O fato teve tanta repercussão negativa, ao ponto de o ex-governador do Rio Grande do Sul, o petista Olívio Dutra, declarar num programa de rádio, com todo aquele sotaque gaúcho, essa declaração surpreendente para muitos: "Tu deverias pensar na tua biografia, na trajetória que tens dentro do partido. Tu deverias renunciar". E assim começa o ano, que ainda está tendo o Governo denunciado por maquiar seus balanços para dar a entender um quadro econômico irreal do País;
  • Quanto às chuvas de verão, principalmente no Rio de Janeiro, nenhuma novidade, a não ser que agora os problemas que são sempre esperados não aconteceram na Região Serrana - ainda -, mas sim na localidade de Xerém, em Duque de Caxias, arrasada pelas águas, com várias ponte sendo arrastadas, que vão se somar às 65 destruídas nas enchentes anteriores, das quais somente 23 tiveram obras realizadas. O governador Sério Cabral alega que dos R$ 80 milhões prometidos pelo Governo o Estado só recebeu R$ 48 milhões. De quem á afinal a culpa? Ela é federal ou estadual? Pergunta-se outra vez: e o povo, como fica? Com certeza em 2014 todos estarão em campanha querendo continuar nos seus cargos ou eleger seus sucessores. Está mais do que claro que a solução para tanto desleixo e enganação está nas mãos desse mesmo povo. É só não digitar os números dessa gente na urna eletrônica, no ano que vem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário