Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

Comentários sobre política brasileira e outros temas polêmicos

18 de janeiro de 2016

Pezão imita Dilma e aumenta o IPVA

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão. anda às voltas com uma das piores crises financeiras dos últimos tempos, especialmente na área da Saúde e no pagamento dos funcionários estaduais, e como é apoiador do Governo Federal, acha que a solução de seus problemas está no aumento de impostos, ou seja, administram mal os recursos e procuram tirar do bolso do povo ainda mais dinheiro, já corroído pela alta inflação conseguida pela equipe econômica da presidente Dilma. O mandatário fluminense agora resolveu castigar os proprietários de veículos na cobrança do IPVA (Imposto sobre a Propriedade e Veículo Automotor);

Como se sabe, independentemente do estado em que se encontre, um carro se desvaloriza de um ano para o outro em pelo menos 20%. Até mesmo o carro 0 km quando sai da agência já não tem o mesmo valor pago minutos antes. Pois a Secretaria de Fazenda do ilustre governador simplesmente compensou essa desvalorização reajustando a tabela do IPVA em pouco mais de 30%. O Rio de Janeiro é um estado que está sendo bastante castigado nos últimos anos, culpa do eleitorado que elegeu nos últimos anos, por exemplo, dirigentes do tipo família Garotinho, Sérgio Cabral e Pezão. É muita falta de sorte (ou burrice dos eleitores);

Da mesma forma como acontece no Governo Federal, não se fala em redução da máquina administrativa, como extinção de secretarias e cargos em comissão. Igual ao Congresso Nacional, as mordomias dos deputados estaduais continuam em vigor e algumas são até majoradas. No Poder Judiciário acontece a mesma coisa. Castigue-se, então, os cidadãos de um modo geral e até os 'velhinhos' aposentados. Os funcionários estaduais também dão a sua 'colaboração' com a mudança do calendário de pagamento de salários para que as despesas do governo possam ser pagas, geralmente com bastante atraso. Mas fica aqui um alerta aos governantes: a resposta a tudo isso pode começar a aparecer já nas eleições municipais de outubro. Podem esperar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia do Blog sem deixar seu comentário