Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

21 de julho de 2015

Joaquim Barbosa e Sérgio Moro são hoje nomes populares

  • Até saírem as sentenças proferidas pelo então ministro Joaquim Barbosa no julgamento do 'Mensalão do PT' pelo Supremo Tribunal Federal (STF), pondo figurões do partido do Governo atrás das grades, ainda havia dúvidas quanto à ida de pessoas poderosas para o xadrez. O comportamento nitidamente político de alguns ministros (Ricardo Lewandovski e Antônio Dias Toffoli em especial) não davam essa segurança;
  • Mesmo com maioria de ministros indicada e nomeada pelo ex-presidente Lula, no final muita gente de peso perdeu a liberdade por causa dos crimes que cometeram. Apesar de alguns dos condenados já terem obtido liberdade, o fato é que foram punidos, numa demonstração de que criminosos de colarinho branco também vai para a cadeia;
  • A partir daí, surgiu uma figura elevada à categoria de heroi nacional, Joaquim Barbosa, por causa de sua determinação de levar o julgamento até o fim, depois de anos de tramitação em passos de tartaruga. Agora, eis que surge mais um magistrado ganhando prestígio popular, o juiz federal Sérgio Moro, comandante da Operação Lava-Jato, que tem apontado desvios de dinheiro da Petrobras por meio de propinas bilionárias;
  • O fantasma da prisão está assustando dois ex-presidentes da República (Fernando Collor e Lula), os atuais presidentes da Câmara e do Senado, e até mesmo a presidente Dilma, por suspeita de uso de dinheiro sujo em sua campanha pela reeleição. Por motivo disso tudo, os nomes dos dois magistrados tem aparecido em pesquisas de intenção de voto para presidente da República;
  • O povo já se mostra cansado do comportamento dos políticos, e dá claros sinais de que quer mudar o quadro atual. Não é sem razão que as manifestações marcadas para o dia 16 de agosto estão provocando insônia principalmente no Palácio do Planalto, haja vista o baixo índice de popularidade de Dilma Rousseff, hoje abaixo de 10%

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário