Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

10 de janeiro de 2013

Apagão diário é uma forma disfarçada de racionamento de energia

Seu apagão de hoje já aconteceu?
  • O que mais se vê no Governo são explicações - algumas chegam até a ser engraçadas - quando falhas administrativas são percebidas. No início do primeiro mandato de Lula, qualquer coisa que saísse errada era atribuída à 'herança maldita' que teria sido deixada por Fernando Henrique Cardoso. Dez anos depois, a presidente Dilma Rousseff continua com vários problemas que o Governo não corrigiu. Não dá para colocar na conta de FHC e muito menso afirmar que Lula deixou para ela uma 'herança maldita', mesmo que isso fique mais do que caracterizado. Quando a presidente teve que exonerar quase dez ministros que foram flagrados praticando 'malfeitos', mesmo sendo todos eles indicados por Lula, ela teve que engolir a seco o constrangimento, sem, contudo, poder atribuir a 'herança' a alguém, por mais clara que fosse a origem;
"Ó, dúvida cruel! Vamos ter que imitar FHC?"
  • Ao longo da campanha eleitoral de 2002 e mesmo depois de assumirem o Poder, os petistas passaram a chamar de Governo do Apagão o período em que Fernando Henrique Cardoso governou o País. A atual presidente assimiu o cargo de minstra de Minas e Energia no primeiro mandato de Lula e passou a ser uma propagandista dos apagões, figura mais do que explorada na campanha pela reeleição do ex-presidente. Nos últimos tempos não tem havido nenhum esquema de racionamento, como ocorrera na época de FHC, mas em compensação quese todos os dias têm ocorrido apagões em vários pontos do Brasil, muitas vezes por muitas horas, o que não deixa de ser uma espécie de racionamento disfarçado;
  • Quando o ministro de Minas e Energia e outras autoridades do sistema energético passam a se reunir diariamente e se esforçam em declarar que não há nenhum risco de racionamento, pela tradição brasileira temos mais é que esperar pelo lamentável evento. O risco é tão evidente, que o Governo prefere gastar muito dinheiro público acionando usinas térmicas para evitar os cortes programados de energia. E com um agravante: as usinas térmicas foram criadas por FHC exatamente para compensar os problemas que leveram o governo dele a promover o racionamento;
  • Para deixar a população pensando que está tudo bem, o desconto de 20% nas contas prometidos pela presidente Dilma às vésperas das eleições do ano passado está impraticável, mas ela garante que o Tesouro Nacional cobrirá a diferença, ou seja, a fatura vem com desconto e o Govetrno banca a diferença com os impostos pagos pelos consumidores/contribuintes. A para festejar, finalmente, o Governo anuncia que como consequência em 2014 haverá um 'pequeno' reajuste da tarifa. Isso quer dizer que o consumidor ganha do Governo com um das mãos e com a outra ele toma de volta o que deu. Quem quiser que vote nessa gente no ano que vem para continuar sendo enganado por mais um mandato.

Um comentário:

Não saia do Blog sem deixar seu comentário